Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

VONTADE VOLUNTÁRIA

São tantas as compreensões que fui adquirindo ao longo de minha vida, formando uma enorme bagagem de conhecimentos, e em certos momentos como agora, sinto que nada, absolutamente nada, sei ou sou capaz de compreender frente à complexidade do raciocínio humano.
Olho ao redor e me surpreendo com as posturas das criaturas que estão cada vez mais fragilizadas, como reflexo de suas emoções que, confusas, se mascaram, sabotando sentimentos, ideias e ideais em um ritmo acelerado o suficiente para não deixá-las pensar.
Como, então, seria possível a mim, ou a qualquer outro, fazer uma análise mais apurada, se tempo habil não há, diante de tantas camuflagens?
Analizar-se-ia, assim, o transmutar de cada uma delas, se tempo houvesse, mas como não existe, resta o cuidado quanto à observação detalhista, que por diversificar-se sem critérios, cria, então, um abismo que confunde mais que esclarece, fazendo com gente como eu, apaixonada pelas emoções caracteristicas dos comportamentos humanos, sentir-se…

DEMOCRACIA E COISA E TAL

Hoje,acordei pensando em democracia e no quanto somos ignorantes a respeito dela, apesar de tê-la na ponta da língua sempre que nos convém, adaptando-a aos nossos interesses, crendo, e aí, acredito de forma sincera que estamos sendo fiéis ao seu conceito e objetivo maior que é manter os principios da soberania popular e da distribuição equitativa do poder.
Pois é, infelizmente se fosse só isto, tudo estaria razoávelmente bem. Entretanto, na realidade as coisas se confundem, até porque não somos devidamente orientados nas escolas quando necessário à partir da alfabetização e muito menos nos nossos lares, onde o mais importante é nos ensinar a ser alguém, o que nos dias atuais é o mesmo que dizer sobreviventes, e neste item, certamente daria para escrever um compêndio, frente ao infinito diversificado em que se encontram os conceitos sistêmicos que transformam alguém em alguém.
Que coisa, heim?!
Bem, na falta de parâmetros concretamente verdadeiros, cada qual cria o seu, tão somente usand…

É ISSO AÍ...

Que delícia poder lembrar de fatos assim nem tão antigos, mas que se tornaram eternos nas emoções que se formaram dentro de nós.
As fotos, os filmes, quando revistos, são como o abrir de janelas das recordações, fazendo-as ficarem mais vivas e se fecharmos os olhos, respirando bem fundo, certamente seremos capazes de reproduzir aquele instante que foi mágico, excitante, fazendo-nos vibrar.
Que bom, não é mesmo?
Pois foi exatamente isto que senti hoje pela manhã, quando deparei-me com algumas fotos da campanha eleitoral de 2004 em que não participei, mas que me remeteu a outra em que mergulhei de cabeça e onde fui muito, mas muito feliz, pois me permiti sentir novas e emocionantes sensações.
Aos quase sessenta anos, vi-me incansável em cima de um trio elétrico vibrando como uma jovem entusiasmada, deixando o suor bendito escorrer, revigorando energias de um CORPO, de UMA ALMA e de um CORAÇÃO que só queria ser feliz.
Penso, então, que de verdade somos os nossos próprios regeneradores, capac…

AINDA EMOCIONANDO

Venho percebendo que na medida em que envelheço, mais e mais recordo-me de fatos passados em minha juventude, crendo que seja um retorno necessário, como se fosse uma busca constante de parâmetros frente a realidades que então vivencio, que ora me chocam, ora me entristecem, ora me fazem pensar no quanto tive o privilégio em vivenciar minhas etapas de experiências de vida com imensa suavidade.
Lembro-me, por exemplo, do beijo que dei em meu primeiro namorado aos l5 anos e que, de tão emocionante, ainda me faz sentir o espetáculo que ocorreu em todo o meu ser de menina-moça se abrindo para os sentidos de seu próprio corpo, mente e sentidos em uma comunhão amorosa da natureza com o despertar da sensualidade, tão absolutamente natural que me faz estremecer quando vejo os jovens de hoje se entregando como mercadorias tão somente expostas para ser consumidas.
Ainda posso sentir a boca carnuda e o hálito quente daquele beijo infantil, mas absolutamente maduro para iniciar dois lindos e ingênu…

FILHOS DA VERGONHA NACIONAL

"Aluno agride coordenadora com socos e pontapés no interior de SP
Agressão ocorreu na porta da escola, em Franca, na terça-feira (25).
Escola de Ribeirão Preto também registrou caso de agressão".



"Aluno atingido por apagador em SP diz temer volta para escola
Nesta quinta-feira, o garoto foi submetido a um exame de corpo de delito.
Família diz que menino de oito anos nunca teve problemas de indisciplina".


Estou começando a ficar preocupada com os constantes destemperos que alguns professores vem tendo em sala de aula com seus alunos, através de atitudes agressivas de irritabilidade frente ao descontrole da classe.
Não que para mim seja surpresa, afinal, venho acompanhando ao longo de pelo menos duas décadas e meia a falência sistemática do sistema educacional de nosso país, além de fazer constantes alertas através de meus escritos, seja nos jornais nos quais trabalhei, seja em palestras, onde tive a oportunidade em me expressar para pais e mestres, seja através de meus liv…

QUE "POBREMA"...

O assunto em pauta no momento é a copa do mundo que acontecerá na África do Sul. Enquanto isso, o Brasil empresta (a fundo perdido) 120 milhões de dólares para a Grécia, que se encontra em crise econômica, e por aqui, a nossa polícia não dispõe de armamentos e veículos, a educação e saúde estão cada dia piores, mas as vendas de geladeiras, fogões, tanquinhos e todos os aparatos que determinam a mudança de categoria na pirâmide social só vão aumentando.
Se não bastasse, o nosso Secretário de Justiça ou o papai dele, que é nosso ministro, deve ter pisado no calo de gente muito influente e aí, pau nele.
Relato alguns itens em um universo gigantesco no qual nem eu e nem você temos noção, então, ambos permanecemos como tolos, achando que somos antenados, peritos nisto ou naquilo, quando na realidade nos esforçamos arduamente para não ficar tão somente como robôs teleguiados até mesmo no mundinho absurdamente restrito no qual vivemos e convivemos.
Esforçamos-nos para entender nem que seja um…

QUAL NADA!

Nesta manhã de domingo acordei pensando no quanto tenho exercitado minhas emoções a permanecer mais, digamos, equilibradas, não como uma necessidade prioritária, tão somente para um mais suave convívio social, mas principalmente para o convívio com toda a minha estrutura pessoal.
Descobri o óbvio da auto-análise de forma consciente acerca de mais ou menos dez anos e, de lá para cá, tenho empreendido árduas batalhas em prol de um aprimoramento que ainda está a anos luz de ser atingido, mas que já me oferece uma qualidade vivencial explicitamente mais favorável, permitindo-me, de forma progressiva, identificar tudo quanto penso, falo, faço ou aceito que me seja absolutamente inadequado.
Praticar este exercício de reconhecimento individual, trouxe-me gradativamente uma necessidade em reconhecer-me cada vez mais em todos os aspectos que posso vir a apresentar e conseqüentemente mostrou-me que nada posso representar nesta vida, seja para quem for, se não houver o entendimento de que em qu…

Como é bom, meu Deus!

Estou com os olhos fechados, escutando lá fora a chuvinha miúda esparramando-se nas folhagens e penso, então, no quanto eu gostaria de estar entre as folhas para me banhar se não estivesse resfriada.
Lembro-me da sensação inesquecível de frescor e liberdade nas inúmeras vezes a que me dei a este prazer, que começou ainda menina, segurando a mão de minha mãe, ambas molecamente fingindo fugir da chuva que inesperadamente começara a cair nas areias da praia.
Mais tarde em Guapi-mirim, em várias etapas de minha vida, algumas vezes corri, fingindo fugir da chuva, o que na realidade era tão somente um ritual fantasioso onde apenas deixava-me molhar em uma entrega absurdamente total.
Como era bom, meu Deus!
Sentir o cheiro da grama molhada que se deixava afundar sob o pisar de meus pés e de braços abertos abraçar por instantes o tudo de bom que o aparente vazio representava e que me abastecia e me fortalecia para o enfrentamento dos fatais desertos que o cotidiano ofereceria.
O fascínio pela c…

ACORDEM … MENINOS !!!!!

Semana passada meu marido e eu comparecemos a uma reunião à noite em Conceição, onde o Prefeito Magno e sua equipe de governo iria, como já havia realizado em outras localidades de Vera Cruz em 2009, fazer uma prestação de contas de suas atividades, assim como ouvir os líderes comunitários em suas reivindicações.Apesar de não termos sido oficialmente convidados, comparecemos certos de que obteríamos informações valiosas a respeito não só daquela comunidade como um perfil mais atualizado das ações da atual gestão. Portanto, estávamos na qualidade de jornalistas e, como tal, permanecemos atônitos, diante do quadro de desrespeito que se figurou alí, cara-a-cara, sem que houvesse um só assessor que intervisse a fim de coordenar as manifestações truculentas de cidadãos visivelmente insatisfeitos, que não pouparam franquezas e injúrias à autoridade maior do município.Infelizmente, o Prefeito Magno se viu sozinho e fatalmente cometeu o erro primário de desconsiderar uma platéia que coment…

VOZ CONSTANTE (vale a pena relembrar)

Os órgãos de comunicação como jornal, rádio, TV, revistas e etc existem para
ser o registro dos acontecimentos, fazendo assim, sobreviver a história do cotidiano de um local específico ou global da humanidade. Entretanto, ele não sobrevive por si só.
É preciso que a sociedade a qual representa, participe ativamente, não desconsiderando jamais o som da sua voz como ponte entre o fato e o cidadão.
Infelizmente, percebe-se que onde não há o respeito à imprensa também não se tem respeito ao cidadão em seus mais primários direitos democráticos, alimentando desse modo a desinformação que gera a ignorância do conhecimento dos seus próprios direitos e deveres.
Em abril de 2003, fizemos circular a primeira edição do Jornal Variedades, empreendendo uma árdua luta de sobrevivência, levando-nos a pensar a cada edição que, ao invés de jornalistas, havíamos nos tornado mendigos da cultura e da informação. Em raras ocasiões fomos agraciados com o apoio deste ou daquele gestor, e quando fomos, dobramo-…

LEMBRANÇAS

Passo a maior parte de meu tempo, seja livre ou não, observando e registrando mentalmente tudo que vejo e  sinto, não de forma agressiva ou proposital, mas absolutamente natural, o que há muito deduzi ser de minha própria natureza, que jamais rejeitei e que ainda bem cedo, pelo que me lembro desde os oito a dez anos, através do convívio muito íntimo que passei a travar com a natureza .Em Guapimirim, junto ao meu riacho encantado de mil sons,  também produzidos pela cachoeira que jorrava incansável aquela água geladinha que me fazia a princípio arrepiar e que, logo em seguida, me fazia esquecer do restante do mundo, ficando apenas e tão somente buscando o que naquela época eu não sabia definir, mas que bem mais tarde compreendi que seria a busca de mim mesma  em meio à toda aquela grandeza.Lembro que eu me sentia  parte tão integrante de tudo aquilo que  não raras foram as vezes em que me vi uma folha, uma flor ou uma das centenas de pedras que ornavam o piso do riacho, nas quais milha…

UMA CHANCE PRA VOCÊ

Há alguns dias, nada escrevo, pelo menos que de alguma forma sirva de entretenimento à outros. Hoje, no entanto, apesar de não ter nada de específico, coloco-me à disposição da inteligência universal para, quem sabe, deixar fluir  meus pensamentos armazenados em meu subconsciente, e aí, até poderá surgir algo interessante que de alguma forma seja do interesse deste ou daquele  seguidor que diariamente me prestigia.Nestes instantes de pura dedicação literária, percebo imagens mentais de assuntos diversos que na realidade fazem parte de meu arquivo de  memória e sinceramente  não vejo muita originalidade, levando-me a crer que tudo é uma eterna repetição, se bem que com aparência diferenciada. Afinal, ao pensar que já escrevi sobre quase tudo, coloco-me em uma posição de arrogância indesculpável e, então, forço-me a uma espécie de exercício emocional, onde não reside qualquer sentimento de culpa, mas uma consciência plena de minha inadequação e da necessidade em posturar-me de forma mai…

GENTE QUE FAZ

Elizabete de Melo Guedes Linda, professora primária, fazendo desta árdua e tão pouco valorizada profissão, um caminho repleto de iniciativas brilhantes. No ano de 2009, desenvolveu em conjunto com o não menos talentoso, professor Railson Oliveira, o projeto de ambos, chamado “Escola em Cena”, que foi apresentado na Comunidade de Amoreiras.Trata-se de um projeto que merecia ter recebido apoio público mais consistente, já que é notório a carência cultural e afetivas de nossas crianças. Infelizmente, neste ano até o momento não houve apoio para que o mesmo voltasse a ser implantado, ficando aqui um apelo a algun comerciante ou amigo de Itaparica que queira abraçar esta  iniciativa, que certamente ajudará e muito a evitar o aumento da violência que existe envolvendo jovens delinquentes. O investimento é muito pequeno, se avaliado for os benefícios que dele advem.Vamos, portanto, apoiar a quem de verdade quer realizar.

FAZENDO PARTE DA HISTÓRIA

É,  parece que foi ontem, mas já fazem seis anos que esta família de idealistas, editou a primeira edição do JORNAL VARIEDADES, após um ano de pesquisa de mercado, visitando cada pedacinho dos municípios de Itaparica e Vera Cruz e tendo a oportunidade, assim, de conhecer bem de perto o jeito de ser deste povo simples, repleto de cultura nativa e extremamente acolhedor que, como já escrevi anteriormente, abriu braços e coração a nós e à nossa iniciativa em promover um veículo de comunicação que se propunha a registrar todos os acontecimentos do seu cotidiano para, então, servir no presente como um elo  interativo entre os dois municípios  e no futuro como fonte histórica para estudos e enriquecimento cultural.Infelizmente, em raras ocasiões conseguimos que os gestores de ambos municípios conseguissem compreender a magnitude do objetivo deste trabalho  e que reservassem uma fatia por menor que fosse para que o mesmo se desenvolvesse com mais riqueza de detalhes, mas tudo bem… Se por um…

PROCURA-SE SANTIDADE

ATENÇÃO...
Senhora de saco cheio, do marido é claro, digo do saco, procura com urgência, urgentíssima, Mãe de Santo, Pastor, Padre, Curandeiro, Guru ou qualquer outra linha direta com o Divino, que possa interceder a favor de uma intervenção municipal em Itaparica, mas que tenha Santidade comprovada, para ao chegar para a audiência Divina ser colocado na sala Vip de atendimentos preferenciais, pois a urgência é do tamanho do estrago possível de ser observado até pelos ceguinhos da região, que, além de cegos, breve estarão paralíticos ou no mínimo capengas, devido aos buracos que estão se tornando crateras ou buracos negros do DIABO, designação à bem sucedida área da infraestrutura que se aprimora a cada instante no sentido de reiterar as palavrinhas que foram cantadas por ocasião das eleições passadas em que o candidato em questão e atual gestor dizia que iria ensinar ao outro e à turma dele a administrar.
Pois é... E eu não sabia na ocasião que administrar para essa gente era justo abr…

Coisinhas delirantes

Existem dias como o de hoje e tantos outros que já vivenciei nesta minha vida, que sinceramente gostaria de estar em estado no mínimo de coma, para não ter que senti-los.
É depressão mesmo, cansaço, vontade de estar distante de tudo e de todos e sem qualquer resquício de arrependimentos ou sentimentos de culpa. Olho ao meu redor e até com o computador implico.
Será que só eu sinto isto ou em regra geral este mal estar ataca a qualquer um?
Sei lá...
Tem quem diga que não, aliás, em conversas sociais, todos nos parecem tão normais, politicamente corretos, livres de problemas existenciais. Suas vidinhas nos parecem sempre tão perfeitinhas, coloridas e recheadas de tudo. Por que será, então, que o consumo de psicotrópicos para aliviar o "STRESS" aumenta a cada dia, assim como de todas as demais drogas que se tem notícias?
Afinal, tanto tráfico necessita de muitos usuários, não é mesmo? Ou por acaso ainda há quem pense que somente os filhos dos outros, levados ou desviados, é que se…