Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

LOGO PELA MADRUGADA...

O dia sequer amanheceu e já estou a postos frente ao meu “amigo” caderno, compondo palavras em um agrupamento de benditas letrinhas que ao serem juntadas por mim levam-me a crer que faço exatamente o que me satisfaz, proporcionando-me uma imensa satisfação que não troco por absolutamente nada, até mesmo permanecer no aconchego de minha cama quente ao lado do meu amor.

São 5:00 horas de um horário de verão e, portanto, os pássaros ainda não acordaram, estando nítido tão somente os grilos da madrugada fazendo coro e me fazendo companhia.
Nossa! Como sou pretenciosa, ao crer que a mãe natureza busca a minha companhia. Mas por que não? Afinal, sou fiel, amiga e parceira. Troco com ela confidências, sorrisos e até choramos juntas, daí o porquê eu me sentir acolhida, procurada e envaidecida.
Bendita natureza que pautou os meus dias estivesse eu em qualquer lugar que fosse. Quando criança e adolescente, mesclei o mar gelado e agitado de minha fascinante Ipanema com a calmaria das águas doces e…

Ética, no aqui e agora...

Volto a falar de ética, porque, afinal, este é um tema tão amplo quanto o interminável intercâmbio de qualquer natureza consigo e com o tudo o mais no qual se encontra inserido e que hoje é moderno designar-se de universo pessoal que os filósofos antigos já mencionavam na designação do habitat da criatura humana e muitos deles ainda relacionavam a uma transcendência universal.

Bem, no aqui e agora o sentido da ética tem sido moldado de acordo com os interesses e necessidades individuais, o que é absurdamente assustador, pois até então o que era possível de observar era a aplicação de uma ética de grupos, onde estes formulavam conceitos próprios em detrimento dos demais, característica que marcou grupos sistêmicos de forma indelével através de exemplos deploráveis das guerras e fundamentalismos de qualquer natureza.
Isso não significa que evoluímos nesse aspecto, já que de forma disfarçada e com um sem número de nomes a aplicabilidade da ética exclusivista permanece mais forte do que nun…

PENSANDO NISTO E NAQUILO

Diante de um inicio de ano meio que tumultuado com a greve dos policiais militares na Bahia, desabamentos de prédios no Rio e São Paulo, chuvas torrenciais para todos os lados no sudeste e norte, assassinatos, chacinas, crimes passionais e suicídios como o que ocorreu há poucos dias com a figura emblemática de Sapoti, em Itaparica,e se não bastasse ainda estar adentrando em um ano eleitoral, restando-me a certeza absoluta de que eu, assim como qualquer outra pessoa, precisa rever valores e posturas senão para com o intuito de algo poder amenizar na própria mente, pelo menos para com a lucidez compreensiva, ir vivendo cada dia buscando, seja com os parceiros, filhos, vizinhos, patrões ou empregados, um conviver menos traumático, estressante e absolutamente idiota, se não nos esquecermos de nossas finitudes que sem hora e dia marcados, certamente virá nos dizer olá, e aí... bem... aí de que mesmo valeu tantas perdas de tempo?
Pelos mortos, pessoalmente nada mais podemos fazer, mas por nó…