Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

VOCÊ SABIA ?

Estou aqui pensando no quanto o ser humano pode ser tendencioso, maldoso e absolutamente apático, quando é de seu interesse. Estou desde ontem, procurando nas redes sociais, uma palavra de reconhecimento, pelo magnífico abono que o Prefeito Raimundo da Hora, pagou aos funcionários da educação, oriundo do royalty. Afinal, corria pelas calçadas da maledicência que ele havia embolsado tudo. Que coisa, hein!!!!!! R$ 5.000,00 a mais nesta época é o mesmo que ganhar um prêmio, ainda mais quem ganha tão pouco como os nossos labutantes professores. Quem sabe, pelo menos um alguém, possa reconhecer este benefício não esperado e pouco provável. em uma época tão bicuda e abastecida de políticos tão desonestos.

FIM DE ANO

Neste final de ano, como faço normalmente, escrevo algo para postar no meu face e blog, com o único intuito de levar às pessoas que me leem, um pouquinho de mim e de meu amor à vida. Não que eu ache que elas precisem, mas com certeza eu preciso permanecer reverenciando a vida e esta, é a forma de oração que encontrei para agradecer o tudo de bom que consigo enxergar e sentir, independentemente das agruras que eventualmente, também estão presentes em meu cotidiano. E dentre as maravilhas que experimentei vivenciar em 2016, com certeza, o meu Roberto ao meu lado, dividindo cada segundo de vida, foi como sempre fundamental. Gosto desta foto, porque ela simboliza o tesão que jamais permitimos que esmorecesse, durante estes cinquenta anos de parceria de vida. O contato de pele e de alma sempre foi muito preservado e com certeza, nos estreitou e nos garantiu a bendita ternura, mãe amorosa da amizade, que é fundamental para reforçar e manter qualquer união de interesses amorosos, o que incl…

NEM SEMPRE É POSSÍVEL

Estou desde 2013 no face e escrevo quase que diariamente, principalmente, porque é o que gosto e sei fazer em se tratando de computação, pois também gostaria de postar fotos e mensagens, mas por incrível que possa parecer, não sei ou não me dispus verdadeiramente a aprender. O que sei é que sou ativa e estou sempre que posso, curtindo, compartilhando, dando opiniões, mas sempre muito cuidadosa em não invadir o direito de quem quer que seja, não por ser politicamente correta ou camuflando este ou aquele sentimento, mas porque acredito sinceramente que rede social é para trocar ideias e ideais, momentos e sentimentos. Todavia, o que gosto verdadeiramente é de escrever sobre os movimentos das criaturas humanas com seus valores neste mundão e nem sempre me é possível escrever o bonito, o belo e o encantador, até porque, o mundo se movimenta também com o feio, o mau cheiroso, o imponderável. E eu, criatura humana e não virtual, também sinto os malefícios de toda esta rudeza existente no …

MUNDINHO DE MERDA

São sessenta e sete Natais, diga-se de passagem, maravilhosos, pois, jamais me foi privado a mesa farta e uma família estruturada e unida, sinto-me profundamente envergonhada. Provavelmente, esta seja a razão, afinal, que fiz eu além de ser magnânima, boazinha e caridosa em datas especiais? No resto do tempo, cuidei de minha vida, nem sempre tão bem, porque também fui descuidada, crendo que por ser abastada nesta vida, estaria imune às intempéries advindas das convivências humanas que certamente me flagelaram de forma invisível, pois foram ferindo a alma, do passar do tempo com seus naturais desgastes físicos e, até mesmo, por longas décadas de minha total ignorância em não perceber o meu potencial de criatura humana. Sem ter a devida consciência, fechei-me em meu mundinho de merda, crendo-me infinita e dele saindo somente em momentos pontuais, como a maioria o fazia, tão somente, para desculpar-me por tanto ter, enquanto, infinitos outros, nada possuíam. Por todo os restinhos do tem…

“MOCORONGO”

Quem se lembra desta gíria? Ela foi muito usada até os anos sessenta e significava algo sem elegância, gosto, totalmente fora de contexto. Geralmente era direcionado às pessoas que não sabiam como, nem onde usar roupas adequadas em cada lugar. Pessoas “mocorongas” também eram aquelas que gostavam de exibir suas joias, casas e carros em excesso, bem próprio dos novos ricos, o que é, ainda, possível de ser encontrado nos dias atuais, até mais que antigamente, pois a vaidade dos inúmeros proletários que ascenderam a poderes e dinheiro, fez nascer uma nova casta brasileira que precisa exibir as conquistas como se cada uma fosse uma bofetada que oferecem a uma elite cretina que, até então, os escravizava. E aí, o festival dos horrores do mal gosto é encontrado em qualquer lugar e a qualquer hora, servindo de parâmetros a outros que passam a sonhar as mesmas perspectivas, destoando cada vez mais o belo e o adequado, que certamente é o simples e o sempre menos em relação a qualquer ostenta…

MAIS EMOÇÃO, POR FAVOR

Estou aqui pensando no quanto é gratificante quando nos atemos ao simples fato de que somos ainda capazes de nos emocionar, seja na observação de um pássaro que decidiu bailar à nossa frente ou por uma tragédia com pessoas que sequer conhecemos. Esta impressionante capacidade amorosa, e que chega geralmente a nos provocar algumas lágrimas, é que faz de nós criaturas especiais neste mundo, sempre tão confuso, justo por ser absolutamente diverso. Talvez por isto, ainda nos sintamos tão profundamente ofendidos quando a indiferença ou a grosseria nos toca sem aviso prévio, sem qualquer razão que a justifique. Estamos vivendo épocas de mudanças de hábitos de convivência, onde os “velhos valores”, com os quais nos formamos como criaturas humanas, estão sendo atropelados e imediatamente substituídos por ações e reações de um novo mundo, que chega a cada instante, com infinitas novidades, não nos dando sequer tempo para avalia-las, criando em cada um de nós, uma sensação de estarmos sós em …

ALÉM DE MIM...

Descendo a escada já posso enxergar toda a luminosidade do sol invadindo a sala e penso que ainda é muito cedo. Os micos e pássaros já orquestram seus sons e a vida, então, se mostra despudorada em toda a sua beleza. Diante deste esplendor que jamais se repete, apenas se aperfeiçoa, penso em nós seres humanos e na nossa incapacidade milenar de utilizar tantos subsídios recebidos, justo para também, de certa forma, copiar a vida, buscando não específicas evoluções, mas um aperfeiçoamento global, onde verdadeiramente pudéssemos nos inserir a ela de forma mais suavizada e, portanto, mais coerente. Paro diante do espelho que me espera ao pé da escada silencioso a cada amanhecer, e olho para mim mesma, como sempre faço, buscando resgatar a preciosa ingenuidade, há muito perdida, na esperança de fazer brotar em mim, mais que desejos, mas a sensação bendita de me ver mais humanizada, mais generosa frente aos absurdos com os quais convivo, não julgando, não querendo mais entender, apenas ace…

O Senhor Jesus...

O Senhor Jesus foi meu companheiro por toda a minha vida, até mesmo, quando sequer eu tinha consciência de sua energia em mim. Descobri-lo foi quase um espanto de alegria, se ainda eu não estivesse contaminada pelo medo sempre aterrorizador de me permitir sentir a vida em toda a sua potencialidade. Com o passar do tempo, tudo foi se harmonizando até o ponto dele e eu ficarmos tão íntimos que nos é impossível pensar sequer numa breve separação. Senti-lo nesta convivência, hoje é tão natural quanto o ar que respiro, quanto o sorriso que me caracteriza, quanto o sono que me relaxa. Junto a Ele, perdi o medo e abracei a vida.

RECADINHO

Entre os espinhos que te abrigam, fazendo de teu caule, uma armadura, existem os botões que te adornam, prometendo um renascimento de ti, para o meu encantamento. Às vezes, surges solitária, esguia e imponente e diante de ti, todo o meu espanto por tamanha beleza, mas quando, morres, uma parte de mim se vai contigo, num colóquio apaixonado de um amor sem fim. Um domingo iluminado para você que me lê, neste instante.

OS ACORDOS

A visão lógica do povo, jamais vai de encontro aos interesses pessoais e políticos, daí a constante frustração, até porque, dentro do entendimento simplificado dos cidadãos, o certo e o errado são absolutamente distintos, mesmo em um país como o nosso, onde o jeitinho se tornou figurinha fácil. O cinismo do senhor Renan Calheiros, mostra com uma clareza que faz doer, o quanto, nós povinho simples e sem tradição cívica, somos desconsiderados, trapaceados e ridicularizados pelos senhores dos poderes que nos governam. Isto me faz lembrar um comício onde um então deputado federal, quando alertado de seu atraso em subir no palanque, respondeu: - AH! Eles podem esperar... enquanto termino meu whisky, coloque outra vez a música “fuscão preto”, porque o que eles mais querem é dançar. E depois de proferir esta maravilha de abuso, soltou uma sonora gargalhada, que foi seguida por alguns de seus pares e puxa-sacos presentes. Nesta época, eu era ainda uma jovem repórter do Diário de Brasília e j…

A CONSTITUIÇÃO QUE FAVORECE A POUCOS

A decisão do STF, foi certíssima, pois amparou-se, tão somente, na Constituição. Todavia, não se pode deixar passar batido, a contínua violação da mesma, na conduta de nossos políticos em detrimento direto do país e de seu povo, que dizem ser soberano. Algo precisa ser feito em várias áreas funcionais, apesar de reconhecer que muito já tem sido feito até mesmo, de forma inédita, mas precisamos ser mais ágeis e amplos na aplicabilidade das leis que são violadas e amparadas pela Constituição. Essa matemática , eu que sou povo, não entendo, apenas creio não estar certo, dois pesos e duas medidas. Acreditando que precisamos muito rever a nossa Constituição para que verdadeiramente, seja uma aliada do cidadão brasileiro e não apenas de nossos políticos, que antes de tudo, deveriam honrá-la e não apenas, usá-la aos seus interesses pessoais e políticos. Pragas como Renan e tantos outros vampiros da República, deveriam receber a mesma consideração constitucional de qualquer cidadão brasileir…

PRECONCEITO - CHAGA MALDITA

Jamais neguei a realidade da existência cruel do preconceito de qualquer natureza, fazendo-me de ingênua ou coisa que o valha, todavia, ressalto sempre em minhas palavras, sejam escritas ou faladas, que o combate a esta chaga da natureza humana só surte efeito concreto se vier através de uma educação existencial de valorização da vida, do outro, do tudo, mas principalmente de si mesmo. Falo que é uma chaga da natureza humana, pois ela é fruto maduro da arrogância que faz parte das características da personalidade, independentemente da cor, da escolaridade e da condição social e econômica, afinal, não é difícil de se encontrar pessoas extremamente simples nesta atitude, usando-a explicitamente como escudo protetor, pois a fragilidade psíquica, não escolhe ou classifica. Aliás, na crua realidade, o ato preconceituoso é sempre uma postura covarde de todo aquele que por não saber vivenciar em harmonia com as diferenças, se escudam com as atitudes arrogantes, fingindo-se melhores e super…

Santa Bárbara-Santa Bárbara- Reprodução de texto original

Sofreu o martírio provavelmente no Egito ou na Antioquia, por volta dos anos 235 ou 313. Sua vida foi escrita em diversos idiomas: grego, siríaco, armênio e latim. Conforme a lenda, Santa Bárbara era uma jovem belíssima. Dióscoro, seu pai, era um pagão ciumento. A todo custo desejava resguardar a filha dos pretendentes que a queriam em casamento. Por isso encerrou-a numa torre. Na torre havia duas janelas, mas Santa Bárbara mandou construir uma terceira, em honra à Santíssima Trindade. Um dia, entretanto, Dióscoro viajou. Santa Bárbara se fez então batizar, atraindo a ira do próprio pai. Fugindo de seu perseguidor, os rochedos abriam-se para que ela passasse. Descoberta e denunciada por um pastor, foi capturada pelo pai e levada perante o tribunal. Santa Bárbara foi condenada a ser exibida nua por todo o país. Deus, porém, se compadeceu de sua sorte, vestindo-a miraculosamente com um suntuoso manto. Padeceu toda sorte de suplícios: foi queimada com grandes tochas e teve os seios cort…

IANSÃ – CADÊ VOCÊ?

Quem convive comigo sabe que não frequento qualquer tipo de religião, mas que estou sempre pronta a estar com qualquer uma delas se o assunto for levar amor, conhecimentos e noção de sustentabilidade de vida às pessoas. Acredito que figuras como Santa Bárbara e tantos outros que, representarão sempre o melhor em todos os sentidos da espécie humana, não são exclusividade desta ou daquela religião, pois se tornaram universais pelas suas próprias condutas existenciais. Particularmente, costumo dizer que tenho um forte esquema de segurança pessoal, absolutamente de graça, precisando apenas, honrá-lo a cada instante, mediante as minhas intenções e ações para com o meu próximo e com a vida em si e, quando, derrapo nos vícios comportamentais sistêmicos, corro para redimir-me, pois sem esta proteção espiritual, tudo certamente, seria bem mais difícil em minha vida. Que a devoção a Santa Bárbara, Iansã, ou seja, lá o nome que lhe queiram dar, permaneça como um respirar constante na vida de ca…

"COJONES”

São 4 horas da manhã, os pássaros já começaram suas cantorias e eu, como de costume, já estou bem acordadinha, tecendo minha interminável colcha de retalhos sistêmicos, onde a passionalidade emocional dita a lógica, seja lá do que for. Por que faço isso? Sei lá, provavelmente porque, ainda bem cedo em minha vida, descobri-me apaixonada por gente e comecei a me colocar como se fosse num jogo no lugar delas e a perceber, com o passar do tempo, que as minhas atitudes,assim como as delas, não mudavam, apenas se repetiam como cópias decoradas e bem representadas em suas nuances e características pessoais e culturais. Fui percebendo que muda-las, também ao longo da vida, algumas pessoas precisaram de muita disposição, interesse momentâneo e, acima de tudo, uma dose cavalar de vontade voluntária, que na realidade só se manifesta se houver bastante conhecimento dos malefícios pessoais que advém da incessante busca do impossível em querer-se mudar o já solidificado nas sociedades. E aí, haja…

O maior cego é o que não quer enxergar

Velho ditado, velha sabedoria daqueles que foram um pouco mais além da visão corriqueira. Durante dois dias, precisei circular por Salvador, claro que sempre num bom carro com ar condicionado e ainda assim, cruz credo, não via a hora de voltar para a minha amada Itaparica, determinada a brigar com qualquer um que venha me dizer que a cidade está um caos. Naturalmente que vou concordar sempre que neste local simplesmente maravilhoso, não deveria existir algumas mazelas históricas, principalmente a miséria, o analfabetismo, a fome, o lixo a cada esquina, assim como também vou concordar que durante anos fomos sistematicamente abandonados pelo governo do Estado e que por esta fundamental razão, a violência vem crescendo no mesmo ritmo, obrigando-nos a gradear cada vez mais as nossas residências e comércios. Também vou lamentar que nossos gestores tanto do executivo quanto do legislativo, poderiam ter-nos oferecido bem mais e que nós, população, deveríamos ter cobrado também bem mais, nã…

DESVIANDO ATENÇÃO

Se tem uma postura que sempre me aborreceu bastante é a da criatura que vive apontando o dedo para outro (s) e afirmando sem qualquer base de fundamentação, que ele é ladrão, safado, etc. e tal. Reza a lenda que toda criatura que assim procede, retira de si todas as possíveis atenções e as direcionam para o que lhe parece ser um alvo mais fragilizado e propício a se ferrar, encobrindo, assim, todas as mazelas culposas de si mesma. Isto também acontece na vida privada, nos ambientes de trabalho ou em qualquer lugar onde existam pessoas, disputas e, é claro, a falta de consciência da ética e da estética comportamental. O problema da corrupção brasileira é tão velho quanto o país e não será, apenas, prendendo que o problema acabará, se bem que é um passo importante e inédito que precisamos aplaudir e apoiar, todavia, se aliado a isto não houver uma mudança de postura do povo, quanto a fiscalização e cobrança constante de seus eleitos, tudo voltará a ser como dantes, no quartel de Abrant…

COMO É DIFÍCIL...

Fico aqui pensando, enquanto olho as letras do teclado do computador, o quanto é difícil emitir opiniões isentas das emoções, oriundas das influências politicamente corretas, onde dogmas religiosos estão embutidos e onde a hipocrisia humana se veste de moralidade para, então, determinar o certo e o errado. Falar de aborto, assunto tão polêmico e complexo sem colocar Deus e o pecado como tônica, é um desafio e, ainda por cima, julgar quem o praticou é sempre um enorme risco de se estar desconsiderando inúmeros fatos que permeiam a vida humana de milhares de mulheres mundo a fora, reduzindo-as tão somente a um bando de irresponsáveis assassinas. O Brasil registra anualmente cerca de um milhão de abortos, o que garante que cerca de uma a cada cinco mulheres o pratica e isto é assustador, queiram ou não as Igrejas admitirem, exigindo delas e de seus seguidores uma maior reflexão a respeito de tão sério assunto. A cada nove minutos, morre uma mulher por aborto clandestino, o que vem prova…