Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

CÓPIAS E NADA MAIS

imagem: vinhadeluz.com.br


O BBB 10 acabou, o Chico Xavier, se vivo fosse, faria, em 02 de abril, 100 anos, os Nardones, foram condenados,os cientistas fizeram os protons explodirem com relativo sucesso, o José Dirceu, reapareceu sem qualquer pudor, e o nosso presidente LULA , na cara de pau, afirma que sua prioridade é eleger a sua parceira DILMA e nós, como eternos abestalhados, dizemos: ha... é, é...?!, sem considerarmos que sua estimulante e devotada campanha em favor da referida senhora está sendo desavergonhadamente paga com o dinheiro público. imagem: abril.com.br

Que coisa, heim!
Leio a respeito do chá oferecido na seita do Santo Daime e não compreendo aqueles que defendem seu uso, afinal se é considerada uma droga alucinógena, como pode ser autorizada o seu uso para fins religiosos?


Por que tantas discussões avaliativas, envolvendo a medicina mental, para garantir que se uma pessoa estiver com alguma doença desequilibratória, os efeitos do chá serão imprevisíveis?



Quem, afinal de …

SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ

Se todos fossem iguais a você, ao contrário do que diz a música ,'"seria uma maravilha,"creio sinceramente que seria muito monótono, pois acredito que esta infinita diferença é que colore e oferece opções ao nosso livre arbítrio.
Todavia, existem criaturas que são tão especiais que, se iguais a elas houvessem outras, provavelmente viver pudesse vir a ser um ato contínuo menos egoista.
E enquanto estou neste momento escrevendo sobre os especiais, desfilam em minha mente tantas e tantas imagens de fantásticas criaturas que apenas conheci e outras tantas com as quais convivi, que sou obrigada a reconhecer que elas existem de fato e que de direito somos agraciados com suas convivências, e também provavelmente por esta razão ainda consigamos encontrar muitos atos de profunda beleza existencial, que nos dão força inconsciente e determinação consciente de seguir acreditando que estar vivendo pode ser um espetáculo, se assim o desejarmos.
Penso, então, que somos capazes e lúcid…

NUNCA COMO AGORA

Venho percebendo nos últimos anos que minhas lembranças do cotidiano em que vivi, estão mais vivas e constantes, principalmente aquelas onde existe o registro explícito de convivência social com amigos, parentes ou clientes, quando comparados aos dias atuais, já não fariam sentido por estarem obsoletas, ultrapassadas ou fora de moda.
Seria este um recurso natural da mente racional a fim de preservar valores estruturantes ou tão somente a mesma mente usa deste mecanismo para que eu possa ir assimilando as transformações, mesclando os novos aspectos com mostragens sistemáticas do passado para que eu possa encontrar um meio termo que me satisfaça?
Em momentos cada vez mais frequentes, forço-me à ponderação de que na altura em que me encontro nesta existência, pouco deveria me importar com tais mudanças, já que elas me atingem de qualquer forma e, certamente, jamais conseguirei assimilá-las como os mais jovens o fazem instântaneamente.
Esta desistência induzida, não encontra respaldo em minh…

VIDA DE PRIMEIRA

Finalmente neste momento me sinto mais relaxada, minhas novas emoções já se sentem mais adaptadas à todo o meu corpo e eu, então, posso pensar e escrever sobre tudo de bom que ocorreu comigo na noite de ontem.
A festa na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, por ocasião de minha posse na Academia de Letras do Reconcavo -ALER -, foi bonita, repleta de gente amiga, envolta em uma aura de muita paz e cercada com o carinho da equipe da biblioteca, comandada por sua diretora e amiga, Dalva Tavares, que não mediu esforços para que a noite fosse brilhante.
Jamais em toda a minha vida, imaginei sonhar com tamanha honra.
Lembro-me ter tido muitos desejos, a maioria alcançados, mas ser homenageada por um grupo tão seleto de intelectuais que, ao lerem minhas obras, decidiram que eu merecia estar entre eles, ah!, isto jamais.
Sempre fui uma pessoa bastante simples, que permaneceu por todo o tempo longe dos holofotes, e ontem, vi-me focada por toda aquela luz de reconhecimentro…

AGRADECIMENTOS

Há oito anos atrás, graças a um senhor em uma conversa descompromissada no saguão de um hotel em Itabuna, eu e meu marido, fomos induzidos a seguir viagem mudando o trajeto que nos levaria a Salvador.


O argumento convincente era chegar à noite pelo mar e poder enxergar a beleza da cidade iluminada e, antes disto, conhecer a bucocidade de Itaparica e, especialmente, a beleza da praia de Ponta de Areia.


O que este senhor certamente jamais saberá é que eu levei quase um ano para embarcar no ferry boat, preferindo por todo este tempo explorar cada pedacinho do que de imediato sentimos que seria o nosso paraiso.


E não estávamos enganados, pois pudemos constatar a cada dia que para sermos felizes em nossos instantes presentes, precisamos tão somente buscar as nossas prioridades e, no nosso caso, nós as encontramos aqui, neste pedaço da ilha que só tem nos oferecido condições de exercitar o nosso direito de sermos nós mesmos.


Por todo o tempo, fomos acarinhados com a atenção deste povo acolhedo…

EMOÇÃO

Sinto-me honrada em ocupar nesta noite, aqui na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, em Itaparica, a Cadeira de número 16, cujo patrono é o Professor ERNESTO CARNEIRO RIBEIRO - itaparicano ilustre, que abrilhantou com sua inteligência e dedicação a educação na Bahia, mantend0, através do seu talento e respeito a dignidade de suas ações, viva a sua memória de educador exemplar, além de seu tempo, ainda tradutor, revisor e, acima de tudo, um tenaz lutador pela qualidade da língua portuguesa.
Regina Carvalho
ITAPARICA, 27 de março de 2010.
Biblioteca Juracy Magalhães Junior - Itaparica/Ba

DONA HILDA, MINHA MÃE

Hoje, até o momento, ainda não choveu, o sol está pleno, brilhante, crendo eu que este dia maravilhoso é em homenagem à minha mãe, que se na terra estivesse, estaria completando 90 anos.
Fazem quarenta e um anos que não a vejo.
Ela se foi como num passe de mágica, envolta na grandeza do que representou como pessoa, deixando-me atônita, absolutamente perdida.
Precisei de muitos anos para encontrar um pouco de compreensão em relação a morte, que até então, para mim, havia sido cruel, pois roubara minha mãe, deixando-me sem âncora ainda tão jovem.
Ao pensar nela, lembro de seus cabelos negros e lisos, tombando teimosos sobre seu rosto moreno dourado.
Como era bonita, esta minha mãe!
Como era firme, trabalhadora, inteligente, rigorosa e dócil.
Jamais me esquecerei de vê-la nadando nas águas da praia de Ipanema com a naturalidade de quem tinha muita intimidade com aquele mar bravio, despertando em mim, uma profunda inveja e ao mesmo tempo orgulho, porque sabia que os outros também me invejavam po…

ASAS E MENTE

Que belo dia, esplêndida manhã!

Os pássaros voam e eu vÔo também.

E nossos vÔos se integram a paisagem,

me fazendo bela e êles magníficos.




Se fecho os olhos, ainda nos vejo plainando

a céu aberto, na certeza do espaço.

Lentamente absorvo o encantamento

de meu vôo, do horizonte, de minha mente.




Não há rotina, quando existe o deslumbre.

As descobertas às vezes chocam e inibem,

mas ao voar, bato asas e vou longe

Descortino o belo e o integro ao cotidiano,

apagando o medíocre, iluminando o ponderável.




Vôa, passarinho vôa,

o vôo é pra quem quer voar.

Só não sei se minhas asas aguentam,

o vôo que desejo dar.



Esta poesia foi escrita no dia 19 de março de l991, ás 23 horas, em Belo Horizonte, na casa da Pampulha.

Apenas leia e reflita.

Carta de Gilberto Geraldo Garbi para LulaGilberto Geraldo Garbi foi um dos alunos classificados a seu tempo como UM DOS MELHORES ALUNOS DE MATEMÁTICA que já haviam adentrado o ITA, entre outras honrarias que recebeu daquela instituição. Depois de graduado, desenvolveu carreira na TELEPAR, onde chegou a Diretor Técnico e Diretor Presidente, sendo depois Presidente da TELEBRAS.
A CAMINHO DOS 99,9999995%
( Gilberto Geraldo Garbi )

Há poucos dias, a imprensa anunciou amplamente que, segundo as últimas pesquisas de opinião, Lula bateu de novo seus recordes anteriores de popularidade e chegou a 84% de avaliação positiva. É, realmente, algo "nunca antes visto nesse país" e eu fiquei me perguntando o que poderemos esperar das próximas consultas populares.

Lembro-me de que quando Lula chegou aos 70% achei que ele jamais bateria Hitler, a quem, em seu auge, a cultíssima Alemanha chegara a conceder 82% de aprovação.
Mas eu estava enganado: nosso operário-presidente já deixou para trás…

DESPEDINDO-ME DO VERÃO

De repente, tenho a consciência do prazer enorme de estar, neste instante, escrevendo ouvindo os pássaros desejando-me um BOM DIA e tendo à minha volta os meus cachorrinhos amorosos.
Fecho os olhos e sinto a minha repiração, então, respiro um pouco mais fundo e ainda de olhos fechados, entre umas lembranças e outras, delicío-me com este amanhecer bem mais fresquinho, graças a uma chuvinha tímida que pelo dia, tarde e noite de ontem, insistiu em se fazer presente,
atendendo assim às necessidades de minhas plantinhas que, sofredoras, pediam socorro.
Eu também pedia, aliás, todos pediam por que afinal o excesso seja de sol, calor e suor, produz stress, tornando as pessoas mais lentas e com ares de preguiçosas.
Entretanto, hoje tudo indica será diferente e, assim, provavelmente poderei ficar um pouco mais distante dos ventildores, até quem sabe, se me sobrar um tempinho, deitar na rede na varanda e esperar a tarde dar lugar a noite, novamente ouvindo os pássaros com seus cantos divinos, desej…

COMO PERDOAR ?

Desde ontem, a imagem de meu pai, falecido em dezembro de 2000, não sai de minha cabeça, mais precisamente uma de suas inúmeras citações filosóficas.

Ele costumava dizer:

- Tudo que o dinheiro paga ou a água e o sabão lavam, jamais será problema.

Entretanto, será que ele tinha razão, ou simplesmente o repetia tão somente como desfesa previa à sua postura de machão carioca, cujo objetivo maior era não permitir que nada, absolutamente nada, tirasse dele o foco principal de sua existência, que era viver bem longe de qualquer problema?

Havia em meu pai uma ogeriza a tudo que representasse, ou que pudesse vir a representar, aporrinhações em seu dia-a-dia e, portanto, se alguém quizesse perder a sua companhia, bastava criar-lhe algum tipo de dificuldade que o seu dinheiro ou um bom banho não pudessem resolver.

Ele não criava casos, não falava mal de ninguém, tão pouco se lamuriava fosse pelo que fosse, mas certamente ele ignorava, a partir de então, o foco de seu aborrecimento.

Sua avaliação er…

QUE COISA, HEIM?!

Ingratidão, é o que fazem conosco, velhinhos adoráveis, cujo único defeito é ter nos tornados, digamos, mais lentos em nossas atividades físicas, mas não menos produtivos, talvez, também, mais prolíxos, sistemáticos, exigentes e, vez por outra, birrentos e teimosos por nos acharmos egoisticamente com todos os direitos, pelo número de anos vividos.

Coisas de velho, diriam alguns, mas eu, como velha, prefiro desconsiderar estas afirmações, preferindo ignorar meu gênio difícil. Aliás, gênio este que sempre foi exatamente como se apresenta, acreditando verdadeiramente que já foi bem pior, tanto quanto posso me lembrar, pois nos últimos tempos, cá para nós, que ninguém nos ouça, tenho tido falhas absurdas de memória, recorrendo com muito mais frequência à agenda, o que me coloca em dúvidas quanto à épocas e acontecimentos.

Olhando-me através do revelador espelho, cruel e impiedoso inimigo dos velhos, constato os estragos ocorridos e, mais uma vez, cá entre nós, que mais ninguém me escute, fi…

PRECISO MUITO DE VOCÊS...

Creio que não exista nada mais estúpido e sem qualquer sentido prático, e principalmente real, que afirmarmos em um tom de orgulho que não devemos explicação de nossas vidas aos outros, quando nada mais fazemos com fiel constância que nos mantermos por todo o tempo em exposição avaliativa.
Tudo que fazemos, tem a conotação da busca da aprovação ou de chamar a atenção em função seja lá de qual necessidade emocional que tenhamos, inclusive quando somos agressivos ou transgressores de qualquer natureza social.
Por toda a minha vida, pude constatar com imenso prazer o quanto preciso das pessoas à minha volta para que eu me sinta verdadeiramente segura e amparada, jogando por terra a afirmativa de que segurança e bem estar só é possível conseguir-se através de nós mesmos.
Aparentemente, esta é uma afirmação mais que correta, mas a pergunta é:
- Como estruturar-se internamente, sem que se recolha do externo os subsídios vibratórios a fim de serem devidamente filtrados e adequados à formação de …

QUAL A SURPRESA?

Coisa boa e muito gratificante é ter-se o hábito da observação para os fins de busca de entendimentos emocionais.
O tempo passa e não me apercebo, fascinada que me encontro com a diversidade que se apresenta, sem que haja uma só que seja igualdade, por mais semelhança que possa parecer, passando a fazer das tardes em que permaneço na loja, um rico aprendizado, também de convivência.
Quando o sol baixa, trazendo a brisa suave da noite, sento-me à porta em minha cadeirinha de plástico branca, ao lado de meu "velhinho" querido e ficamos os dois, ora cumprimentando, ora conversando, mas, por todo o tempo, observando o quanto o ser humano pode ser bonito, estranho, mal humorado, ranzinza, dócil, gentil, mau carater, esperto, inteligente, sutil, arrogante, delicado, enfim, tudo quanto a capacidade da natureza humana, em sua diversidade, pode demonstrar para uma curiosa como eu, sem credenciamento acadêmico, mas em permanente aprendizado no cotidiano, fonte inesgotável de subsídios d…

IDENTIFIQUE-ME...

Pois é... agora, sentada escrevendo e ouvindo os pássaros em suas sinfonias matinais, reconheço-me tranquila, constatando também que foi nesta cidade que tive a oportunidade de finalmente relaxar após anos a fio de muitas lutas diárias em cidades não menos encantadoras, mas, que confesso, não terem despertado em mim, este aconchego que me permite simplesmente viver. Ah! e como vivo.
Estou por todo o tempo recebendo os mimos de pessoas adoráveis que me veem tão somente como a Dona Regina do Variedades, sem cobranças ou imposições, permitindo-me, assim, tão somente ser a escritora que também tem uma lojinha e que não desgruda de seu velho companheiro.
Esteja eu em qualquer lugar, invariavelmente me sinto segura, até mesmo nos locais ditos perigosos, pois sei, com uma certeza translúcida, que por estas bandas ninguém me fará mal. Bem, ninguém talvez seja força de expressão, talvez um político aqui outro acolá, todavia pra que vou pensar nisto, se posso me deliciar com os sorrisos amigos, os…