Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2010

VOLTEI

Persistente, aparentemente incansável, cá estou eu novamente escrevendo, mesmo depois de dizer e escrever no texto de ontem que aquele seria o último do ano.
Que coisa, hein!
Para falar a verdade, até tentei ficar longe de minhas letrinhas, mas fazer o quê, se a compulsão me domina e me lança sem pedir licença a esta tarefa, como se fosse um vício poderoso, mais forte que até mesmo um possível cansaço absolutamente natural que estou sentindo, se não pelo reconhecimento de que estou uma senhorinha, pelo menos pelo fato indiscutível de que somente neste ano produzi cerca de mais de 300 textos, afora um ensaio, que ainda não acabei, sobre a vida após o fenecimento físico, tema que me fascina e me faz mergulhar no imaginário humano, meu e de muitos mais em busca se não de uma verdade, pois, afinal, somente depois que eu morrer terrenamente é que terei certezas, pelo menos, adentrar neste universo de fantasias das quais nos fascinam em seus estereótipos absolutamente surreais que as nossas …

TAREFAS DE ESCRIVINHADORA

Independentemente do que escrevo quase todos os dias neste blog com o qual sou agraciada com um número expressivo de seguidores, visitantes e correspondentes, ainda mantenho meus registros observatórios em relação às posturas físico e emocional das criaturas humanas em estudos filosóficos, abrangendo-as em seus universos pessoais com seus efeitos psíquicos posturais de individualidade e em grupos sociais, formatando a partir daí, perfis comportamentais, visando esclarecer, através das distorções de condutas que se apresentam, patologias que invadem cada vez mais devastadoramente cada criatura em seu cotidiano.

Tracei uma correlação entre as inúmeras constatações patológicas e as induções psico sociais e a partir daí, fui delineando o que no meu entender de existencialista, seria o ideal a ser ministrado à partir dos primeiros meses de vida de uma criança, chegando inclusive ao ventre materno e na relação considerada ideal de gestação.

Paralelamente, por entender a impossibilidade de uma…

RETROSPECTIVA

O ano está terminando e gente como eu, que passa a vida querendo entender tudo que acontece, não aceitando de pronto absolutamente nada, não poderia deixar de analisar alguns fatos ainda incompreensivos.
Para não ficar escrevendo até a chegada do Ano Novo, vou procurar resumir, muito porque alguns fatos ocorridos estão sendo bastante repetitivos e seria então bobagem relatá-los, o que não significa que sejam menos relevantes, apenas pelo que venho observando já estão inseridos nos cotidianos como se naturais fossem, e continuar a querer entende-los seria ofóbico, uma vez que não fará qualquer diferença real, pois de imediato predispus-me a não querer entende-los, justo pela pujança de barbárie que apresentam sem que haja em meu ser de criatura humana qualquer possibilidade em encontrar lógica ou conexão com mentes racionais humanas.
Penso, então, que devo restringir minhas dúvidas ao meu próprio universo pessoal de convivência onde, por quase todo o tempo, fico me questionando do porqu…

NOVA REALIDADE

Às vezes e, ultimamente, com muita frequência, venho tendo a impressão que, confesso me assusta de que, não pertenço mais a este mundo.
É uma sensação de vazio que, longe de ser desagradável, me deixa leve, absolutamente em paz, como jamais antes havia me sentido. E por ser nova, mas também cada vez mais constante, ainda fico meio pasmada, crendo que, de alguma forma, estou à parte de quase tudo, permanecendo como uma telespectadora que, atenta a tudo, observa, mas sem se inserir de verdade.
Logo eu que estou por todo o tempo escrevendo sobre interação, participação e etc. e tal?
Pois é... Que coisa, hein?
Penso, então, que talvez seja a bendita plenitude que busquei por toda a minha vida, sem exatamente compreender como ela se apresentaria, quando finalmente a atingisse.
Será que após tantas décadas de buscas e esperanças em consegui-la, justo porque jamais deixei de crer que estar neste mundo maravilhoso fosse mais que apenas seguir padrões pré-determinados, ela me alcançou e eu aind…

SINAIS NATURAIS

Pois é, acordei cedinho neste 25 de dezembro, como faço em todos os demais dias e não foi que, para minha surpresa, este amanhecer foi absolutamente diferente dos demais?Bem... Talvez, pensando um pouco, não tenha sido diferente, apenas um pouco mais conscientizado, o que para uma pesquisadora emocional, trata-se de uma oportunidade fantástica de um novo aprendizado.E aí, penso também que não se trata de um privilégio ou uma prerrogativa de alguns como eu, apenas se trata de um interesse maior em não desconsiderar qualquer aspecto vivenciado, reconhecendo seus efeitos na estrutura física, consequência da estrutura interligada do mental e dos sensitivos em sua produção constante de emoções.Pode até parecer complicado ou fazer crer que, para tanto, precisar-se-á de uma vigilância permanente e ininterrupta, o que na realidade seria contraproducente e totalmente contrário aos princípios básicos do naturalismo, que é justo estar absolutamente livre para estar-se integrado à própria existên…

UM PRESENTE PARA VOCÊ

Pois é, fiquei pensando o que eu poderia oferecer como uma forma de carinho a cada um de vocês meus amigos virtuais, que me acompanharam nesta jornada diária de escrevinhadora apaixonada, e aí, descobri esta foto e logo me convenci de que não poderia existir nada mais leve, delicado, silencioso, resistente, encantador e belo quanto um explendoroso Beija-flor que simboliza com a sua pequenês e simplicidade de um ser vivente, toda a grandeza que a vida representa.

Rogo ao meu Jesus, inspirador dos pensamentos que agrupo em palavras e que refletem o meu amor pela vida em seu todo existencial que abençõe cada um de vocês a cada momento de seus instantes presentes, também inspirando-os amorosamente em suas passadas, pensamentos e ações.

Rogo também que continuemos juntos, pois para mim, poxa, é muito, mas muito bom mesmo, saber que vocês existem e que me visitam ou se permitem serem visitados por mim.

Um beijo carinhoso, um dia de Natal Feliz e uma passagem de Ano repleta de planos a serem re…

OSCAR, O GRANDE.

Acabei de assistir o documentário que foi feito em 2006, homenageando o arquiteto da Invenção, Oscar Niemayer, por ocasião das comemorações de seu centenário.
É sempre um imensurável prazer ouví-lo em suas dissertações filosóficas a respeito do sentido maior do respeito humano. Classificando-se, por toda uma existência, como ainda comunista, mas em todas as ocasiões em que pude escutá-lo e apreciar a leveza de seus projetos, enxerguei nele um homem e seu design de socialista na mais pureza de suas expressões, onde não há lugar para hipocrisias populistas, mas, tão somente, soluções práticas e absolutamente despojadas, onde o homem em sua essência de potencialidades possa manifestá-las através de uma liberdade expressiva, fruto de uma estruturação física e emocional, oriunda de uma vivência embasada em princípios básicos, mas fundamentais de sustentabilidade própria em meio a um social que, momentaneamente, se encontra absurdamente destorcido.
Neste documentário e até no que sei, nos di…

MENSAGEM...

Que em cada caixa, pacote ou sacola com presente de Natal que você comprar para oferecer, seja nele adicionado as suas intenções de vivenciar com mais harmonia, equilíbrio, razão e amor cada instante de vida na convivência com aquele que irá recebê-lo, pois esta é a primeira e última atitude que nos garante a paz interior, mãe absolutamente protetora quanto a quaisquer interferências nefastas às nossa mentes e emoções. FELIZ NATAL
Que 2011, antes de tudo, represente o ponto zero de uma nova caminhada na sua decisão amorosa consigo mesmo de ser e permanecer mais consciente com o simples, mas extraordinário fato de estar vivendo.
FELIZ ANO NOVO

NENHUMA BRASTEMP

Ando meio sem assunto, às vezes até crendo arrogantemente que já escrevi sobre tudo.
Pode uma coisa dessa?
Quem sou eu para ter este pensamento?
O que acontece é que dentro de meu universo vivencial logístico, realmente os assuntos diferenciados parecem tão somente repetição, tipo: filme já assistido. Afinal, são anos consecutivos escrevendo diariamente, sem qualquer trégua.
Como penso que sou uma escrevinhadora social, abusadamente, relato tudo que vejo acontecer, jamais deixando de oferecer meus palpites pessoais, sem que me sejam pedido, o que atrai quase sempre a rabujentice de alguém que, inconformado com o meu atrevimento, no mínimo torce o nariz e me ignora.
Quando não fazem pior. Ninguem melhor que eu para saber.
Voltando à falta de assunto que me assola nesta manhã um pouquinho chuvosa, onde as nuvens encobrem o sol que, confesso, adoro receber logo bem cedinho, penso que tudo se deve a ansiedade que também me atinge diante do Natal que se aproxima rapidamente, exigindo desta senh…

CUIDADOS ESPECIAIS

Gosto de acompanhar os noticiários da Globo News, justo porque são mais completos em suas informações ao contrário dos jornais dos horários nobres que tão somente representam instantâneos eletrônicos que indubitavelmente informa, mas não dão tempo e espaço entre uma notícia e outra para que foquemos em qualquer entendimento maior.
Por outro lado, o excesso de detalhismos, hoje bastante comum e apreciado por uma gama imensa da população, e que salvo engano, começou com o jornalista Gil Gomes no SBT em São Paulo, no início dos anos 80, sinceramente me cansa, chegando inclusive a me revoltar em certos momentos em que o profissionalismo sério cede lugar a embromologia, ao abuso de muitos dos direitos constitucionais dos cidadãos envolvidos em clara e franca exploração da miséria humana.
Descobriu-se o filão do sucesso de audiência e a TV, então, em determinados horários, passou a apresentar, como dizem seus comandantes televisivos, a realidade do cotidiano, ao vivo e a cores, inclusive na …

OBRIGADO...

Novamente estou, e ainda bem, vivenciando um novo dezembro de muitos compromissos sociais inerentes ao Jornal Variedades e a profusão de eventos que pipocam por todo o tempo, e aí, sobra muito pouco espaço para as demonstrações de carinho que eu gostaria de expressar a cada pessoa que adentrou em meu cotidiano ou que apenas continuou generosamente apoiando e respeitando a mim, a minha família e aos nossos trabalhos ao longo deste ano de 2010.

Gostaria de dizer que é sempre uma surpresa a cada ano perceber e acolher tantas emoções que nos são oferecidas, mas eu não estaria sendo honesta justo porque desde o instante em que chegamos a esta terra bendita, não houve um só instante onde não fossemos acolhidos com a generosidade que somente os grandes podem e sabem oferecer. Até mesmo aquelas raras criaturas que, por um motivo ou outro, não puderam ou não quiseram nos emprestar os seus carinhos pessoais, até mesmo estas jamais se furtaram ao respeito e a consideração de suas tolerâncias.

At…

A VACA FOI PRO BREJO

Faltam 15 dias para o Natal e eu não sei dos movimentos natalinos em outros lugares, além daqueles que a TV mostra e, é claro, pelas bandas de cá, sinceramente, o comércio pode até estar vendendo mais que nos anos anteriores, não duvido, mas em se tratando de clima natalino, a vaca foi pro brejo.

Aliás, não foi só o Natal que percebi que foi, afinal, a cada ano vivido, e olha que sou sortuda e bota ano nisso, mais e mais tradições são esquecidas, desvirtuadas ou simplesmente vão para o brejo, tirando do cotidiano das pessoas certamente um pouco de encantamento, tão necessário quanto estimulador e mantenedor de certa interagibilidade participativa que unia um pouco mais as criaturas em seus locais de convívio e, em se tratando do Natal, até mesmo as de outros países passavam adiante um espírito de solidariedade e amor, únicos sentimentos que se não eram totalmente reais, pelo menos envolviam e faziam crer a todos que as pessoas de todos os lugares, pelo menos no mês de dezembro, se torn…

ATÉ LÁ...

Hoje, a profusão de pássaros está tanta que, até os cachorros estão surpreendidos e desatam a latir, correndo atrás de alguns e ao invés de atrapalharem o show matinal,dão a ele um novo formato que naturalmente não deixo passar batido e corro a registrar, repleta de emoções.
Penso então que viver plenamente é justo estar atento aos detalhes obviamente repetitivos e então,é possível reconhecer-se a tal felicidade que buscamos por todo o tempo sem que nos apercebamos que a temos e nem a notamos porque à transformamos em tão somente um estado lúdico e ilusório emocional com uma pseuda verdade de que para obtê-la, precisaremos ter isto ou aquilo, nesta ou naquela situação.

Aos poucos os pássaros estão se aquietando e automaticamente um a um dos meus amiguinhos voltam a deitarem-se próximos a mim , fazendo-me novamente perceber as mutações divinas de nossos sentidos que nos remetem à paz após a presença do encantamento de segundos de absoluta interação com a natureza e portanto a felicid…

Um Deus mais humano...

Olha-se ao redor e tudo parece normal. Uma discussão irrompe entre duas mulheres que parecem amigas, uma criança faz birra e sua mãe a arrasta rua a fora, alguém ecoa uma gargalhada estridente, um carro freia bruscamente, alguém xinga um palavrão, jovens passam rindo alto, fazendo brincadeiras uns com os outros, o carro de som faz publicidade de alguma coisa que não deu para entender, pois do sistema de alto-falante dos postes (que se auto-denomina rádio) soa uma música barulhenta, levando-me a crer que em breve enlouquecerei se não houver uma pequena trégua neste emaranhado de sons e movimentos, cores e aromas.
De repente, tudo se acalma, ouço apenas a voz chata de alguém pregando o evangelho e fazendo dele sua espada afiada contra os gays e lésbicas da região.
Penso, então:
- O que é isso, meu Deus?
- Que pessoa é esta que desafia a Lei e se coloca no papel de julgador, crendo que seu Deus, de tão particular, lhe dá o passaporte para estar acima do respeito que deveria ter pelos seus se…

O QUE FAZER...

Enxugo as lágrimas teimosas que insistem em rolar por este rosto de mulher madura e penso, então, que se néctar regenerador este choro fosse, nenhuma ruga existiria neste meu semblante, assim como, nenhuma mágoa deixaria de ter sido lavada e, portanto, retirada desta minha alma de artista que, tal qual as lágrimas, insiste em enxergar um mundo mais bonito que na realidade o é.

O que fazer com este sentimento de frustração, quando por instantes vejo-me diante do imponderável?

Os anos passam e apesar das lágrimas parecerem as mesmas e eu crer que até mesmo choro menos, vejo-me como agora, sem qualquer amparo, chorando novamente por mais um barco que não voltará jamais.

E apesar de saber que outros virão, como sempre vieram, não encontro consolo por este, que acabo de perder.

Deixo-me então chorar, pois fazer mais o quê, se não mais me cabe singrar ao lado deste barco que não mais verei.

Penso então, em minha alma de artista que, livre, cria e molda incansável paralelos de luz, mas que também…

CONTRA PONTO

Ontem, tão logo terminei de escrever sobre os cajus maravilhosos que recebi de meu amiguinho Luiz, embarquei no Ferry Boat para ir à Salvador, almoçar na casa de Eloysa, uma querida amiga.
E aí, fui observando ainda no terminal que tudo por lá está com uma aparência de abandono e então lembrei-me da sujeira e decadência que era antes da TWB assumir os serviços.
Apesar de termos inúmeras reclamações, pois certamente os serviços poderiam ser de melhor qualidade, é preciso reconhecer que, inicialmente, houve uma substancial melhora. Tanto que o fato de não estar havendo continuidade, pelo menos quanto ao asseio, manutenção dos terminais e ferrys logo chamou minha atenção.
O atendimento, pelo menos noturno, dos funcionários para com o público, nos guichês e catracas, também poderia passar por uma reciclagem, afinal, um sorriso, uma BOA VIAGEM, não custa nada, não é mesmo?
Faço uma ressalva às paredes laterais dos corredores de acesso que poderiam receber uma mãozinha de tinta para que seus…

INTENÇÃO PERFUMADA

O mês de dezembro, logo no seu primeiro dia, começou para mim de uma forma muito especial.Como ocorre todos os dias, cheguei à tarde na loja e, para minha alegria, constatei que havia um presente para mim que o meu amiguinho Luiz, de 14 anos, havia deixado.Gente... Era um saco de lindos cajus. Maravilhoso!Já escrevi a respeito de cajus em várias ocasiões, pois acho que, juntamente com a manga, são os frutos mais bonitos e cheirosos, além de carnudos e saborosos.Agora, além disso tudo, ainda ter sido um presente do Luiz, só posso considerar que foi um recado do Meu Deus, querendo que eu não me esquecesse que sempre vale a pena investir carinho, respeito e solidariedade nas crianças.O mundo está abarrotado dos Luizes, Marias e Josés que não pediram para nascer e que nada possuem além do fato de estar existindo. A eles, falta tudo que nos sobra e, ainda assim, somos egoístas e preconceituosos.Quando, nem que seja por um pouquinho, nos direcionamos a eles para tão somente resp…