Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010

VOZES SOLITÁRIAS

Incrível o quanto se perde de fantásticas energias sem que ocorra qualquer volume significativo de resultados práticos.
O mais incrível é que esta perda normalmente acontece envolvendo criaturas muitíssimo articuladas e repletas de sérias idéias e de intenções, mas que, em dado momento, se empolgam e deixam-se conduzir, creio eu, podendo inclusive estar errada, pelas suas emoções, e aí, o foco da questão se perde e o muito que poderia ser obtido se reduz ou não se realiza.
Naturalmente, estou falando daquelas pessoas que buscam em suas lutas sociais, em primeiro lugar, o bem comum e não o palanqueiro, cujo único objetivo é aparecer para de algum modo se dar bem.
Novamente a meu ver, a realidade de uma cidade só se altera em qualquer aspecto se seus cidadãos se unirem em prol de reverter esta ou aquela situação que estiverem fora dos objetivos administrativos, atráves de comissões averiguadoras e, portanto, fiscalizadoras, com o apoio firme e não menos sério do Ministério Público.
Todo o …

OURIVANDO

No instante em que a criatura percebe que o sol,a lua, os ventos,as plantas e todos os desertos estão para si tanto quanto ela está para eles,perceberá, então,sentindo,que para eles, ela não deveria representar perigo ou medo,assim assim como para ela o mesmo,porque afinal um está para o outro em parceria de interação, onde tudo se fragmenta,tornando-se um todo magnífico,na medida em que a cada milionésimo de segundo, explode fragmentando mais e mais vida,cujo brilho da luz de vida harmoniosa, somente os morosamente equilibrados podem enxergar.
E aí,os porquês deixam de existir para dar lugar ao TUDO BEM.
Vivenciar na luz,é descobrir-se a cada instante,constatando a própria grandeza,sem que para isso,haja o sentimento de se sentir mais que os demais.
A tarefa maior de nossas vidas deve ser a de nos tornar garimpeiros e ourives de nós mesmos.
É possível,imaginar atividade melhor?
Acreditem,existir e vivenciar,fica mais leve,porque ao garimpar,extraimos e a…

PRIMEIRO PASSO

Permaneço diante do computador querendo escrever para tentar entender sobre o atraso histórico de nosso país em relação a outros não tão abastecidos de riquezas territoriais ou também beneficiados por um clima tão propício a uma maior diversidade agrícola.
Enquanto isto, penso nas cidades que conheci em viagens ou porque morei, e também em nenhuma delas posso traçar qualquer parâmetro com a Ilha de Itaparica, seja no tocante ao conjunto lúdico, energético e prazeroso, seja na tristeza da constatação do abandono, miséria, violência crescente, desleixo público.
Penso que a inércia que o escravagismo desenvolveu nas posturas tanto dos senhores quanto dos escravos, talvez seja a base estrutural de um comportamento sistêmico da época que se infiltrou nas emoções, moldando-as a uma postura desconsiderativa a valores inerentes a um desenvolvimento sustentável, onde se visasse a terra como um bem de raiz e não tão somente como um bem monetário, enquanto os escravos em suas condições precárias …

FILOSOFIA ? PARTE I

Filosofia?
Por que não?
A desconsideração permanece sempre mais forte nos ambientes menos esclarecidos ou, digamos, mais tumultuados, encontrando,contudo, uma gama de criaturas que, mesmo não compreendendo o verne da questão, dedica uma atenção cautelosa que se estende até o limite no qual se sente à vontade para pesquisar sem se comprometer ou se expor.
Em nosso país, as pessoas, em sua maioria, tem reservas pessoais que em não admitirem estar compreendendo isto ou aquilo, disfarçando as suas dúvidas e, assim, assimilando de acordo com a sua visão absolutamente voltada ao seu universo vivencial, sem qualquer amplitude que certamente oferece alternativas interessantes, que aguçam a criatividade que normalmente direciona a criatura a experimentar novas opções, não sem antes avaliá-las.
Mas avaliá-las como, se não houve novos aprendizados e a criatura se engessou dentro de um espaço que lhe parece seguro?
Viver é seguir em frente, experimentando, optando, mas acima de tudo usando suas expe…

COERÊNCIA EXISTENCIAL

Não há na história da humanidade um volume tão expressivo de criaturas geniais e criativas como vem acontecendo neste período.
Fomos proliferando na genialidade criativa e nos alienando quanto ao entendimento da razão de nossas existências.
Daí a crescente violência interpessoal,onde não há a consciência da necessária parceria que verdadeiramente nos mantém com vida.
Portanto,coerência existencial é o entendimento harmonioso entre o ser matéria e o ser mente, é o equilíbrio das emoções determinando posturas,saúde e qualidade de vida.
É a busca do entendimento de sí próprio em relação à sua vida no exercício cotidiano da vivência.
Consciência existencial é passar a crer que somos infinitos em nossas grandezas individuais,com capacidade também infinita de interagirmos com o ciclo da vida, podendo a cada milionésimo de segundo proporcionar a tudo que representa a vida,vibrações preciosas de participação de luz, mantendo assim enriquecida a memória emocional do un…

PÃO COM MORTADELA

Ainda no embalo das recordações, vém em minha mente e, consequentemente, em minhas papilas gustativas o sabor da infância e da juventude que, de quebra, ofereceu-me por toda uma vida o sentido amoroso de respeito à qualquer alimento, desde que fosse cuidadosamente preparado, nem sempre, necessariamente, precisava ser doméstico.
O carinho e o cuidado com que minha mãe preparava as merendas dos filhos diariamente foi uma tarefa rotineira que ela conseguiu transformar em inesquecível, justo pela criatividade das junções dos sabores com a atenção afetiva.
Lembro-me, por exemplo, do pão de leite com sardinha, que ela amassava no garfo e misturava com um pouco de maionese caseira, que eu comia e me regalava entre uma dentada e outra, daquele manjar dos Deuses e uns goles apressados de guaraná da antártica, bem geladinho.
Nesse instante, me vejo uma garota de pouco mais de l3 anos, sentada em um dos degraus da arquibancada do Clube de Regatas Flamengo, na Gávea, lá no Rio de Janeiro.
Meu rostinh…

OBSERVAÇÂO DE UM AMIGO

Ontem, em uma reunião política que aconteceu na cidade de Nazaré das Farinhas, uma observação feita por um querido amigo, reportou-me, imediatamente, ao passado, exatamente à l968, quando, então, em lua de mel, fui conhecer as Minas Gerais, mais precisamente uma cidade chamada São Gotardo, que sequer constava no Mapa do Brasil da época e que estava a cerca de 330 quilômetros da capital, Belo Horizonte.
Naquela época, não havia asfalto na estrada principal de acesso e ainda me lembro que foi a minha primeira experiência em estrada de terra e, consequentemente, pensei que iria sucumbir com todo aquele poeirão vermelho, que exigiu antecipada vedação de três das quatro portas de nosso veículo.
Um verdadeiro horror, pensei na época, calada, para não magoar meu marido que, meu Deus, ninguém merecia nascer em um local tão atrasado.
Qual foi minha surpresa, ao constatar quando adentramos na cidadezinha que as ruas eram calçadas, as casas pintadinhas e, em sua maioria, com jardins bem cuidados.
No…

NARCISOS PERFUMADOS

Que coisa mais linda!
Imaginem vocês que em meio à toda essa chuva que tem castigado pelo excesso a tantas pessoas por esse Brasil a fora, inclusive por estas nossas bandas, aonde ela cai prá valer, sem dó e sem piedade, qual foi minha surpresa, hoje, logo cedinho, ao abrir a janela, lá estava ela, linda!
Flor de narciso.
Branquinha, se destacando entre as folhagens e exalando o perfume que mais gosto e que certamente me faz pensar que sou a mais feliz das criaturas, sentindo a vida em toda a sua grandeza.
Enquanto, absorta, admirava meu presente matinal, meus cachorrinhos, inquietos, pulavam e latiam, ansiosos para que eu abrisse logo a porta para que finalmente entrassem para mais um dia de soninho aquecido no tapete da sala.
Safados...
Enquanto isso, Raul, o peixinho do aquário, já aguardava também ansioso a ração matinal.
Lá fora, já que estiara, os passáros abusados apareceram fazendo arruaça, afinal, poderia voltar a chover a qualquer instante e eles precisavam aproveitar a breve estia…

RECICLA ITAPARICA, O ABANDONO...

Quase todos os dias passo pela entrada da construção onde deveria estar funcionando a central do projeto Recicla Itaparica, inaugurada pelo então gestor Sr.Cláudio da Silva Neves.
Compareci na qualidade de jornalista e registrei as instalações e as intenções daqueles que se empenharam na implantação do projeto e nos catadores que, esperançosos, acreditaram que a partir dalí poderiam crer em uma maior dignidade para suas vidas, carentes de quase tudo.
Três anos depois, o que resta é um esqueleto de tijolos que certamente aos poucos também serão roubados, fazendo lembrar por todo tempo a todos nós cidadãos que amamos e prezamos de verdade esta cidade e seu povo, todo o desrespeito que a gestão atual de Itaparica imprime, não só ao dinheiro público, mas principalmente ao povo sofrido e carente.
Não houve em nenhum momento empenho em prol da preservação, mantendo-se alguns guardas municipais e uma pequena comissão fiscalizadora, a fim de se preservar todo aquele inestimável patrimônio de re…

PENSANDO NOS JOVENS

Falar ou escrever sobre os jovens, pode até ser um pouco fácil, porque afinal além de já termos sido, ainda convivemos por todo tempo interagindo com eles de uma forma ou de outra.
No entanto, falar ou escrever para eles é complicado, porque precisamos encontrar o tom necessário à cada palavra, para que, no mínimo, sejamos tolerados e, com muita sorte, nossas ideias e avaliações sejam assimiladas, principalmente nos tempos atuais, onde a instantaneidade da comunicação nos empurra a todos a uma forma menos prolixa, mais objetiva, o que não é ruim, mas que abrevia em muitos momentos palavras e expressões chaves que em tempos passados despertavam emoções que aos poucos somos obrigados a admitir estarem desaparecendo do convívio diário de todos nós.
Com a ausência dessas emoções, também foi desaparecendo a afetividade interativa, tão necessária à convivência em qualquer instância da vivência humana em sociedade.
O reflexo desta carência pode ser constatada a qualquer instante, acentuadamen…

QUEM BUSCA, ACHA

Pedi, e dar-se-vos-à, buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-à. Porque, aquele que pede,recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-à.
Pois é, pensando neste capítulo do Novo Testamento, escrito por Mateus, discípulo de Jesus, ministrei uma palestra, dias atrás, para um grupo de jovens.
Em meus entendimentos filosóficos, procuro sempre inspirar-me na caminhada terrena do mestre Jesus, procurando por todo o tempo fugir de qualquer conotação religiosa, permanecendo atenta à tão somente ao homem em sua vivência terrena, abstendo-me do cristo salvador.
Procurei correlacionar esta sábia mensagem à violência da qual somos telespectadores nestes últimos dias, que envolve a jovem supostamente assassinada a mando do goleiro Bruno do Clube de Regatas Flamengo.
Preocupo-me por demais com a leviandade constatável nos atuais relacionamentos amorosos, que nada mais representa que a expressabilidade da falta de estrutura familiar em associação à debilidade educacional que vem …

VOTO CONSCIENTE

A noite de sexta-feira foi animada em Itaparica.
Jadilson, proprietário da Panificadora Gameleira e presidente da Associação Comercial, inaugurou seu espaço gourmet, tendo à frente o não menos querido Messias, conhecido e respeitado profissional da área. Registro, portanto, uma bela iniciativa que certamente oferecerá a todos nós uma opção de qualidade.
Mais tarde,Tereza e Elon promoveram em seu Bar Sabores do Mundo a primeira rodada de um Quiz que, afinal, para quem não tem obrigação de saber do que se trata, nada mais é que uma sabatina que pode ser em grupo, dupla ou individual.
Fizemos em grupo e foi bastante animado e por sorte Roberto, eu, Davis, Mary e Fred, ganhamos e como prêmio recebemos uma garrafa de um delicioso vinho argentino, que em seguida degustamos.
Os próximos acontecerão na primeira sexta-feira de cada mes, sempre com prêmios.
Vale a pena participar desta deliciosa interação.
Em uma contra partida desagradável, recebemos uma denúncia em relação
a um FIAT UNO NA COR AZUL…

Valha-me Deus...

No meu caso em particular, não existiu um momento, mas muitos, em que se eu tivesse tido tempo disponível gostaria de ter estudado Direito, até porque acredito que teria me auxiliado muitíssimo não só no andamento de um maior conhecimento aplicativo em minha vida cotidiana, como teria me auxiliado oferecendo subsídios a um maior entendimento na área emocional, que, afinal, sempre foi a minha grande paixão e, de quebra, certamente me teria sido muito útil no exercício do jornalismo.
Pois é, eu não fiz e, portanto, fico quebrando a cabeça sem entender o porquê de determinadas posturas que acompanho de delegados, promotores e Juízes em crimes que, para mim, leiga, são iguais ou pelo menos que infringiram as mesmas leis.
Posso entender que um acusado possa estar mais bem assessorado que outro, mas a lei deveria ser ter um entendimento, respeitando-se, é claro, as atenuantes. Contudo, o que é possível de se ver são ações totalmente contrárias ao racional de leigos como nós, que não conseg…

PARTICULARMENTE FELIZ

Impossível não ficar radiante frente à 2.703 acessos.
Dona Regininha, aqui escondidinha na querida Itaparica, longe de qualquer marketing, desprentenciosa, ser agraciada todos os dias por tantas pessoas, é uma alegria!
Meu blog não tem fotos, publicidade, não sou celebridade que faz sucesso em outras instâncias.
Apenas escrevo, e isto não é maravilhoso?
Quando eu poderia prever no decorrer de minha vida que eu seria assim tão prestigiada.
Portanto, só posso agradecer a essas lindas criaturas que ao acessar-me, transformam-me em uma criatura mais feliz.
Isto é ação do universo, conspirando a meu favor (diria Paulo Coelho), com a inspiração carinhosa de Deus,(completo,eu).
Um beijo a todos com todo o meu respeito
REGINA CARVALHO.

UM SÓ MOTIVO...

Acabo de ler a crônica de Aninha Franco, que escreve na revista Muito, no A TARDE de domingo.
Ótima, como sempre, sou sua fã incondicional, não só pelo seu estilo sucinto, objetivo, mas principalmente porque aborda sempre assuntos atuais com um toque de originalidade e fino humor, sem dispensar toda a seriedade necessária.
Neste domingo, ela aborda ”Entre a Copa e o copo”, onde com autoridade de quem sabe o que escreve nos coloca em sintonia com a nossa realidade política que, afinal, não desperta qualquer esperança de melhoras significativas, colocando na berlinda a deficiência da educação de nosso país, que década após década só tem despencado na qualidade, independente do partido e dos candidatos que estivessem governando o nosso país.
Aproveita para nos lembrar que, a partir de hoje, todos sem exceção dirão que fizeram isto e aquilo e que o sistema educacional muito cresceu em qualidade em suas gestões.
E aí, percebe-se nas ruas uma realidade bem diferente, onde o fracasso é visível.…

TEXTO PERDIDO...

Texto perdido

Ontem, enquanto curtia o meu jejum, escrevi um texto que publiquei apenas em parte, pois em uma manobra virtual errada quase perdi tudo. Coisas cibernéticas que jamais entenderei como deveria.

Neste texto perdido, lamentava-me mais uma vez pelo abandono que se pode constatar em Ponta de Areia, e para ser justa, abandono que se estende até Bom Despacho.

No entanto, vou cuidar do meu quinhão, cada um que cuide do seu, afinal, quem não sabe ou não gosta de escrever, ainda assim tem boca para reclamar, não é mesmo?

Todavia, o que se observa é um silêncio histórico, até mesmo os kombistas e motoqueiros estão caladinhos, segundo um disse me disse, é por medo de represálias do setor de transporte da secretaria de Infraestrutura.

Será mesmo?

Se for, ou os nossos secretários são muito poderosos ou nosso transporte está bastante fora das normas. Afinal, fora isto, medo do quê?

Tempos atrás, uma passeata do transporte foi abortada, dizem por causa de sérias ameaças, agora estão planej…

Pelo amor de Deus...

Que maravilha!
O dia amanheceu ensolarado, a princípio meio tímido, mas aos poucos foi ganhando forças até ficar pleno e então voltei a me sentir na Bahia e, é claro, absolutamente em casa, tanto que não quiz sair, preferi curtir o meu jardim, os meus cachorrinhos e o prazer de não fazer nada porque não queria e não porque chovia.
Sou complicada, reconheço, pois implico até com a metereologia.
Por outro lado, fiz deste hábito de não fazer nada, quando assim desejo, uma oportunidade de ficar totalmente quieta, como um jejum, só que de gente, de trabalho, do social.
Sei que amanhã estarei ótima, a todo vapor, prontinha para enfrentar mais uma estirada de meu cotidiano, mas enquanto o amanhã não chega, fico por aqui, silenciosa, observando o passar das horas, o cair da tarde, a chegada da noite, sem, no entanto, prescindir de meus escritos, combustível poderoso de minha vida, sem o qualnão sei o que seria de mim.
Gosto de minha companhia, dou-me muito bem comigo mesma, formamos uma agradável …

A QUASE TODOS NÓS

Confesso que esta chuvinha intermitente, que cria lama nas ruas, goteira nas casas, que nos impede de fazer caminhadas diárias, que prejudica o comércio, porque, afinal, quem quer sair de casa com este tempo horroroso?
Nesta semana, pelo menos aqui em Ponta de Areia, fez frio, a princípio gostoso por ser um clima diferente do habitual, mas que agora já começa a aborrecer, levando-me a desejar de todo o coração que aquele bendito sol que nos aquece por todo o tempo volte e rapidinho, pois já estou de saco cheio.
Nossa, ultimamente ando muito desbocada, por que será?
Volto ao passado e me lembro de meu pai que dizia ter adquirido direitos extras depois de certa idade.
Será que o mesmo está acontecendo comigo, pois reconheço que me sinto mais livre até para reconhecer que posso ousar mais em minhas opiniões a respeito de qualquer coisa, que antes eu ou me calava ou simplesmente colocava limites, pois em todas as ocasiões em que me dei ao direito de ser mais ousada, novamente confesso que da…

EDUCAÇÃO - As reflexões continuam...

É de se esperar que em um país onde o nível educacional é baixo, e que em um número específico de regiões é ainda pior, que as autoridades competentes cuidem para que não permaneça intacta a inconsciência eleitoral do voto.
Voto este, que permanecerá inconsistente a um real desenvolvimento humano social se não houver uma séria observância ao impedimento pelo menos de candidaturas de pessoas já condenadas pela justiça, assim como deveria agilizar os cumprimentos de ações já julgadas, impedindo que criminosos públicos permaneçam em seus cargos, prejudicando mais e mais com suas ações devastadoras.
A cada mes ou ano de não cumprimento destas condenações, os prejudicados diretos, que são o povo e suas comunidades, mais se flagelam e mais tempo precisarão para que consigam um restauro razoável.
Entretanto, o pior mal que se instala é justo a desolação, a desesperança, ficando cada cidadão insistantemente contaminado pela sensação de abandono e solidão sistêmica, que se expressa através de um…

Contemporâneo e coisa e tal...

Este friozinho gostoso, que me faz suspender os ombros encolhendo-me quase por todo o tempo, criando em mim uma preguiçinha pra lá de amigável, pois não me torna de tudo irresponsável , mas que com certeza me induz a não ter pressa de deixar as cobertas quentinhas, seja para fazer o que for.
Enquanto estico minha permanência na cama acolhedora, tomo uma xícara de café e leio a revista Veja, indignada com o espaço que foi oferecido à José Saramago ,escritor, prêmio Nobel de Literatura , primeiro e único da Língua Portuguesa.
Enquanto isto, na mesma revista, Monique Evans, de 53 anos, com igual espaço fala de sua depressão e dos gatinhos e gatões com os quais namorou e casou ao longo de sua tumultuada vida de artista indefinida.
Que coisa, heim!
Este conflito de valores indutivos, razão de minhas constantes observações, é que determinam posturas que, afinal, aos olhos e entendimentos daqueles que recebem tornam-se valores verdadeiros a serem copiados.
Nada contra as mulheres e home…

DEUS É BRASILEIRO

Meu Pai, que decepção!
Falar mais o que?
Só me resta colocar a viola no saco e esperar por 2014, que talvez, até lá, o universo nos brinde com algumas expressões reencarnadas ou vibrações dos ainda vivos, como Tostão, Nilton Santos, Gerson, Pelé, Carlos Alberto Torres e, talvez, quem sabe de um Garrincha, Leônidas, Ademir da Guia, Telê Santana e tantos outros que, afinal, em seus tempos de glórias, não ganhavam fortunas e tão pouco eram celebridades, mas com certeza eram astros maiores que nos encantavam, pois em campo mostravam os seus talentos e suas artes.
Nesta copa, mesmo pessoas como eu que nada entendem de futebol, puderam constatar uma equipe sem graça, sem garra, sem criatividade e sem qualquer brilho, fosse em grupo ou individual, com raras exceções, que pelo menos nos levaram sofridamente às quartas de final.
Por outro lado, em estágio de consolo, deixo escapar um sorrizinho maroto, por que pelo menos esta também o LULA e a DILMA e sua turma do PT não levam. Pela segunda vez o …