Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2015

TRINDADE DO EQUILÍBRIO

   Sol e chuva, casamento da viúva.    Já não é tão cedo, já passam das 7:30h e não mais sinto fome, afinal acabei de tomar o café da manhã. E que café! ...    Olho através da janela e posso enxergar bem mais que os chuviscos que insistem em molhar os raios de sol que, determinados, fogem estrategicamente, escondendo-se e logo em seguida reaparecendo, numa espécie de brincadeira cósmica que sempre me fascinou.    Enquanto observo, penso, e neste misto de integração minha com a natureza, posso, como já disse anteriormente, enxergar uma palavra que traduz um sentimento que venho também observando que acontece no cotidiano de todos nós.    Refiro-me à banalidade que, como o sol bonito e acolhedor, vem se tornando trivial em nossas vidas, pelo menos cá pelas bandas do nordeste, induzindo-nos ao hábito da vulgarização das forças contentoras da rudeza que nos rodeia, permitindo que uma lavagem cerebral que acontece através da repetitividade, se torne comum, aleijando de forma indelével a capac…

LUTO

LUTO Assim, como se fosse de repente, tudo se apaga e por mais que tenhamos recursos espirituais e filosóficos, nos dobramos e nos tornamos absolutamente frágeis, quando a aparente súbita morte, surge em meio aos nossos sentimentos de amor, amizade ou de uma tão somente, admiração. Existe uma recusa psicológica, uma negação física, quanto ao certo e indeterminado momento em que, simplesmente, tudo se apaga, restando apenas lembranças limitadas ou absolutamente profundas, onde as lágrimas da saudade, não conseguem alcançar. Ontem, a Ilha de Itaparica deixou de ter em seu convívio um ser humano maravilhoso que em parceria com sua esposa e parceira de ideais, Diulina Ribeiro Miguel Silva, enriqueceu de luz e paz o ar de todos nós com suas vibrações harmoniosas. Todavia, por crer que as energias não se apagam, curvo-me sensibilizada à certeza de que entre nós, permanece. O Jornal Variedades e a Rádio Tupinambá, através de seus diretores e funcionários, estendem seus pesares aos familiares e a…

NÃO ME LEVEM A MAL

Tenho mais o que fazer, afinal, já se foi o tempo em que o tempo nada significava e que eu podia me dar ao luxo de, simplesmente, jogá-lo fora com papos inúteis, festas bobas, trabalhos infrutíferos ou na companhia de pessoas que apenas partilhavam comigo o desconhecimento da importância de se valorizar cada instante presente, oferecendo a eles subsídios de afinidades que pudessem significar real bem estar. Não levem a mal minhas palavras, dando a elas qualquer outra conotação que não seja tão somente a da conscientização de um ponto de vista, absolutamente pessoal, e que em nada denigre ou menospreza qualquer situação social com as quais as pessoas sistemicamente estejam inseridas, até porque, creio que o despertar para o amadurecimento que ocorria em mim e a experiência lúcida de não tentar camuflar o envelhecimento, fez descortinar uma surpreendente forma de vivenciar os meus dias, libertando-me das sufocantes amarras do cotidiano, que sutil, mas também maleficamente, induziam-me …

ALMOÇO DE DOMINGO

Infinitos são os dias em que lembro dos almoços de domingo em família, em que tive o privilégio de poder vivenciá-los ao longo desta, minha longa vida. Posso sentir os aromas, os sons, as cores que permeavam estes instantes que se eternizaram em minha memória. Nada mais resta de todas aquelas maravilhas, além de minhas lembranças e do tudo de bom que pude absorver e depois, incansavelmente, fui e ainda vou, não reprisando-os, mas criando minha própria versão dominical. Saudades de meus pais e irmão e dos rigorosos horários que minha mãe exigente nos impunha e que nos fazia deixar a praia mais cedo para saborear os sempre deliciosos bifes à milanesa, o rico feijão preto, as inesquecíveis saladas de alface com lindos tomates maças, o arroz soltinho, e o bendito pudim de leite condensado, que confesso, transformei em sobremesa oficial. Anos depois, já casada e morando em Minas Gerais, conheci e me apaixonei pelos almoços de Dona Zizita , minha sogra, com quem aprendi mil quitutes, doces e sa…

NENHUMA PROPOSTA

Quando nos arvoramos da soberania da verdade absoluta e ainda nos aliamos ao partidarismo político, exercendo uma oposição vazia, perdemos a capacidade de visualizar o todo e nos perdemos na superficialidade do apenas embate. Enxergar o bem feito é tão valioso quanto o mal feito ou o jamais realizado e nós, brasileiros sorridentes e complacentes, nos enquadramos exatamente, na categoria dos papagaios de Pirata, sem verdadeiramente, sermos capazes de nos colocarmos numa postura de cidadãos que buscam direitos e, não o fazemos, justo porque fugimos sempre que nos é dada a oportunidade de cumprirmos com as nossas obrigações, crendo ingenuamente que somos espertos e que nos damos bem em tudo. Quando optamos pelo embate e isto é corriqueiro entre nós, fechamos as portas para o diálogo e para a conquista de lideranças que sejam capazes de raciocinarem de forma universalizada, limitando mudanças e ofuscando a criatividade, tão necessária para que se proceda alterações que representem evolução,…

Anos que virão!

"Deixe sua alegria se avolumar, construa em você uma vida linda, cheia de desejos realizados, você com esse jeito carinhoso tendo no olhar a esperança de vencer.
Para mim neste grande dia a maior felicidade é dizer que tenho uma grande irmã, e que a alegria que você busca insistentemente te traga paz e segurança a si mesma.
Parabéns Minha Irmã."

Luiz Claudio Carvalho

NENHUMA SURPRESA

Em dias como os dessa semana em que aparentemente tudo fica meio que capenga e sem graça, que coloco em funcionamento todo o mecanismo de tolerância que venho desenvolvendo por anos a fio, onde passo a passo, fui aperfeiçoando a capacidade do direito que os demais têm de agir, pensar e sentir de modo diverso ao meu. E pensando nisto, no aconchego do meu cantinho das reflexões, concluo que não é uma tarefa das mais fáceis e talvez, por esta simples razão, a humanidade se estapeie desde sempre. O reconhecimento pessoal da inexistência da verdade absoluta, seja lá do que for, é sempre um desafio que a grande maioria sequer é capaz de pensar, quanto mais mensurar. Alguns até podem crer que estão sendo humildes ao reconhecerem tais direitos e que respeitá-los, seja uma capacidade dos bons de coração e talvez, em muitos casos, seja. Não sei, afinal, existem tantos sentimentos conflitantes em meio a todos os tipos de relacionamentos, que fica quase impossível, definir uma das infinitas possibil…

MINHAS MÃES

Dez, vinte, trinta, quarenta, cinquenta e agora, lá vão passando os sessenta e junto a eles, lá vou eu, ora sorrindo, ora chorando, se bem que, sorrindo bem mais do que chorando e sem pressa, apenas apreciando e sorvendo as paisagens. Tudo sempre foi breve, por mais lenta que tenha sido a caminhada, pois ao me dar conta, já haviam se passado décadas na formação de minha história. Uma a uma foram filmadas pelos meus sentidos e gravadas pela minha mente para que em momentos como o de agora, sossegada, eu pudesse revê-las através de doces lembranças que mesmo passados tantos anos, reaparecem diante de mim, sem lacunas, sem distâncias, como se o passar do tempo, não existisse. Bendito filme que produzi na memória e cuja exibição, controlo através da mente, num resgate de pérolas, não necessariamente, só as belas. As vezes dou pausa, respiro fundo, sorrio ou enxugo uma lágrima teimosa, afinal, o filme é longo e infinitas são as emoções. Hoje é sábado, véspera do Dia das Mães e revendo as incont…

MAS POR QUÊ?

São quatro e trinta da madrugada desta segunda sexta-feira de maio e, novamente sozinha em meu canto de reflexões, penso no porquê da inquietação que venho sentindo nos últimos dias.
Questiono-me, afinal, são tantos os anos de exercícios cotidianos, onde busquei tenazmente aperfeiçoar a convivência entre o sistema social e minha própria natureza, numa busca constante de um equilíbrio que me permitisse um vivenciar menos pesado, menos agressivo, menos traumático, que não posso deixar passar batida esta alteração, que por dias e noites vem abalando a progressiva harmonia conquistada.
Paro de escrever, descanso os cotovelos na mesa, olho diante de mim, para o vazio da parede creme, como se nesta, eu pudesse fazer refletir a confusão de minhas emoções para poder, então, analisar encontrando respostas.
Mas por quê?
Ao fazer esta pergunta, deixo escapar um leve sorriso, afinal, não fiz outra coisa por toda a minha vida, pois com entusiasmo e persistência, perguntei a todos e principalmente a mi…

HUM!!!! Torta Sol de Espinafre e Ricota

Esta bela torta não é apenas um capricho estético; é também super gostosa e vai atrair todas as atenções em uma refeição. É uma receita que você deveria experimentar, e nem é assim tão difícil! Veja a seguir.

Ingredientes – Massa:
500g de farinha de trigo 1/3 xícara de azeite de oliva 3/4 xícara de vinho branco seco 1 colher de sopa de sal Uma pitada de sementes de gergelim (opcional)
Ingredientes – Recheio:
350g folhas de espinafre refogadas 350g de queijo tipo ricota  1 ovo 80g de queijo parmesão (ralado)  Um punhado de farinha de rosca Sal e pimenta ao seu gosto
Preparação:
- Combine os ingredientes da massa em um mixer ou batedeira e misture bem.
- Quando a massa ficar consistente, forme duas bolotas de tamanhos iguais, enrole-as em filme plástico e reserve. - Numa tigela, misture a ricota com o espinafre. Acrescente o ovo, o parmesão, o sal e a pimenta. - Abra as duas bolotas de massa com um rolo, fazendo dois círculos com mais ou menos 30cm de diâmetro. - Antes de acrescentar o recheio, use a fa…

SIMPLES ASSIM

Quando minha rebeldia fica mais forte que o meu impulso natural à escrever pelas madrugadas, o universo na sua força energética, logo se manifesta, lembrando-me que meus escritos são bem mais que um simples prazer natural, por serem tarefas de vida, sem as quais, todo o restante perde o sentido. Quando coloco a caneta entre os meus benditos dedos, deixo de ser apenas a Dona Regina e me transformo num regato, onde meus parceiros energéticos vão se chegando para o desfrute diário do banho de vida e liberdade e juntos nos recapacitamos em um rio de leves correntezas e no qual, sempre juntos, compartilhamos experiências já vividas, perspectivas a serem ainda vivenciadas, numa evolução de valores que mais que experimentações reais, são fundamentais para que o tudo o mais em que estamos inseridos, continue a nos abrigar de forma harmoniosa, pois juntos e tarefando, seguimos tão somente nos inserindo, jamais nos impondo à todas as paisagens que como margens contentoras, mas acima de tudo prot…

CAPS EM FESTA

Na tarde de ontem fui a uma festa que comemorava os três anos de atividades do CAPS e surpreendi-me com a ausência geral das autoridades públicas e privadas, pelo menos, salvo engano até as 16 horas, quando então, precisei me retirar, pois precisava viajar.
Agradeço a forma carinhosa com a qual eu e Roberto fomos recebidos pelos funcionários, pacientes e pelo coordenador Rafael.
Constatei in loco, o resultado expressivo das terapias que vem sendo aplicadas, assim como de todo um conjunto de assistência médica e social humana, que possibilitam uma inclusão interativa, harmoniosamente saudável.
Parabéns ao psicoterapeuta Rafael e toda a equipe que comprometida, atua neste setor tão sério e importante da vida humana, assim como a secretária Michelle Marques pela condução geral e ao Prefeito Raimundo da Hora, que sensível às carências históricas e que afligiam inúmeras famílias itaparicanas, não mede esforços e com recursos do Município, mantém de forma digna, tão importante projeto.
Portanto…