Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2018

O FASCÍNIO DE DEUS

Hábitos saudáveis e prazerosos precisam ser cultivados porque justificam a qualidade de nossas vidas. Eles podem ser físicos ou mentais, mas se houver uma junção destes fatores, aí, tudo fica perfeito e ficamos expostos à    verdadeiras surpresas, tanto positivas como negativas, que o acaso pode nos oferecer, todavia, sempre enriquecedores em reforço de aprendizado, já que somos muito dispersos em se tratando de armazenar ensinamentos, pois vez por outra, lá estamos, cometendo a mesma infração, geralmente atingindo bem mais a nós mesmos do que aos demais, pois é pura ilusão acharmos que o inferno pessoal é terreno possível de ser visitado só depois da morte. Bem, este preâmbulo filosófico, mas de cunho empírico, é só para deixar registrado que, se por um lado, presenciei um espetáculo degradante de posturas totalmente em dicotomia com o cenário da orla de Itaparica, por outro, pouco mais tarde, enquanto descansávamos no banco em frente à Praça da Quitanda, ouvi uma voz infantil, próxim…

ALÔ! ALÔ Guarda Municipal.

Não sei se é normal a guarda não trabalhar nos sábados à noite. No entanto, onde as pessoas se aglutinam e a bebida circula, ideal seria que pelo menos, fosse mantido um plantão para emergências no próprio quartel.
Eu e meu marido e todas as pessoas que circulavam na orla de Itaparica, puderam testemunhar uma família colocar mesa e cadeiras na ciclovia e em parte da calçada, impedindo o ir e vir.
A mureta servia de bancada para as garrafas de vidro de cerveja, isopor, latinhas de cerveja jogadas no piso, etc., e tal, num desafio total a todos os transeuntes, visivelmente alcoolizados.
Eu e Roberto, fomos até o quartel da guarda e apesar de estar fechada, percebemos luz acesa e ruído de cadeira sendo arrastada, no entanto, ninguém se dignou a verificar do que se tratava.
Creio que a guarda Municipal, também é um suporte de apoio nas emergências, seja para tomar medidas ou acionar a quem de direito. Afinal, poderíamos estar passando mal físico ou termos sido assaltados.
Gostaríamos de poder…

LAMENTÁVEL

Quanto mais estudo a mente humana no seu relacionamento social, mais convenço-me que nada sei, mesmo reconhecendo que os comportamentos se repetem sem muitas novidades, tendo sempre como padrão básico, a incapacidade humana de se enxergar no outro sem que, haja a adição da inveja ou da rejeição, tudo naturalmente, estimulado pela ganância, insegurança ou total alienação.
Pense nisto e bom dia!!!

NADA PESSOAL

Caráter de político é como programa de quenga, varia conforme a taxa estabelecida com o cliente. E que me perdoem os políticos amigos, que são muitos, mas todos bem sabem que falo a verdade e, talvez, não devesse por ser politicamente errado, mas cá entre nós, tirando um aqui e outro acolá, geralmente sem futuro longo, a concorrência do mal caratismo só cresce e se aperfeiçoa.
Idealismo político e religioso é coisa rara de se ver, pois onde há dinheiro e poder, rapaz... 
O bicho pega.
E cuidado com quem se intitula “liderança política”, pois são aprendizes de feiticeiro, mais um aluno aplicado no curso intensivo da malandragem legalizada.
E aí, tem uma vaguinha para mim?
Quem não quer essa boquinha? 
Isto, também não é verdade?
Salve, salve ser humano! ...

SEM SAIR DA CAMA...

Adormeci em Itaparica e acordei em Brasília. Pode uma coisa destas sem sequer sair de casa ou mesmo da cama? A mente pode tudo e como num filme longo de muitas histórias, vez por outra, se revela, trazendo ao consciente o relevante de algum momento, Digo que são os “flashes de memória” que tiram das gavetas da mente os grandes momentos de início, meio ou fim de uma determinada história que, afinal, foi capítulo importante de nossas vidas. A cena escolhida nesta madrugada aconteceu em 1971, quando após um longo dia de trabalho, meu Roberto deitou-se no sofá e, com os olhos fechados, passou a ditar para mim que, sentada na beiradinha dele, tudo anotava num caderninho, assim como registrava em minha mente. Esta cena se repetiu por vários dias daquela semana, até que finalmente, em uma certa noite, comemoramos a criação de todo o sistema de circulação do que viria a ser o jornal Diário de Brasília. E pensar que éramos apenas dois jovens, ainda na casa dos vinte, e que o assunto em pauta era d…
E aí, entre as lembranças das luzes da ribalta e a visão das ruas desertas e sombrias, após dias de profunda inquietação, a rotina do cotidiano vai despertando, deixando para trás os devaneios, os sonhos e as ilusões.

Afinal, o que se quer?

Percebo que de uns anos para cá, cada notícia possível de se tomar conhecimento através dos meios de comunicação, suscitam nas pessoas reações fabulosas, já que cada uma, de repente, tem opinião formada e se torna incrivelmente especialista no assunto, que pode variar absurdamente entre a qualidade dos sons atuais de músicas e cantores, ao desempenho de Procuradores e Juízes, isto sem falar da economia, previdência, futebol, guerras internacionais, direitos humanos, assim como discursam sobre ética e política como se fossem PHD, tudo a depender da manchete do dia. Isso se por um lado é maravilhoso, pois de alguma forma aprende-se e ensina-se, por outro, tornou-se um espelho sem retoques da realidade do que nos tornamos como cidadãos de um país perdido em meio ao seu próprio caos. Pensa-se Brasil, propõe-se soluções, acreditando-se conhecer as raízes profundas da origem de cada problema e até sabemos a solução, de preferência apaixonadamente partidária, mas não nos sentimos capacitados p…

VONTADE DE CHORAR

Até mesmo gente como eu, que desde muito cedo optou em ser durona, em dado momento, tudo que deseja é encontrar um ombro amigo para simplesmente chorar e aí, passa um filme acelerado sem som, apenas imagens de amigos, conhecidos e parentes, sem que haja, uma pausa sequer para escolher, um só ombro para chorar. As lágrimas desaguam sem pedir licença e muito menos abre espaço para lamentações, talvez há muito represadas, rompem o dique e tão somente, me inundam. Lembro então de uma observação feita por meu pai, no auge de seus 86 anos, quando o surpreendi, chorando, solitário na poltrona da sala. -“Choro pelo mundo, pelo muito já vivido e pelo pouco que consegui alterar. Choro de tristeza e alegria, choro pela vida que sinto me abandonar. ” E assim estou chorando... Pelo mundo que curiosa quis um dia compreender. Chorando pelo pouco que também, consegui alterar. Chorando pelo meu tempo que safado, insiste em terminar.   E pensar que como sonhadora, quero ainda muito nesta vida realizar. Ah! C…

DISCURSOS E NADA MAIS

Nada como uma segunda-feira gorda de carnaval, depois de um saudável e seguro banho nas águas mornas de Itaparica, para deixar a mente já descansada, voltar ao raciocínio das coisas práticas da vida e, não há nada mais empírico do que a nossa alienação, enquanto cidadão. Habituamos a nossa mente e chamamos isto de cultura, tão somente, acolhermos o que na verdade nos empolga, nos impressiona com cores, brilhos e sons, que mais do que entorpecer nossos sofrimentos sistêmicos, ainda nos estimula a acreditar no intangível, já que verdadeiramente, lá no fundo da mente, muito disfarçado, se encontra a negação ao certo e ao ponderável. Duro ter que admitir que somos um povo com forte tendência ao mau-caráter, repletos de artifícios que se desdobra em camuflagens, só para disfarçar nossa necessidade sempre presente de escolhermos o pior que existe, como reflexos de nós mesmos. Única e consistente razão que encontro para justificar a não escolha de políticos que apresentem ao invés de promessas …

O ABANDONO É VISÍVEL

Ontem, enquanto estávamos na praia em Ponta de Areia, eu e meu marido lembramos dos carnavais de anos anteriores e dos muitos momentos de descontração e alegria que desfrutamos na orla com vizinhos e amigos e o mais importante, na mais tranquila segurança. Concordo que é preciso averiguar o que está ocorrendo, pois, Ponta de Areia e Amoreiras estão, meio que abandonadas e consequentemente, sem o brilho natural desta época do ano. Conversando com um guarda municipal, ele argumentou que não há efetivo para cobrir toda a cidade, também a polícia militar nesta época, pelo menos nos anos anteriores, ainda emprestava o pouco que tínhamos de efetivo, não sei agora. Bem, a decadência da mais bonita praia da cidade, além da única, capaz de receber um número maior de visitantes, tem neste verão, suas areias sujas, repletas de pedras, diminuindo visivelmente a participação de turistas, veranistas e até mesmo moradores. O Ibama e os demais órgãos responsáveis, só impedem Itaparica de cuidar de se…

SORVETE DERRETIDO

Costumamos dizer: - “Vou eliminar fulano(a) de minha vida”, como se fôssemos os únicos a desejarem esta proeza, descartando qualquer possibilidade do outro(a), estar com a mesma intenção em relação a nós. Ledo engano quando, acreditamos sermos os únicos que já não aguentamos mais a relação, afinal, o desgaste é mútuo em qualquer circunstância. O que pode ocorrer é que por inimagináveis razões, um lado se adianta na colocação de um ponto final.  Também existem aqueles, que mesmo insatisfeitos, vão seguindo em frente, não sem constantes lamentações e não se pode esquecer de outros que mesmo infelizes, insistem numa continuidade, pois não podem admitir a perda ou derrota da relação. Bom seria se fôssemos mais atentos e não deixássemos entrar em nossas vidas pessoas, tão somente, pelas razões fúteis de quase sempre, até porque, muitas ao entrarem, deixam as portas das suas vidas bem fechadas para nós. Geralmente, são invasivas com suas presenças marcantes, seja pela beleza, simpatia, generosi…

O UNIVERSO SE FAZ PRESENTE

Os sinos dos festejos universais estão batendo por este mundo de meu Deus, numa sintonia absurda, ou pelo menos, impossível de ser devidamente mensurada pela capacidade humana de compreensão. Não fazem barulho audível, apenas tilintam anunciando novas perspectivas do universo para contigo e os teus, e assim ocorre a cada ocasião em que o mundo ou as forças da vida se voltam para focar um único ser dentre tantos. Dirás:  - Como isto é possível? Digo-te que tudo é possível quando a vida encontra o bendito equilíbrio, nem que seja tão somente através de uma única e extraordinária partícula que a compõe. A serenidade de tua alma atingiu o seu ponto favorável, onde não há possibilidade de retrocesso, apenas continuidade. Sorva, portanto, o néctar que te chega como alimento maior e curva-te à certeza de que tudo é absolutamente possível se assim a criatura humana o desejar, utilizando pouco mais da infinita pequenez com a qual viciou-se a conviver. Tua mente é o teu Deus, que opera em ti com a sab…

O LEGAL, QUE É IMORAL...

Faço um enorme esforço em não me expressar como se minhas premissas possam ter a conotação de verdades absolutas, portanto, mesmo sendo uma pessoa extremamente emocional, busco embasar meus comentários além da simples opinião, afinal, são bem distintos nos seus conceitos. Estamos vivenciando anos difíceis de convivência em todos os níveis e muito destas dificuldades advém do excesso de liberdade que os meios de comunicação nos propiciam, abrindo na mente de todos nós infinitas oportunidades de expressarmos sobre qualquer assunto, algumas vezes com uma veemência de alguém com profundos conhecimentos, quando na realidade, por ouvir falar ou até mesmo vivenciar, traçamos opiniões pessoais, sem qualquer maior embasamento que sustente uma discussão sadia em meio aos naturais contraditórios. Fala-se muito em imparcialidade, mas sinceramente, não acredito que sejamos capazes de tê-la, pois em tudo que fazemos, colocamos os nossos sentimentos e emoções, por mais “lógica” que venhamos a colocar …