sábado, 29 de abril de 2017

O TEU QUINHÃO


Enquanto comparares a tua vida às realizações alheias, numa constante depreciação pessoal que nada te acrescenta, vais deixando de sentir as benditas inspirações para novos voos pessoais e profissionais.
Teu quinhão será sempre diferente dos demais a tua volta, mas ambos, oferecem o que possuem e juntos, são capazes de realizar grandes feitos.
O que chamas de “ingratidão” é tão somente, o direito dos demais de seguirem seus próprios rumos, guiados pelos seus próprios valores que, nem sempre comungam com os teus.
Nada perdes frente a suposta “ingratidão”, afinal, o teu quinhão é intransferível e nada e ninguém além de ti, será capaz de destruí-lo.

Isto por si só, deveria satisfazer-te. 

quarta-feira, 26 de abril de 2017

SEM NOÇÃO...


Fiquei sem internet desde ontem e, tão logo ela retorna, sou surpreendida com uma postagem onde se anunciava um edital de licitação para um novo Fórum a ser construído em Vera Cruz.
De imediato, acreditei ser brincadeira de mal gosto, mas logo a seguir, pude constatar que outras pessoas dividiam o mesmo espanto que eu, e aí, sou tomada por um misto de emoção, de dor e de profunda raiva, porque afinal, isto significa que estão nos tirando a nossa identidade enquanto cidade, e isto, é simplesmente imperdoável.
Penso então, que um processo desta natureza não se constitui de uma hora para outra e que, enquanto cidadãos de Itaparica, fomos enganados duplamente, porque oferecemos poder e autoridade a pessoas totalmente alienadas, incapazes de resguardar ou pelo menos tentar impedir que levem as nossas instituições.
Não posso de sã consciência, acreditar que Juízes e Promotores articulassem tais mudanças sem que, por questões éticas e morais, consultassem ou notificassem nossos gestores, assim como me é surreal pensar que os Procuradores e Advogados do município não tenham tido conhecimento em algum momento deste processo que fere de morte cada cidadão que tem noção da importância da sua comarca.
Aos poucos, lá vão tirando de nós a soberania, restando-nos tão somente brigarmos pelos cavalos, cães e gados nas avenidas em pleno Século 21 e a poucos quilômetros da terceira capital do país, ou chorar pelo remédio que sempre atrasa, pelo hospital deficitário, pelos Correios que nos faz o favor de manter uma precária agência, assim como pelas esquinas formarmos grupinhos para lembrar, em tom de lamento, que seremos sempre a “terra do já teve”.
Enquanto isto, nossas autoridades do passado e do presente, charlam num deboche constante, enquanto o povo se divide, se digladia e se machuca em nome deles.
Tudo muito sem noção.


sexta-feira, 21 de abril de 2017

EQUILÍBRIO, RAZÃO e AMOR...



Não há qualquer possibilidade de imprimirmos equilíbrio em nossas vidas, se não adicionarmos às nossas atitudes o senso da busca constante da razão, com embasamento amoroso, fazendo de nossa mente um celeiro de intenções harmoniosas.
Não é uma tarefa fácil, já que o sistema cruel nos contamina por todo o tempo, arrastando-nos à labirintos, que quando não nos cegam, no mínimo embaçam o nosso entendimento, oferecendo perfis falsos que nos induzem ao engano.
Toda mudança, seja lá do que for, precisa começar através das atitudes individuais, abrindo espaço para que a luz da razão adentre e possa se expandir chegando aos mais próximos como estímulo à uma possível também mudança.
E assim, o colar bendito da esperança passa a se tornar realidade, através de cada pérola a ele adicionado.
Se queres te livrar do lixo, não o jogue a teus pés.
Se precisas da água que te permite vida, não desperdice, não a jogue fora.
E se buscas a decência pública em prol do bem comum, dispa-te da ganância, da vaidade, da inveja e da inconsequência, tornando-te um exemplo inspirador.

Regina Carvalho – 04/2017.

MENSAGEM DO DIA


Teu bem-estar é prioridade, pois todo o restante se ajeitará, como desde sempre. Jamais te coloques nos degraus à crucificação, pois a tua dor se reflete no mundo.

Regina Carvalho

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Mensagem da noite.


Não te enredes nas malhas da discórdia, da vaidade e da inconsequência que te rodeia, pois o sistema é cínico e faz doer.
Regina Carvalho

MENSAGEM DO DIA


SE QUERIAS O SOL
RECEBESTES A AMPLITUDE DO ESPAÇO COM SUAS VARIANTES COTIDIANAS
SE QUERIAS O SOL
RECEBESTES AS CHUVAS NUM ALAGAR SUSTENTADOR
SE QUERIAS O SOL
RECEBESTES A CADA DIA O QUE TE ERA DE DIREITO

CIDADANIA NAS SOMBRAS


Mais do que as definições acadêmicas que conceituam a expressão “cidadania”, é preciso não esquecer da ética que garante a soberania do ato cidadão, dando a ele legitimidade.
Um fake ou qualquer outra camuflagem de identificação, desqualifica toda e qualquer suposta intenção de bem cidadão, pois fere o princípio básico da obrigação direta e inquestionável de responder por seus atos, apesar de estar exercendo o seu direito inalienável de ser e fazer o que bem entende.
Portanto, moral, ético e legal a cidadania nas sombras não merece qualquer maior consideração, tornando-se tão somente, mais um ato informativo sem assinatura, sempre merecedor de possíveis questionamentos.
Exercer a cidadania é muito mais que denunciar de forma vazia e sem maiores informações, trazendo suspeição a este ou aquele ato público, tornando-se necessários complementos informativos que corroborem para uma maior comprovação do ato de improbidade administrativa, ajudando assim a um esclarecimento mais adequado ao entendimento dos demais.
Afinal, nem tudo o que aparenta, realmente é. Daí minha insistência quanto a formação de uma comissão de cidadãos descompromissados com as vias partidárias, além da disponibilidade de tempo e competência avaliativa dos meandros da governança pública, para que possam estimular os vereadores a exercerem suas mais básicas atribuições.


sexta-feira, 14 de abril de 2017

CADÊ O PEIXE?


Rapaz, vai entender o povo...
Nas gestões passadas, os gestores distribuíam peixes, leite de coco e o escambal, e ainda assim, ouvia-se:
- Não faz mais que a obrigação.
- Só ganharam os parentes dos funcionários e os escolhidos.
E o blá blá blá seguia o antes, o durante e o depois.
Agora a gestora substituiu o peixe pelo Ovo da Páscoa e o povo está que reclama, “cadê o peixe? ”.
Afinal, se correr o bicho pega, mas se ficar o bicho come, não tendo como fugir da miscelânea democrática que se instalou nas avaliações dos cidadãos.
Como trabalhar com um povo sem cidadania?
Esta sempre foi a questão.
E na dúvida cruel, refugia-se o gestor no acolhimento seguro das suas também confusas visões pessoais em relação ao bem público, amparando-se nos elogios e se fazendo acreditar que está certíssimo.
E para quem tudo observa sem poder algum, resta algumas incertezas, repletas de perguntas.
- Como dar apoio a um gestor sem o lastro da idolatria sem noção?
Este com certeza será o grande desafio das lideranças políticas que se propuserem a mudar os rumos deste país.
­­- Como identificar o “reconhecimento” de uma devoção interesseira e bajuladora, da agressão e do repúdio também pela interesseira individualidade, provavelmente deverão ser os maiores desafios dos professores e mestres na construção crítica das mentes futuras.
Enquanto a educação não for o pão sagrado das transformações, com peixe ou sem peixe, seremos um povo manipulado por quem tem a vara, a isca e o mar para pescar.



domingo, 9 de abril de 2017

DOMINGO DE RAMOS E A FAMÍLIA


Todos que convivem comigo sabem que não frequento nenhuma religião e que quando sou convidada por alguma para palestrar, sempre direciono minhas palavras às reflexões a respeito da vida e do comportamento humano em meio a ela.
Não que eu tenha algo contra, muito pelo contrário, sempre acreditei que as mesmas são margens que norteiam a vida das pessoas, dando a elas direcionamento, amparo espiritual e consolo as suas aflições.
Apenas, enveredei por um caminho que acredito ser mais duro, pois por todo o tempo, encaro meus erros, numa busca permanente de aperfeiçoamento pessoal, tal qual me inspirou o homem Jesus, em sua curta, mas grandiosa caminhada vivencial, onde despiu-se das hipocrisias do convívio social, enveredando-se no entendimento da importância da vida a partir da sua e de tudo que nela reside.
Durante a minha infância e adolescência fui testemunha do respeito que todos ofereciam ao Domingo de Ramos e ainda posso me lembrar das procissões enormes que cruzavam as ruas de Ipanema, onde pessoas, famílias inteiras lá se reuniam num momento participativo de fé e até aqueles que não comungavam do catolicismo, como vários que eram também meus vizinhos, achegavam-se nos portões e janelas, num simbólico apoio.
Hoje é Domingo de Ramos, no Próximo será a Páscoa e tudo que nossas crianças e adolescentes sabem a respeito é que comerão ovos de chocolate.
Conhecer as histórias religiosas e suas tradições significa antes de tudo, “conhecimento”, “aprendizado” hoje, tão escasso em qualquer segmento humano.
E aí, a família como se estrutura se todas as tradições são simplesmente desconsideradas em troca de frases de efeito moral, doutrinária e bajuladora, mas sem a fundamentação necessária a um entendimento mais consistente?
Fatiaram Jesus e seu pai Deus, criando-se infinitas vertentes religiosas, onde a ética e a estética doutrinária se moldaram aos interesses de cada Igreja.

Isso certamente, não é evolução e tão pouco progresso.

sábado, 8 de abril de 2017

APENAS, GRATIDÃO


O sábado está esplêndido, repleto de luz deste sol ameno, que se torna pano de fundo para todo um infindável colorido que nossa Itaparica exibe, seja através de uma geografia belíssima, de um mar bendito que a abraça por todos os lados, mas principalmente por um povo que dia após dia, supera seus próprios limites na busca da sobrevivência e ainda é capaz de pensar no outro de uma forma singela, mas extremamente eficaz.
E foi sempre nas pessoas mais simples que eu e meu Roberto, assim como com o parceiro do cotidiano Eduardo, encontramos apoio a todas as campanhas solidárias que implantamos através da Rádio Tupinambá FM, levando-nos a conclusão do quanto somos felizes por podermos contar com todas estas criaturas que simplesmente nos emocionam.
Particularmente, todas as vezes que estou junto a cada uma delas, impossível não ter meus olhos marejados de lágrimas de gratidão, pela confiança que sempre depositaram em meus propósitos humanitários.
Obrigada, portanto aos amigos irmãos de alma e de fraternidade:
Conceição Sacramento-João Rivas-Piedade e família-Roberto Rodrigues e Silene-RN Refrigeração nas pessoas de Nelson e Cíntia- Nelson do Bar 3M-Néia do J. Nova Itaparica-Josemar Santa Rita de Manguinhos- Nadja de Ponta de Areia- Celma Santos e Dona Silú do Alto Stº Antônio- Roque de Amoreiras- Luiz Pina- Rosalina de Porto Santo- Rita Pé de Ouro-Jadilson Panificadora Gameleira- Newton e esposa do sacolão Maré Cheia.
Essas pessoas maravilhosas colaboraram para que na próxima quinta-feira Santa, possamos entregar roupas e alimentos como forma de participação cidadã, junto aos vizinhos que foram vítimas do infortúnio com a chegada das chuvas no Alto das Pombas, Areal, Mangue Seco e arredores.
Um agradecimento especial ao amigo Daniel, proprietário do Bar dos Amores no Alto das Pombas, que em todas as ocasiões, cedeu seu espaço e seu acolhimento para que realizássemos as promoções.
Esta união é a forma que encontramos de expressar o nosso amor a Deus.


sexta-feira, 7 de abril de 2017

POR FAVOR ACABEM COM ISTO!!!!!


Ao longo de minha vida, constatei através da mídia e mesmo de meu trabalho, inúmeras situações iguais e até piores, pois vidas foram perdidas.
O tempo foi passando e por todo o Brasil, este problema de alagamento foi se intensificando e nada, absolutamente nada eficaz foi feito para impedir que estas tragédias se repetissem.
Hoje, sinceramente estou “virada na porra” como bem fala o povo baiano, pois cheguei ao meu limite de tolerância em relação a esta política maldosa, que domina cada pedacinho deste nosso país varonil.
Esta reportagem abaixo é o exemplo descarado do abandono que Prefeitos e Governadores dispensaram à nossa cidade e que ano após ano, flagela famílias, tirando delas os sonhos e bens conquistados as custas de trabalho duro e muitas privações.
Sinto-me envergonhada dos muitos aplausos que ofereci aos políticos de posse do poder, acreditando que com aquele seria diferente.
As lágrimas desta senhora, deveriam lavar as nossas culpas por termos sido até o momento, complacentes com o abandono de nossos amigos e vizinhos, e ao mesmo tempo, oferecer a cada um de nós, a certeza de que como está, não mais poderá ficar.
O que assistimos através deste vídeo é o sofrimento transformado em humilhação, ao ter que pedir pelo amor de Deus uma ajuda como compensação da perda de seu sagrado direito de viver em paz e com a dignidade de ter sua casa preservada.
Assim como ela, quantos mais?
Estabelecer prioridades, aplicar os recursos públicos com decência em favor do povo, acabar com a politicagem vergonhosa, creio ser o mínimo que se pode esperar em uma cidade pequena, cujos valores estão atrelados a um viver simples e respeitoso.
Tudo muito lamentável ...
Tudo muito vergonhoso...

E não me venham falar de amor e muito menos em Deus, por que tudo isso é perverso e inimaginável na mente de quem verdadeiramente gosta e pensa no melhor para os seus semelhantes.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

NEM TUDO BEM, NEM TUDO MAL


Apenas como sempre nos piores dias. E quem disser ao contrário, certamente creio que deva estar em outro planeta, que não este que abriga a nossa amada Itaparica.
De repente, os petistas repetem tanto seus feitos magníficos, negando veementemente seus desmandos, que, talvez, tenhamos aprendido a enxergar tão somente o que nos convém, num exercício contínuo de sobrevivência, como argumento único dos naufragados.
Mas espera aí, por favor que me entendam, antes de se voltarem para me malhar, mesmo antes do sábado de aleluia, pois não sou Judas e tão pouco Pôncio Pilatos, sou tão somente uma cronista insistente, que a tudo quer ver, mas muito pouco consegue enxergar, já que as falácias são muitas, confundindo-se com as realidades grotescas que ferem as vistas, doem os ouvidos e entristecem a alma.

E ainda não querendo sair da Bíblia, lembro-me de Filipenses 4-13 (Tudo posso naquele que me fortalece), derradeira esperança para quem também insiste em não perder a fé.

terça-feira, 4 de abril de 2017

QUE FIM LEVOU ?

A Carroça e a camionete, foram compradas na gestão de Claudio Neves. Como não foi usada na gestão de Vicente Gonçalves e muito menos do Raimundo da Hora, bom seria que os senhores vereadores, buscassem seu paradeiro, pois se sumiu, alguém certamente é responsável.Everaldo Camarão e demais edis, por favor nos ajudem a esclarecer o mistério. Caso a gestão atual tenha comprado ambas, certamente existem notas com dispensa de licitação, pois não teria tido tempo hábil para fazê-lo. Quanto aos cavalos sempre terem existido, é verdade, até porque, sempre fui também uma incansável pedidora de socorro, todavia, se formos pensar assim, é melhor colocar o dinheiro da arrecadação na poupança, dispensar todos os funcionários extras e mandar nossos governantes descansar em férias remuneradas e deixar a cidade como sempre esteve, a meia boca de uma real e efetiva evolução de hábitos e costumes. Cobra-se desta gestão, justo porque ela existe para atender as necessidades dos munícipes e é natural que queiramos algo melhor. E aí, não reside partidarismo, implicância ou qualquer outro sentimento que não seja o direito inegável de se pedir esta ou aquela providência. Todavia, se formos como cidadãos nos tornar vigilantes de cada canetada que for dado na administração, estaremos deixando nossos valorosos vereadores sem ter o que fazer, pois ganham e muito bem para checarem as lisuras das licitações e demais compras e pagamentos. venho acompanhando as redes sociais e até em alguns momentos também aderi as cobranças, mas precisamos conscientemente dar a Cesar o que é de Cesar, evitando exageros de nossas partes, pois caso contrário, seremos desconsiderados como reais mandatários de nossa cidade.

O DESPERTAR


É prerrogativa do chefe do executivo a escolha de seu estafe de secretários e assessores diretos, indiretos e etc. e tal, todavia, não seria nada ruim se os mesmos fossem oficialmente apresentados ao povo, quando de suas nomeações, onde fosse possível os conhecimentos de suas qualificações, afinal, irão trabalhar com o gestor, mas em função do bem público ou pelo menos é esta a “lógica da coisa”, até porque, seus salários e salamaleques especiais serão pagos com o erário público.
Quando de suas dispensas, a mesma satisfação deveria ser oferecida ao povo, pelas mesmas razões, acrescido do fato de que na realidade a não satisfação dos motivos da dispensa cria uma espécie de amargor, pelo que parece ter sido um desperdício do mesmo erário que tão caro custa ao povo brasileiro, especialmente, os das cidades pequenas, cuja aproximação é inegável, criando uma outra sensação desagradável de sentir-se lesado de alguma forma.
Estes sentimentos danosos quando exteriorizados são através de uma raiva disfarçada em indiferença ou falsa aceitação, mas que na realidade são energias que se propagam como rastilho de pólvora, quando finalmente o povo decide dar um basta aos hábitos velhos e sistemáticos.
Quem é quem, ficam os cidadãos se perguntando pelas esquinas, bares e calçadas, num murmurinho cujo som só é ouvido quando a reversão já se faz quase impossível, levando-me a pensar o quanto é perigosa a ascensão ao poder de qualquer natureza, pois nubla o senso avaliativo e deixa aflorar a vaidade de se sentir em uma corte dourada, onde o brilho que emana é oriundo do ouro dos tolos, cegando até mesmo a mais astuta das criaturas, se atenta ela não permanecer.
Moral da reflexão:
Enquanto o povo dormia ou se anestesiava ao som dos trios elétricos e das partidas de futebol, tudo era possível no quartel de Abrantes, mas quando o povo desperta do torpor que o neutralizava é como o despertar de tigres e leões, impossível de se evitar o seu bocejo.