Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009

Escrevendo em Meio a Dor.

Sou a mãe do otimismo, a irmã da alegria, a tia da persistência, a amiga da esperança e, certamente, também sou a vizinha da certeza absoluta de não ser imune por todo o tempo a todos os bombardeios que recebo. Afinal, sou um ser que por acaso é humano e, como tal , sou bem complicada.
Transformei-me em poeta e colori a vida, persegui o amor como meta de vida, abraçei a esperança na vida e persisti em quase tudo em minha vida, e não me livrei da dor da alma que sinto vez por outra nesta minha vida.
Escrevi poemas, contos e tudo o mais que fui capaz ao agrupar letrinhas. Escrevi histórias, crônicas e narrativas, já escrevi até discursos, memorandos e algumas cartas. De tudo um pouco, fui escrevendo em minha vida até que um dia escrevi sobre a vida e senti então a dor da solidão de escrever sobre o vazio, pois sobre a vida não há quem queira ler.
Escrever sobre a vida é descrever a realidade e quem, pelo amor de Deus, quer saber de realidade?
AH! Como me sinto doída... Dobro-me sob o peso d…

Democracia Participativa.

Sempre existiram momentos, como o de agora, em que sinceramente encontro dificuldades para iniciar minhas escritas, confundindo-me, pois as palavras ao invés de estarem fugindo de minha mente, ao contrário, apresentam-se em tão rápida profusão que ordená-las torna-se difícil, fazendo ao mesmo tempo eu me sentir lenta com meus dedos junto ao teclado, pois sinto-os meio que endurecidos.

Não é novidade para mim toda essa reação física e emocional, entretanto, sempre me surpreendo, porque junto a ela sinto um profundo entusiasmo, que com a continuidade ao longo dos anos agregou, também, um desânimo camuflado, mas doído.

Percebo que isso só acontece quando me dou ao direito de enxergar algo, ou alguém e até a mim mesma, tal como se apresenta, isento de qualquer colorido camuflativo.

Ontem, fui fazer a cobertura jornalística da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura dos municípios de Itaparica e Vera Cruz, que sediou o evento em sua biblioteca.
E mais uma vez, pude constatar o quanto estes ev…

Inocente útil

Socorro, quase fui atropelada pelo trem da alegria que, barulhento, chegou e me atraiu a embarcar, mas logo parou por falta de vapor. Também, quem manda eu e um punhado de inocentes úteis nos deixarmos enganar, comprando passagem em trem fantasma?
Preciso lamentar o engano em forma de parábolas, porque afinal o trem é pesado e um tanto desgovernado, prontinho para atropelar todo incauto que se colocar a sua frente.
Por falar em parábolas, penso em Jesus, que a meu ver foi outro inocente útil, sim, falo daquele da Bíblia que nem o Pai , apesar de ser Deus, conseguiu salvar das garras dos meandros políticos, mas quem de verdade acreditaria que um Deus seria pai de um esfarrapado? E não é que a prática continua, aí sim a todo vapor, pois em se tratando de política, tudo passa a ser uma questão de ajustes, normalmente financeiros, regado por todo o tempo pela força do poder em manipular as ganâncias dos envolvidos em todas as áreas, e bota apetite nisso!!
Entretanto, vai dizer isto a algum d…

Constatação Educacional

imagem: http://marinow.files.wordpress.com

O ideal é que eu tivesse formação acadêmica específica sobre a área que eu fosse abordar, mas como não tenho utilizo minha sensibilidade avaliativa e meus valores interpretativos que não podem ser desconsiderados, pois estas qualificações são fundamentais até para uma mais ampla assimilação de aprendizado acadêmico.

Aliás, este é o tema destes meus escritos nesta manhã de domingo, onde apenas é possivel ouvir-se os sons dos cantos dos pássaros, pois é muito cedo e todos ainda dormem.

Ontem, fui assistir a apresentação de artigos, que não chegam a ser monografias, de alunos de uma certa faculdade que se propõe à formação de professores e pedagogos.

Deixo claro que não há em minhas palavras qualquer conotação de desprestígio ou desrespeito, apenas e tão somente mais uma constatação do quanto os padrões de qualidade se alteraram, passando a novos patamares, já absolutamente incorporados às praticas diárias, uma vez que os avaliadores atuais já fazem…

O bolo não queimou!

foto: http://www.pinkecerebro.de

Hoje é sábado e o sol está radiante, se bem que o calor está danado de forte, quase querendo me derreter.
São seis e trinta da manhã e, como em todas elas, já estou a todo vapor entre fogão e o computador.
É isto mesmo, fazendo-me acreditar que um inspira o outro sem qualquer método literário, apenas, e tão somente, vibrações deste universo que me abriga e no qual me sinto absolutamente integrada, inclusive, fazendo-me ativa e disposta entre o fogão e as letras.
Aliás, se bem observados, ambos são materiais artísticos, precisando ser ativados, agrupados e bem intencionados para se mostrarem, ora deliciosos, ora reconfortantes.
Às vezes, queimo tudo, afinal, ninguém é perfeito e tenho que confessar, que ao escrever, me empolgo tanto, que simplesmente esqueço-me de tudo o mais, principalmente se estou escrevendo sobre minha cidade e os desmandos que fazem com ela.

Hoje, apesar de muito chateada com o andar da carruagem dos efeitos à cidade da política, sinto-m…

Primeiro Passo

foto: www.eb1-setubal-n10-monte-belo.rcts.pt

Todos os dias penso na escola ideal e em como delineá-la, traçando um perfil que seja condizente com a realidade brasileira que, afinal, sente fome, apesar de tudo parecer um pouco romântico, quando cantado em verso e prosa ou enxergado à distância. E quase tudo e todos parecem estar à distância, em universos de muitas palavras, projetos, seminários e programas governamentais, com muito conteúdo e poucas ações práticas.

Portanto, a primeira atenção, tem que seguir a rota do refeitório para, então, chegar-se a alma destas crianças já tão carentes de quase ou de tudo. Este é o quadro que ninguém gosta de enxergar e que, por esta razão, continua se agravando, frente à ações capengas que não chegam a aliviar o caos em que as escolas se encontram, seja em suas estruturas físicas ou pedagógicas.

Falar então em estrutura psicológica ou emocional é viajar no tempo das ilusões, pois não há qualquer direcionamento que se inicie neste sentido que pudesse…

Viagem Dantesca

O motorista do táxi dirigia como um louco possesso em meio a um trânsito absolutamente confuso e desordeiro e por todo o tempo permaneci com a respiração sufocada, frente ao medo, quase terror de me ver envolvida em um acidente de proporções somente imaginável por alguém desesperado, como eu me encontrava. Quando finalmente o táxi estacionou diante do terminal de São Joaquim, pude respirar profundamente pelo alívio de me ver a salvo e, então, dele saltei como uma presa liberta, disparando em direção aos guichês de passagens, na ânsia de me sentir retornando ao porto seguro.Um horror, esta é a definição dos meus sentimentos em relação às idas e vindas a Salvador, que venho espaçando sem qualquer culpa ou sentimentos de perda.Já acomodada no ferry, tento superar, agora, o calor abrasador, parte de fundo emocional ainda em descompasso, parte pela falta de ventilação adequada. Limpo com o lenço a testa e a nuca suadas e, com a força do hábito, observo as pessoas à minha frente, percebendo …

ABESTALHADA

Estou, como sempre, sozinha, neste meu hábito diário de escrever pela madrugada afora, sorvendo o sossego de não ser interrompida e o silêncio que me é de fundamental importância.

É justo nestes momentos, em que me sinto muito à vontade para refletir sobre o que ouvi, enxerguei e senti a respeito de tudo que vivenciei no dia anterior e, é claro, aproveito para delinear minhas atividades para o dia, que sequer começou para a maioria, mas que para mim já está a todo vapor.

Entre um pensamento e outro, escrevo palavras, registrando impressões, desabafando decepções, criando soluções, porque, afinal, sou antes de tudo uma filósofa social, sempre voltada à qualidade de uma vida que reconheço estar banalizada em todos os sentidos. Entretanto, como jamais esqueço que também sou uma cronista, introduzo por todo o tempo minha visão pessoal em forma de crítica, mas jamais sem deixar de adicionar a ela pelo menos uma idéia de solução.

Tudo muito bacana, tudo muito respeitado, mas e daí, se ninguém …

ITAPARICA CHORA E PEDE RENOVAÇÃO...

Por mais partidária que eu me apresente, neste momento, Itaparicanos que ora vivemos, como cidadã, sinto-me absolutamente envolvida na tristeza de ver minha cidade sendo devastada por um clima de total abandono.

Desde a posse da atual gestão, Itaparica se apagou em uma obscuridade provocada por um clima de silêncio, autoritarismo, ameaças surdas de perseguição e revanchismo.

O brilho que havia sido resgatado após tantas décadas e que já se sentia em cada cidadão, que estimulado se expressava através de posturas otimistas, trazendo à cidade um agito saudável de novos comércios e consequentemente de novas esperanças, infelizmente por questões históricas- culturais, se transformou em repulsa que cegou a lógica.

E toda esta confusão emocional de uma parte do povo que havia se acostumado a rejeitar o alheio, com certeza por não ter sido devidamente orientado, optou pelo retrocesso, buscando através dos símbolos do nativismo, a crença já enterrada do resgate do passado.

E eis no que deu, exat…

Conceitos aleatórios

foto: blog3.opovo.com.br