Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2018

SEM AVISO PRÉVIO

A morte chega muitas vezes sem aviso prévio, provavelmente para nos alertar a brevidade da vida e a necessidade sempre urgente de tão somente dar-se crédito ao prazer da convivência pacífica e respeitosa a partir de cada criatura humana no discorrer de seus momentos presentes, que são únicos e absolutamente intransferíveis. As perdas próximas são mais representativas porque possuem rosto e características de afinidades que nos despertam para a realidade empírica de nossas finitudes. Que Deus em sua misericórdia e o universo em sua grandeza de potencialidade nos ampliem a compreensão da importância de estarmos vivendo, livrando-nos da inconsciência que tira de nós a plenitude, que nada mais é que a certeza de sermos privilegiados por estarmos respirando e sorvendo o bendito ar que tudo propicia e alimenta.


PALHAÇA

Chora, palhaça da vida Pedida, iludida Cansada e tão só.
Chora, poetisa falida Contista sofrida Soneto sem rima De uma vida fugidia.
Lamenta, procura, espera Cala, consente, permite Sofre, consola e se irrita Pede, rebate, defende.
Forte, bonita, sadia Árvore erguida, majestosa Pássaro caído, doído Asa quebrada, coitada. Canta, sorri, dança Chora, se dobra, rola Pede, implora, suplica Morre, revive, reprime.
Chora, palhaça da vida Grita, ataca, agride. Cala, consente, permite Como uma palhada da vida.
Quem sabe um dia revide As crueldades que lhe impõem E aí, quem sabe, se sinta alguém E não mais uma palhaça da vida.
Poema escrito em 1974 – Brasília- 23.00hs Parte do livro Força Estranha- Regina Carvalho


ANOS LUZ DE ATRASOS

E aí, nos nossos papos no café da manhã deste domingo ensolarado, falamos dos filmes e seriados que assistimos desde sempre, porque gostamos, relevando mais uma vez os absurdos referentes ao nosso atraso em todos os níveis em relação aos países desenvolvidos e que, em sua maioria, não possuem o nosso espaço territorial e muito menos as variedades de riquezas naturais. Observamos que quaisquer cidadezinhas, principalmente nos filmes de quase 100 anos passados, eram mais bem estruturadas que as nossas de hoje, pois existe um princípio básica na formação de um distrito ou município, a fim de balizarem suas existências que visam, em primeiro lugar, o bem-estar de seus moradores. Geralmente, as pessoas assistem os filmes e não observam este detalhe de infraestrutura num comparativo com o que possuem em suas realidades, e isto é impressionante se olharmos com a visão analítica da alienação cidadã que comanda nosso grau de conscientização de valores sociais. Qualquer cidadezinha com dois ou trê…

GOVERNO X POVO

Numa gestão pública municipal, o todo se fraciona em secretarias e cada qual tem seus próprios recursos e deveres, uma independentemente da outra, mas todas se interligam num só objetivo que é o de promover o bem-estar da população. Por outro lado, existe o povo que elege um grupo de vereadores com duas específicas atribuições, verificar o adequado andamento da gestão executiva no seu fracionamento, verificando se suas atuações individualmente se completam no todo de forma constante e eficaz, e a de promover projetos de lei em benefício do município. O que ocorre, e que inspira tantos desencontros, é justamente a falta de cumprimento das metas estabelecidas pelo executivo, não de promessas de campanha, mas referentes às normas constitucionais, assim como a não atuação devida dos vereadores, deixando o povo desprovido de proteção e levando o cidadão a fazer o papel que é deles por obrigação de contrato constitucional. E aí, o executivo e o legislativo se unem silenciosamente, geralmente e…

Por onde andas, meu Deus!

Ouvindo esta música, penso em todos nós e na loucura social que estamos vivendo, no absurdo das derrocadas de valores que por milênios ampararam os seres humanos, oferecendo limites de convivência e respeito humano, criminalizando-os, como se fossem responsáveis pelos excessos que sempre existirão, esquecendo-nos das outras tantas maravilhas que eram proporcionados pelos mesmos, trazendo-nos uma imensa violência jamais vista em todos níveis, sem ao menos, termos a noção exata de seu porquê. Pouco a pouco estamos perdendo o senso avaliativo, justo porque os benditos parâmetros se perdem em meio a uma enxurrada contínua de modismos ideológicos, que a muito deixaram de ser lutas devidas para se transformarem em espadas cortantes de um igualitário direito de ser o que se é, e que ao invés de nos fazer evoluir, nos mata ou nos corrompe com a vestimenta variada do ouro dos tolos. Choro até cansar, na esperança de que Deus me ouça e me faça compreender os propósitos dele ao permitir tantos des…

INTERPRETANDO

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Ou seja: desenvolver um bom trabalho pelo qual foi designado em determinada área de atuação, não exime ninguém, muito menos um gestor público, de receber cobranças em outras áreas menos atendidas, pois, para tanto, o mesmo se cerca de possibilidades gerenciais.
Ainda me lembro, e não faz muito tempo, que particularmente fiz exaltação aos trabalhos de restauração da educação em nosso município, assim como louvava os esforços desenvolvidos pela equipe da saúde no atendimento à população, além de recriarem programas como o CASI e o CAPS, sob nova roupagem e humanização que, de tão eficientes, serviu de referência à atual gestão.
No entanto, jamais deixei de cobrar e mesmo criticar outras secretarias que deixavam a desejar ao longo dos anos, recebendo do gestor de então, o respeito ao meu trabalho e direito de cidadã de não aceitar um serviço aquém das reais possibilidades de serem executadas.
O que acontece é, tão somente, a exacerbação emoc…

AOS MEUS AMIGOS

Não há nada que justifique mais o meu carinho por Itaparica, quanto a certeza absoluta de que nunca estou sozinha, esteja eu, onde estiver, pois, tem sempre alguém que me acena ou se aproxima para aliciar o meu coração com uma palavra amiga.
Hoje, foi mais uma manhã ensolarada em que, junto ao meu Roberto, saboreava os deliciosos pastéis do Bar do Manoel e da Marisa, apreciando aquele mar pelo qual nos apaixonamos, que novamente fui agraciada com maravilhosas palavras de aconchego e reconhecimento do trabalho que venho realizando nestes 16 anos de comunicadora, seja através do Jornal Variedades por doze anos, seja pela Rádio tupinambá, por seis anos ou pelas inúmeras crônicas que publico em meu blog e no facebook, desde 2009.
Não sei como se chamam e tão pouco onde moram, mas com absoluta certeza fizeram o meu dia ficar muito mais bonito.
Obrigada é tudo que consigo dizer nesta reafirmação diária de que sei de onde vim, não sei para onde vou, mas certamente sei onde estou e sou grata à v…

AGRADECIMENTO

Neste dia especial do amigo, venho agradecer a toda a equipe do CAPS através do Dr, Pablo, Rafael Mendes e Fábio , pelo carinho e atenção dedicados a senhora Rosalina Lima, cadastrando-a no Hospital Juliano Moreira para que a mesma mensalmente, possa receber o remédio de custo elevado. Estendo o agradecimento a Prefeita Marlylda Barbuda por ter autorizado a enfermeira Amanda a liberar a agente comunitária Jaciara a proceder o devido cadastramento em Salvador.
Cuidar de um amigo meu é adentrar no meu coração.
Parabéns e obrigada

GRATIDÃO

Salve os pés macios que levemente atravessam as areias quentes deste deserto árido que as vezes, posso representar. A leveza do ser que se faz presente na minha vida, trazendo consigo o frescor dos orvalhos, o brilho das estrelas, o alívio das chuvas de verão. Bendita a alma que te pertence, bendita pessoa que me ama.

INVERSÃO

Estamos vivenciando uma inversão tamanha de valores, e não é de hoje, afinal, particularmente comecei a me dar conta, lá bem atrás, na década de oitenta se não me falha a memória, e de lá para cá, a coisa se acelerou tanto, que pouco tempo tive para assimilar cada mudança no ser, no pensar e no agir das pessoas. Como uma mula, estanquei em forma de resistência e fui dando passos lentos e prudentes, mas isto não impediu que eu sofresse as intempéries, levando-me em alguns momentos a pensar que curvaria os joelhos e cairia por terra, vencida pelos novos valores com os quais, não só me eram estranhos, como ao conhece-los, rejeitei a maioria. Lá se vão mais de quarenta anos de corrida louca adaptativa com o apenas consolo de não me sentir solitária, já que comigo existe um batalhão de outras tantas que como eu, vai levando sem, no entanto, compreender a perda absurda do belo, do límpido e do verdadeiro.

BOM DIA

Cidadão sério e respeitoso é bem mais que defender e aplaudir., criticar e ofender. É principalmente dar exemplo pessoal no reconhecimento do adequado e crítico ferrenho do inadequado, para que o equilíbrio esteja presente nas ações e realizações de qualquer natureza.
Todo restante é puxa-saquismo e inconsequência.
Que Deus nos ajude a compreender e sermos compreendidos nos propósitos de nossos ideais.
Que a sensatez seja o nosso guia e o amor o nosso estímulo.
Assim seja, hoje e no decorrer desta semana que ora se inicia.

QUEM SABE UM DIA ...

Isenção não é para qualquer um, afinal, o preço é alto a ser pago quando insistimos em só nos ater aos fatos e nada mais. Não há complacência, nem piedade da maioria, se não tendermos o pêndulo de nossas avaliações a um só lado, independentemente da lógica gritante da razão dos fatos, que muitas vezes cruéis, se fazem marcantes onde quer que estejam. Fui à reunião do ex-prefeito de Itaparica, confesso, ainda esperançosa de que de uma forma inédita, o mesmo dispunha-se a ser um aliado no enfrentamento do atavismo administrativo. Qual nada... estamos sós, como sempre, e continuando na dependência das benécias, boa vontade e generosidade dos governos estadual e federal, além da nunca existente atenção de deputados e congressistas, reforçando a tese de que Itaparica é incapaz de mudar por si só sua realidade; esta conscientização, com certeza, não é só minha. Saí frustrada e convicta de que não viverei para ver minha Itaparica verdadeiramente amada, cuidada e respeitada como merece, a não ser…

DESABAFANDO COM UMA AMIGA

O assunto era a presença da Ditadura Militar nos anos 60/70 vivenciado por nós, bem de perto, assim como as artimanhas incansáveis dos comunistas que vestiram a roupagem de uma Democracia que não convenceu.
Assim respondi:
_Exatamente e foi tanto que o povo e as autoridades em geral ofereceram apoio. Eramos jovens, trabalhávamos em jornal, particularmente estive em Conceição e Redenção no Pará no período brabo do AI-5 e nunca nos abordaram onde quer que fossemos. Por que será? Não terá sido porque não empunhávamos a ideologia comunista? Fico ouvindo os artistas, jornalistas e especialistas falando daquele período e se esquecem de mencionar que o povo em geral, vivia em paz, segurança e muita fartura. Só foi preso, apanhou e infelizmente veio a perder a vida, aquele que de algum modo era contra o regime em prol do comunismo. A ditadura do abandono, da roubalheira, da falência institucional, da educação e saúde piores que meia boca, da violência urbana a níveis assombrosos, esta sim, ent…

TOLOS E SÁBIOS

Destes dois atributos mentais, todos nós temos um pouco e ambos nos deixam às margens da loucura, estado de graça existencial, não vivenciado por muitos, usufruído por poucos. Loucura que nos deixa alheios as intempéries provocadas pelos permanentes sábios em suas constantes arrogâncias de jamais se enxergarem tolos também. E quem no espelho cognitivo é incapaz de encontrar em si falhas, segue colhendo o alpiste alheio dos aparentes tolos, para alimentar sua sapiência incauta de falso sábio com as burras repletas, mas com a alma vazia. Tolos e sábios, maravilhosos loucos que enfeitam e aromatizam em permanente integração e doação à vida.

BOM DIA

Pois é, o dia sequer amanheceu e há muito estou ouvindo os grilos, esperando a chegada dos pássaros e desejando que o dia não seja muito chuvoso. Não se trata de insônia, apenas durmo e acordo cedo, pois sou do dia, do sol, dos aromas, das cores e das pessoas, já que o sono eterno para o devido descanso certamente chegará, mas até lá, aguardo cada novo amanhecer repleta de entusiasmo. E aí, enquanto espero, penso e geralmente registro, velho hábito do qual não consigo me desvencilhar, até porque, fez de mim o que sou, uma sempre aluna, revisando o dever de casa. E nesta contínua revisão, percebo quase que assustada o quanto sou resistente, teimosa ou descuidada, por não deixar passar alguns detalhes que, se existissem, certamente facilitariam muitíssimo a minha vida, como por exemplo, enaltecer a hipocrisia, disfarçar o inadequado, enfeitar o sujo e roto. Coisas de Dona Regina...

VEM COMIGO...

Para onde? Itaparica? Para ver lixo, buraco e lama? Isso a gente vê todos os dias. Façam o convite quando a cidade puder receber com mais propriedade, tal qual foi prometida em campanha.
Que tal, parar de pensar em turismo, afinal, a cidade tem talento, mas falta a vocação que depende de fatores que o povo não dispõe, a estrutura não suporta e os gestores desconhecem.
Às vezes, penso que estão escarniando de nossas necessidades, forjando um bem-estar inexistente, camuflando com fotos simbólicas a dura realidade.
Eu e qualquer mortal desta cidade, estaremos sempre aplaudindo quando, finalmente, esta gestão deixar de só apresentar como resultados emendas parlamentares antigas e que agora são oportunas apresentar, feitos de campanha eleitoral do governo do Estado, assim como espalhar a mentira absurda de não ter recursos para efetuar as mais primárias ações e, finalmente, apresentar serviço não em planilhas contábeis de prestações de contas manipuladas, mas em obras e ações palpáveis às mã…

COMO A MAIORIA.

Aos comunistas, disfarçados de socialistas, deixo os meus respeitos aos seus direitos de ser o que bem quiserem, mas por favor, não queiram que eu acredite que amam o Brasil, pois assim é demais. Faço neste instante uma força tremenda para não falar de política, mesmo reconhecendo ser impossível, afinal, por todo o tempo exercemos este atributo do relacionamento humano, mesmo negando a todo instante, como se admiti-lo fosse o maior dos pecados. Está certo que, de uns tempos para cá, o politicamente correto tem sido prioridade, abrindo espaço para a hipocrisia, geradora cruel das explosões emocionais daqueles que sufocados buscam o próprio ar da sobrevivência. Mas como falar explicitamente sem não nos inserirmos neste este balaio de gatos de posturas camufladas e nada verdadeiras? Está tudo muito difícil de se conviver, afinal, apesar de todos os avanços, nunca estivemos tão atávicos. Tudo que sei é que a maioria, no que me incluo, só deseja ser feliz como fui ontem depois de cozinhar um fe…

LEGAL E MORAL

Estou aqui, logo bem cedinho, olhando as postagens no face e atenho minha atenção em uma sessão da Câmara de Vereadores de uma certa cidade em que se discute a redução salarial dos mesmos, e aí, imediatamente penso no quanto são perversas as nossas leis, mas, acima de tudo, o quanto nós, enquanto povo, somos inconsequentes em permitir desde sempre distorções que tornam grande parte delas, absolutamente imorais. A lista é interminável de brechas que incentivam todo tipo de adaptação interpretativa, mas todas com uma lógica subtendida, silenciosa e corrosiva que é a falta de equidade em se tratando de proteger verdadeiramente os interesses do povo, reservando todas as nuances de benefícios a uma casta de privilegiados que, com diferentes vestimentas, não só as fazem, como as interpretam a seus gostos e interesses. Penso também nas gigantescas incoerências que se mostram a cada instante e que, por ignorância também de várias espécies, são aceitas desde sempre. Imagine um povo pobre, carente…

SATISFEITOS SIM, AGRADECIDOS NÃO.

Não podemos continuar a misturar nossas emoções em relação as realizações de nossos gestores, sejam do legislativo, judiciário ou executivo, afinal, tudo quanto realizam é puramente obrigação e o fazem com o dinheiro público, isto é, nosso. Daí o supremo direito de cobrar quando morcegam e não produzem e, naturalmente, aplaudir quando direcionam suas atenções às suas obrigações, cumprindo-as, não porque prometeram, mas porque é a função deles promoverem o melhor para o cidadão, no exercício de seus mandatos. Estamos constantemente invertendo os papeis por causa da simbiose em que sempre vivemos, ora endeusando, ora demonizando, induzidos pela ignorância de nossos próprios direitos. Outra inversão que confunde, mas é extremamente benéfica para os políticos, é justamente o período eleitoral, quando então pipocam realizações, discursos e inaugurações, abrindo as gavetas das emendas parlamentares, que logo se fecham ao dia seguinte das apurações, deixando-nos amargar mais pelo menos um ano e…

PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE AMOR ...

Afinal, quase impossível fazer as pessoas ainda jovens compreenderem que os amores jamais são perfeitos e que não cairão do céu como um milagre a qualquer instante. Como explicar a diferença do entusiasmo de um sentimento amoroso? Amor é construção diária, somatório de momentos de doação e superação. Querer estar junto, aceitar diferenças, compreender falhas, estimular alegrias, são fundamentais na concretagem deste sentimento que pode ser traiçoeiro, enganador, levando a criatura a confundi-lo por todo o tempo com uma certa emoção aparentemente igual e envolvente, mas que se esvai como fumaça frente à ventos e tempestades. Brisas são os romantismos que cercam as aproximações. Ventos são as tormentas de diferentes gradações que surgem através do conhecimento da convivência diária. O amor exige investimento, reparos leves e reformas às vezes gigantescas. Amor precisa de talento e criatividade para resistir os efeitos do tempo, desgastes naturais do que aparenta ser igual. E nada permanece imut…

Direitos e liberdade.

Novamente na paz da minha Itaparica, posso afirmar com todo o embasamento possível que este é o melhor lugar para se viver, naturalmente, para aquelas pessoas que, como eu, apreciam a paz, o bendito silêncio, ainda existentes para desfrutar. Por outro lado, não posso de sã consciência desconsiderar que em alguns locais desta mesma cidade, esta paz é coisa do passado e que, na maioria das vezes, as pessoas sem qualquer outra opção são obrigadas a conviver, moldando suas vidas ao horror da violência que sorrateiramente se esconde e se mostra com mil faces diferentes, sempre que lhe é conveniente. Assim, olhando de passagem, o sol brilha, as crianças brincam, o mar continua manso e quentinho, deixando transparecer uma calma há muito perdida e um quê de bucólico, só existente nas lembranças de um tempo onde tudo era diferente, mesmo que com uma aparência de muito atrasada em relação às outras em que a modernidade se fazia presente. E aí, penso no preço que se paga pelo progresso, assim nem t…