Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2018

O CONTRADITÓRIO

Fala-se muito no respeito que se deva ter às opiniões contrárias, todavia, difícil de se encontrar na prática dos relacionamentos uma real aceitação, já que é da natureza humana querer sempre estar com a razão, seja lá do que for. E aí, com o advento das redes sociais, este transtorno de personalidade veio à tona, deixando transparecer de forma crua, o quanto somos capazes de nos esmerar na crueldade, com todo aquele que não concorda com as nossas escolhas ou avaliações. Não sabemos em geral argumentar, expondo de modo claro nossas ideias e ideais; partimos logo para a agressão, forma rápida de interromper o que poderia ser um salutar aprendizado. Daí, estarmos caminhando para a barbárie sistêmica, onde a verdade individual se torna absoluta e a ignorância em todos os níveis se solidifica. Perdemos de tal forma a capacidade de conviver de maneira saudável que, até mesmo, membros do maior escalão da República, como os do STF, se comportam como feras enlouquecidas, perdendo todo o senso de …

INCOERÊNCIA?

Nada como um pouco de aparente solidão para darmos espaço à mente para pensar a respeito das coisas com as quais vivemos e que se mostram também tão aparentemente incoerentes. Não há um só lugar que se adentre em Itaparica que o assunto não seja a respeito da nova gestão e sua questionada eficácia administrativa. Isso me faz lembrar do ano de 2016, onde o mesmo ocorria e, em ambos os casos, observei uma precipitação nas avaliações, já que os exageros de qualquer natureza sempre devem ser observados com critérios rigorosos. Ainda me lembro o quanto era constrangedor, para quem não era partidário da atual Prefeita, ficar calado frente a quantidade de insultos, assim como o desfilar de possíveis realizações que aconteceriam após as eleições, já que era dado por todo o tempo, como certa a vitória da mesma. Era uma euforia, que cá para nós, bonita de se ver, afinal, pelo menos para mim, após tantos anos da eleição de Cláudio Neves, levando-me a concluir no dia da vitória, que a pupila, finalme…

UAI, sô ...

Finalmente, acabei entendendo o que significa o tal do “uai”, tão incorporado no linguajar dos mineiros e que de bobagem ou gíria nada representa, sua origem é do Brasil Império. Tratava-se de uma senha, usada como identificação dos “inconfidentes”, afim de se identificarem nas ocasiões sociais ou para adentrarem nos esconderijos, onde aconteciam as clandestinas reuniões. Era uma sigla que significava: União- Amor e Independência. Entender o significado do que falamos é sempre conhecer melhor a nossa cultura.

CANTADORA

Nesta madrugada, amanheci cantadora, talvez na vontade inconsciente de imitar os pássaros. Abro a janela e o silêncio só não é total, pois a chuva pesada cai impiedosa, formando uma pequena cascata caudalosa nos degraus ao pé da varanda e banhando vigorosamente as minhas plantas e árvores, chegando a envergar os galhos mais frágeis, fazendo-os bailar tal qual, as folhagens dos coqueiros. Respiro fundo e deixo entrar o frescor desta madrugada de outono em mim, revigorando a essência de sonhadora e apaixonada, despertando-me para um novo dia. Que maravilha viver!!!!! Bom dia a todos com o meu carinho.

FAZER O QUÊ?

Apostei 50,00 reais a favor da decisão que se confirmou no julgamento espetaculoso do recurso do Ex-presidente Lula da Silva na tarde e parte da noite de ontem. Circo armado e previsível de um STF, que há muito vem perdendo a sua capacidade de se fazer respeitar. Como levar a sério, horas a fio de um desfile de verborreias jurídicas, praticamente inteligíveis à maioria do povo, numa repetição de posturas camuflativas, disfarçando um clima tenso que certamente, não passou despercebido dos pobres mortais que assistiam ao show dos maiorais. O tom de defesa reinou entre as autoridades máximas do judiciário que mesmo utilizando-se das costumeiras artimanhas, vez por outra, algum com expressão solene, lembrava aos demais que se tratava de um ex-presidente de dois mandatos, como se o fato de ser a autoridade também máxima de um país, não devesse ser aplicado nas suas condutas, morais e éticas. Perdemos de vez o rumo, o prumo e a decência, quando penso que tais autoridades são os espelhos distor…

SEJA BREVE

Conversando com minha filha a respeito de uma nova forma de me comunicar nas redes sociais, escutei dela o seguinte: - Mãe adorei, mas para fazer sucesso, precisa que suas mensagens sejam breves. Não foi novidade para mim, já que observo há alguns anos, que quando escrevo um texto mais analítico recebo bem menos curtidas e comentários do que quando coloco mensagens curtas e diretas, o que sempre me causou frustrações, afinal, para que tanta pressa tem as pessoas hoje em dia? Não vou entrar em considerações, cada qual sabe de si, não é mesmo? Mas fico pensando que tanta pressa tem nos levado aonde, mesmo? Não seria a pressa uma nova vestimenta para a preguiça de se ir mais fundo, seja lá, aonde for? E que talvez essa pressa contínua esteja flagelando os prazeres maiores, como ler um bom romance, apreciar um lindo pôr do sol, bater um papo com amigos, sem necessariamente ser na sexta no final do expediente com a adição etílica, ouvir um outro alguém em seus instantes de dor, sei lá... São tant…

RECEBENDO DEUS

De repente, o dia começa a amanhecer, meus pássaros como sempre me acordam, sento na cama e penso: -Levantar tão cedo para quê? Mas o hábito faz o monge e dez ou quinze minutos depois, cansados de também esperarem, meus cachorrinhos, começam a bufar ao pé da janela do quarto, pedindo inquietos para entrarem, pois, a rotina deles, não mudou. Agora juntos, pois estão sempre aonde estou, amparam-me nesta aparente solidão onde permanece a maior parte do tempo, qualquer escrevinhador e onde tento narrar esta minha nova rotina de desocupada que ora começa. Neste instante, o pássaro assoviador se chega em minha amoreira, fazendo a maior zuada, talvez para me lembrar que rotinas, até podem ser alteradas, mas ainda assim, a vida bela e diversificada me aguarda, para juntas, iniciarmos uma nova caminhada. E aí, olho através da janela e ao enxergar, parte do céu radiantemente se iluminando e ao mesmo tempo, sentindo os aromas já tão conhecidos dos frutos e das plantas, respiro fundo, sorrio e curvo …

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Se tem algo que realmente vale a pena nas redes sociais é essa tal de liberdade de expressão, que não importava muito no passado, até porque, não se tinha consciência do que realmente significava, até que a ditadura foi implantada e muitas vozes foram silenciadas. E assim como num passe de mágica, alguns segmentos descobriram o valor da liberdade de poder dizer o que se pensa. E aí, exercitar o uso das palavras foi um passatempo inconsciente, mas muito eficaz para os jovens daquela época, que buscaram nas leituras dos grandes mestres da literatura recursos linguísticos e filosóficos, caminho mais seguro para um aprendizado mais sólido, formando-se então, à época, um sem número de intelectuais que nos brindaram e alguns ainda brindam com os seus mananciais de conhecimentos, transformados em poesias e músicas que mesmo não tendo exata noção do bem que nos apresentavam, fazia enaltecer valores, sonhos e desejos, tão somente armazenadose nunca expressados, deixando o abusado risco de arris…

APENAS UMA QUESTÃO DE VISÃO

Se todos passassem o tempo que dispensei na minha vida para, tão somente, observar e pensar, com certeza o mundo seria um paradeiro sem fim e eu não teria o que analisar, ponderar e, finalmente, expressar. Não que eu tenha sido uma paradona em tempo integral, afinal, a vida não me deu esta canja, pois precisei batalhar muito, todavia, mesmo na labuta, encontrava aquele instante em que algo chamava a minha atenção e então, lá estava eu, registrando e por vezes, horas, aquele fato dominava a minha mente, numa busca incessante de compreensão. Pelo que me lembro, sempre foi assim, mesmo em criança. Será genético? Sei lá... Mas também, a quem importa. Hoje entendo que na realidade, percebi muito cedo a falta de coerência em quase tudo da criatura humana, que talvez por não saber exatamente nada de nada, pois somos absolutamente neófitos de nós mesmos, debruçamos nossas mentes em posturas totalmente díspares do que pensamos ou gostaríamos de realmente expressar, daí tantos desencontros, lutas de…

POIS É ...

Estava aqui quietinha neste sossego de minha casa, e como de costume, ouvindo os meus pássaros neste final de tarde; e como não poderia ser diferente, pensando em tudo que ouço, vejo ou diretamente vivencio e, é claro, que a minha cidade sempre é prioridade, todavia, ao colocar em palavras, preciso ter todo o cuidado para não enviar a intenção errônea das mesmas. Talvez por esta razão eu seja tão didática, pois ofender e denegrir seja lá o que for, não faz parte de minha natureza pessoal e muito menos profissional. Penso que estamos tão absortos com os horrores deste sistema social e político que deixamos em sua maioria o óbvio passar despercebido e, então, brincadeiras saudáveis como tivemos no “face” podem ser ricas fontes de inspiração no sentido de acordarmos para o básico que nos falta a cada dia, mas que os holofotes das desgraças, aparentemente maiores, nos cegam, tirando de cada um de nós o foco do que realmente precisamos. É a terrível banalidade que vem assolando a nossa ética…

QUE ME PERDOEM AS EXCEÇÕES!

Impossível respeitar qualquer discurso político enquanto for possível constatar-se o absurdo da miséria que é imposta aos seres humanos.
Enquanto o sol do verão está a pino, o calor dos dias alegres de festas e danças nos faz esquecer, e até mesmo aos miseráveis, tanto horror perante aos céus, mas basta que o universo vá chegando, trazendo com ele as chuvas, para a cortina da falsa felicidade cair, desnudando um povo, em sua maioria, abandonado à própria sorte.
Afastei-me dos movimentos políticos porque me recuso a ser mais uma a alimentar a simbiose doentia da fome e da falsa esperança, já que ambos são frutos amargos de um sistema político hipócrita, mentiroso e perverso, que se apropria da ignorância de direitos de um povo sem educação de nenhum nível para obter vantagens pessoais e de grupos.
É desumano a forma egoísta e pífia com que os políticos abusam das criaturas mais carentes deste país, rico e repleto de benécias, que se distribuídas, não haveria de faltar decência existencial…

FALA SÉRIO! ...

Enquanto luta-se pela igualdade entre homens e mulheres, esquecem que ambos precisariam em primeiro lugar ser devidamente alfabetizados e, em seguida, oferecidos a eles a mesma oportunidade de um ensino formal de qualidade, amparado em políticas sociais, simples e eficazes, para que tivessem estímulos no seu desenvolvimento, enquanto pessoas e cidadãos. Horroriza-me atestar que o sentido de liberdade foi colocado em um patamar rasteiro, onde bundas e peitos tornaram-se prioridades ao mesmo tempo que prolifera uma resistência abusiva que passa desapercebida, pois usa a música como arma de contra-ataque, nesta guerra declarada de disputa de poder. O tão aclamado movimento feminista, antes de tudo precisaria ter tido o cuidado de não invadir as diferentes culturas, deixando cada qual, com os seus princípios básicos de liberdade, a decisão quanto aos valores de cada país, pois creio que cada grupo humano deva ter autonomia na escolha dos valores a serem alterados. Em nosso Brasil, com um gra…

VAMPIROS DO DIA A DIA

O tempo passa e, ao contrário do previsto, a maturidade não facilita em nada o exercício da humildade frente à, vez por outra, abusos que o sistema insistente, através de pessoas confusas e maldosas, nos impõe. O jeito é respirar fundo, buscando no recôncavo de nossa capacidade espiritual todas as vibrações amorosas produzidas e armazenadas, a fim de não cometermos o erro primário de responder ao ofensor, o que nos colocaria no mesmo patamar de improbidade pessoal na condução de um convívio, no mínimo, respeitoso. Responder a um vampiro social é o mesmo que o alimentar, oferecendo a ele o sangue do seu equilíbrio pessoal, nutrindo-o justamente com a sua atenção. Ignorá-lo é o mesmo que mantê-lo nas trevas de si próprio, onde o fugaz, o sem valor e os tão malignos quanto ele, se escoram, formando pirâmides de infelicidade. E aí, escrevo, deixando escorrer a, tão somente, certeza doída de que estes monstros vivenciais sempre existirão, pelo simples fato de que a maldade é inerente ao ser hu…

SOLITÁRIA...

Em alguns momentos como o de agora em que o dia amanhece nem assim tão devagar, tão somente no seu devido tempo, em que eu diante do computador nada produzo, dou um tempo, retorno, e aí, preciso deixar finalmente o dia despontar iluminado com seus benditos raios de sol colorindo a vida, para então, conseguir dar seguimento aos meus pensamentos e tentar expô-los da forma mais consciente possível, mas também sem perder a intenção amorosa que me caracteriza como pessoa e profissional. Numa época de Páscoa como o de agora, também solitariamente escrevia o que viria a ser uma ode ao meu país. Foram palavras doídas de uma jovem que acreditava que tudo poderia ser diferente e certamente o foi, durante anos a fio, pois o chicote louco e impiedoso do poder podou o meu direito de expressão, deixando-me singrar como náufraga em outros mares e aportando em terras desconhecidas, onde lobos e leões também devoravam carneiros incautos e sonhadores. Ideologia sem pragmatismo devidamente articulado, sem …

UM SENTIR E NADA MAIS.

Sozinha neste começo de manhã, quando a luz do dia, ainda não se pronunciou, cá estou, escrevendo ao som dos pássaros que agitados se antecedem aos demais acontecimentos. Um filme mental se desenrola em minha mente, reproduzindo uns certos momentos, onde o desânimo se abateu sobre mim, pesando meus ombros, travando minhas pernas, tentando impedir o continuar de minha caminhada. Ainda bem que as fases da vida se alternaram e tudo é passageiro, nada é definitivo. Então, ao chorar, também sorria, pois tudo sempre há de passar, como a noite que já foi embora, dando passagem a um belo dia que se apresenta. E entre os risos e choros deste velho filme, cá estou, apenas vivendo, cá estou, apenas sentindo, cá estou entre o tudo mais, existindo. Sorria, chore, apenas não se aflija por sentir...

POIS É...

Fazer o quê, se o tempo lá vai passando e o retrocesso intelectual, segue firme em linha ascendente. A sensação é que o povo brasileiro vem limitando seus entendimentos ao longo dos tempos, acompanhando freneticamente, o mal gosto das letras musicais e do quase tudo. É assustador o delírio das massas, num rebolado alucinante, sob os efeitos marginalistas do álcool e das drogas. E não cabe nesta observação, qualquer conotação religiosa, tão somente, estética e é claro, ética, já que os reflexos desta tormenta modernista, podem ser facilmente encontrados nos desastrosos seguimentos de toda a sociedade. Enquanto, o caos foi se estabelecendo, os ídolos foram sendo criados e cultuados num verdadeiro e contínuo “show de horrores”, sob os auspícios de uma mídia tendenciosa e de um generalizado desgoverno que usa descaradamente o erário público na promoção destas distorções, distraindo o povo com o mal gosto, o dramaticamente decadente, para que a cada dia, embruteçam físicos e mentes, para fazê-…

HIPOCRISIA

Não é de hoje que escrevo e falo a respeito da necessidade das pessoas, principalmente os políticos, líderes comunitários, “pensantes” sociais, ativistas de qualquer natureza em se aterem às prioridades que se apresentam, de forma nítida e indiscutível, desde que o foco seja por todo o tempo a qualidade de vida. Isto me remete à Constituição Federal e aos Códigos Penal e Cível, sem querer colocar-me como especialista em qualquer destas áreas, mas buscando sempre a lógica racional que devia permear a condução de nossos raciocínios, questiono o que chamam, Juízes e promotores, como “interpretação”. Essa afirmativa sempre me incomodou, partindo do princípio de que se a CARTA MAGNA está redigida de forma clara e, como tal, foi aprovada, como então, deve ser constantemente adaptada ao entendimento desta ou daquela autoridade, cujos caráteres e formações pessoais foram moldados de forma diferenciada, inclusive, sob a visão de outros tantos, de outras culturas? O resultado desta interpretação c…