Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017

MENTIRAS E VERDADES, QUEM VAI SABER?

Pois é, acabo mais uma vez de ler que a gestão passada deixou dívidas tão grandes que a nova gestão ainda não conseguiu dar andamento nas atividades, pois está absorvida em pagar o passado de outrem, além de ter de destravar infindáveis entraves burocráticos. Ora, somando-se os royalty de três meses, mais os repasses mensais (FPM), mais o recolhimento de impostos, fico cá com os meus botões pensando que tudo isto é caso de polícia, afinal, não faz muito tempo, a gestão passada fez a prestação contábil das contas do Município do último quadrimestre de 2016, no plenário da Câmara de Vereadores, apresentando oficialmente uma realidade bem diferente e que não foi contestada em nenhum momento pelos edis presentes e, tão pouco, houve uma nova sessão oficializada pela Gestão atual fazendo contestação, ficando nas redes sociais e pelas esquinas um contínuo disse me disse que confunde o cidadão de boa fé e a nós, comunicadores, que nos sentimos como abestalhados sem rumo entre duas verdades, on…

PARECE QUE FOI ONTEM...

Mas na realidade foi há cinquenta e três anos que, neste horário, o país já se encontrava sob o controle dos militares. 31 de março de 1964, data inesquecível, sendo que aterrorizadora para alguns, alienada para a maioria que só se preocupava em estocar alimentos, pois a mídia dizia que estávamos vivendo uma revolução. Para quem morava nos bairros tranquilos da cidade maravilhosa na época, tudo ou quase tudo em nada se parecia com uma revolução, talvez, um pouco de apreensão, justo por desconhecermos a realidade de uma, todavia, onde estavam os soldados, os canhões e a cavalaria de guerra? A televisão mostrava os tumultos no centro da cidade, mas tudo muito distante da vidinha tranquila dos moradores de Ipanema, Leblon e adjacências, que no máximo desfazia-se de livros e documentos comprometedores, além de se ter notícias de um ou outro vizinho que no decorrer dos dias e meses que se seguiram simplesmente desapareceram ou foram presos. No mais, para o cidadão comum e trabalhador, a vida …

TROCA DE VALORES

Escreva um comentário... É difícil buscar palavras que exprimam minhas considerações a respeito do que vem acontecendo nas últimas décadas em relação à troca absurda de valores avaliativos, tratando-se de tudo, mas para que eu possa ser mais objetiva, permanecerei apenas no tocante à política e ao nosso relacionamento com os políticos e nossa visão distorcida de direitos e deveres. São tantos e seguidos desmandos que fomos perdendo o foco da lógica comportamental dos mesmos e passamos a encarar de forma banal todas as suas absurdas transgressões aos nossos diretos, assim como nos acomodando e, pior, copiando suas manobras, adaptando-as aos nossos cotidianos como se normais fossem, num sistêmico abuso de parte a parte, levando-nos lenta e gradativamente a um caos avaliativo pessoal que se tornou nacional. Essa nova visão e prática de novos e distorcidos valores éticos, também criou em nós uma falsa compreensão do certo e do errado, que vez por outra nos é chapado na cara por alguns pou…

QUE COISA HEIN!!!!!!

Num instante para o outro, assistindo a TV, deixei de prestar a atenção nas notícias e me detive em mim mesma, numa reflexão pouco provável, já que até então, por algum motivo puramente emocional, minha mente afastou ou bloqueou qualquer maior observação a respeito de meu corpo interno e externo, após a cirurgia na qual me submeti em 27 de novembro de 2015. Como que de repente, lá estava eu, absolutamente indefesa expondo-me a algo que sinceramente, jamais havia pensado que poderia ocorrer comigo, repetindo um comportamento alienado da maioria das pessoas que apesar de serem assistentes da dor dos demais, não conseguem se ver na mesma situação, e isto, não significa pouca atenção ou leviandade, apenas não associam a dor do outro a si, mesmo que assim digam ou escrevam a respeito. Incrível a mente humana quanto a sua auto- proteção!!!! Penso então que somente agora, quase dois anos depois, penso e entendo a extensão do procedimento no qual fui submetida e que certamente, prolonga a minha …

VOCÊ SABIA?

Há exatamente três anos em março de 2014, os manguezais baianos receberam um milhão de caranguejos e que a Ilha dos Frades recebeu 40% deste total e o restante foi para Santo Amaro. Este programa fez parte do Programa Integrado de Manejo e Gerenciamento do caranguejo-Uçá, (Puçá ) realizado pela Bahia Pesca. Justo porque é reconhecido que os manguezais são ecossistemas complexos e também um dos mais produtivos do planeta, por ser considerado um ecossistema costeiro, característico das regiões tropicais e subtropicais.  E estas riquezas biológicas são grandes berçários naturais, tanto para suas próprias espécies, como para os peixes e outros animais que migram para as áreas costeiras, nem que seja uma única vez em suas vidas. No Brasil existem 25.000 km² de manguezais, distribuídos do Amapá até Laguna em Santa Catarina, representando com sua fauna uma importante fonte de alimentos e renda para os moradores de seus entornos. Portanto, torna-se necessário preservar os peixes, moluscos e crus…

SÃO FRANCISCO E EU

Nunca fui uma pessoa religiosa, apesar de compreender a necessidade das pessoas de seguirem normas e dogmas, todavia, por toda a minha vida, fui pinçando grandes figuras humanas que verdadeiramente dedicaram suas vidas à uma melhoria pessoal, através da doação de suas energias em prol dos demais, fazendo deles preciosos modelos de vida para a minha vida. Nisto, meus pais foram importantíssimos, pois pensavam exatamente assim e cada qual tinha os seus modelos, no entanto, São Francisco de Assis era unanimidade entre eles e, naturalmente, por ele e sua história de vida também me apaixonei. Tudo se enriqueceu mais ainda quando compreendi a grandeza de Jesus em seu único, simples, concreto e definitivo ensinamento que antes de tudo foi o seu mais precioso aprendizado. “AMAI A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E A TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO”. Percebi que cada um dos meus modelos especiais de criaturas humanas trilhara em suas vidas o caminho do Mestre Jesus no seu mais puro entendimento, e aí, se os…

SEM LÁGRIMAS

Não choro neste dia que seria o seu aniversário e nem em dia nenhum quando lembro de minha mãe, afinal, lembranças de Dona Hilda só me fazem sorrir, só me remetem a momentos muito especiais que nem sempre tiveram, a meu ver, a conotação de vantagens a meu favor, mas com certeza o foram, pois moldaram a criatura que sou, repleta de dúvidas, de falhas, mas também com muita garra na busca de soluções e tenacidade na correção das falhas. Dona Hilda, sempre linda, perfumada e elegante, repleta de desejos e sonhos reprimidos em uma época em que as mulheres em sua maioria se restringiam ao lar. Se viva estivesse, teria sido uma desbravadora dos direitos femininos, como ensaiou ainda no final dos anos trinta, quando destemida e contrariando a vontade da família, mudou-se de casa, levando consigo um filho de meses e deixando um lindo recado para meu pai. “Se quiseres me seguir, aqui segue o endereço, estarei com um prato de sopa quentinho, esperando por você”; E assim, dali em diante, durante 32 a…

O PODER DAS PALAVRAS

Enquanto ensaiava escrever as minhas impressões sobre a vida, as pessoas e o tudo mais que representava vida, ainda muito jovem, não mensurava o valor, o peso das formações das palavras e, confesso, durante muito tempo continuei sem esse tipo de avaliação, pois entre tantos escritos diários, relativo ao meu trabalho, ainda hoje, cometo esse grave engano, na maioria das vezes, empolgada com a ideia central que me motivou, esquecendo-me do sempre perigo de não ser bem compreendida. Claro que este é um risco que todo escrevinhador corre desde o início da capacidade do homem em deixar registrados os fatos e as versões sobre seu próprio prisma, mas também é notório que é preciso cuidados especiais, já que o escrito não se apaga e tão pouco se evapora como os discursos falados. No entanto, as redes sociais, blogs e sites, foram aos poucos marginalizando a escrita, liberando e incentivando a todos a terem opiniões sobre qualquer coisa e, ao mesmo tempo, fazendo do ato de escrever do escrevinha…

BOI SEQUESTRO

É quando o gado é morto no caminho do frigorífico. Você sabia disto? Nem eu, mas durante décadas, milhares de funcionários de qualquer frigorífico deste país, soube. Por que jamais denunciaram? Por que só agora, depois que o escândalo veio à tona, resolveram fazer suas denúncias? Na verdade, tenho tanto nojo destas pessoas quanto, da carne de “boi sequestro”. Que merda de fiscalização é esta que jamais tomou conhecimento de um departamento que só cuida de carne podre? Isto mais parece filme de terror se nos atermos a todas as desgraceiras que são praticadas em nosso pais. Não se pode confiar em mais nada e em ninguém e isto é simplesmente, desesperador. E ainda tem pessoas que se fazem de bobinhas, acreditando em Papai Noel, no mínimo estão levando vantagem de alguma forma ou são ingênuos sem conhecimento sequer deles mesmos. AH! Deus, tanto horror perante os céus.  Por uns trocados a mais, tudo é permitido, tudo é validado.

DEFUNTO DESENTERRADO

Todas as vezes que escrevo no face, no meu blog ou falo através de meu programa, sobre questões que precisam ser resolvidas na cidade pelo poder público, tem sempre alguém que imediatamente sai em defesa da mesma, mostrando que as gestões passadas também não fizeram. Ora meus amigos, desenterrar defuntos, sinceramente, a população já não aceita mais, afinal, se fossem maravilhosos, ainda estariam no poder e não enterrados com 8.806 pás de terra. Criem tenência, sejam fiéis, bons funcionários, mas pelo amor de Deus, não repitam as posturas sem personalidade e respeito aos conterrâneos, pois afinal, esta gestão só tem que cumprir as suas obrigações sem comparativos, até porquê, fica ridículo e sem sentido, já que, todas as mazelas eram conhecidas e foram largamente apontadas, portanto, o povo só espera que sejam sanadas, para que, não somente os aliados e pessoas beneficiadas com empregos, sejam capazes de serem ouvidos e atendidos, o que certamente, dará a todos o direito de também aplau…

“O BONZINHO COME CRU”

Em todas as quintas-feiras por ocasião da transmissão da Rádio Tupinambá das sessões da Câmara de vereadores, levo horas a fio para recuperar-me do afrontamento que minha mente e minhas emoções recebem sem dó e sem piedade, pela quase total alienação deles, vereadores em relação as suas reais atribuições. Usam a tribuna para lavarem roupas sujas, denegrirem ou puxar o saco das gestões pontuais, mandarem indiretas idiotas aos que com eles não concordam ou para simplesmente, numa arrogância bruta, demonstrarem suas totais incapacidades, quanto ao reconhecimento de que são funcionários públicos e que devem sim, muita satisfação de seus atos ao povo que os elegeu. Durante muito tempo, pensei, buscando desculpas, crendo que a ingenuidade, falta de um maior letramento, vontade de mostrar serviço, era responsável pelo pot- pourri de absurdos, todavia, o tempo e um estreitamento sempre maior com o sistema político e principalmente, com a incoerência dos comportamentos dos políticos, cheguei à c…

“TUDO NORMAL”

Todos nós sem exceções, nascemos e nos tornamos adultos convivendo com as posturas dos nossos políticos e principalmente, inconscientemente com os efeitos das mesmas que se refletiam nos serviços básicos públicos, o mesmo ocorrendo com nossos pais e avós, aliás, vamos e convenhamos a maioria, sequer sabia o nome completo do presidente da república, quiçá de um ministro  e quanto aos deputados e senadores, eram necessários esforços mentais para que os nomes daqueles em quem tínha-se votado nas últimas eleições, fossem lembrados. Eles eram as autoridades máximas do país e não cabia às pessoas comuns, qualquer maior dúvida quanto às suas idoneidades. E se eles eram figuras distantes, imaginem os Ministros do Supremo, o tal, STFF? Eram figuras mitológicas... Como seria possível traçar fisionomias aos Deuses da Justiça? E este cenário de alienação só foi interrompido em ocasiões pontuais, onde nós, fomos invadidos por bruscas e invasivas inserções dos mesmos ou de forças contrárias a eles, m…

SENSO DE PERTENCIMENTO

Perdi o texto que escrevi pela manhã e, certamente não conseguirei reproduzir as palavras, mas com certeza, todas as intenções. Busquei no silêncio possível de ser encontrado nesta parte de Ponta de Areia, onde somos carentes de uma rua trafegável, de iluminação correta, de recolhimento de lixo, de limpeza de matos e tudo o mais que os nossos impostos pagos diretamente à Prefeitura a nos daria direito. Todavia, o bendito silêncio, este existe, unicamente graças ao respeito que cada vizinho tem para com o outro, portanto, neste silêncio me é permitido pensar no senso de pertencimento que venho observando de forma inédita estar rapidamente tomando consciência na mente e, principalmente, na alma de uma parcela expressiva de itaparicanos, principalmente, os mais sofridos com os sistemáticos abandonos por parte do executivo e legislativo. De repente, sem que houvesse qualquer acordo de grupos partidários, as posturas começaram a mudar e uma certa pressa passou a se expressar através da …

NEM TUDO QUE É LEGAL É MORAL

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 25, DE 2 DE JULHO DE 1975 Estabelece critério e limites para a fixação da remuneração de Vereadores. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: Art. 1º - As Câmaras Municipais fixarão o subsídio dos Vereadores no final de cada Legislatura para vigorar na subseqüente, observados os critérios e limites determinados na presente Lei Complementar. (Vide Lei Complementar nº 38, de 1979) Parágrafo único - Na falta de fixação do subsidio a que se refere o caput deste artigo, poderá a Câmara Municipal eleita fixá-lo para a mesma Legislatura, observados os critérios e limites estabelecidos nesta Lei, retroagindo a vigência do ato à data do início da Legislatura. (Incluído pela Lei Complementar nº 38, de 1979) Art. 2º - O subsídio dividir-se-á em parte fixa e parte variável. (Vide Lei Complementar nº 38, de 1979) § 1º - A parte…

UM DIA NO HGI

Gostaria de agradecer aos funcionários do Hospital Geral de Itaparica, pelo atendimento que foi oferecido ao meu Roberto no dia de ontem. Desde o acolhimento na recepção até o atendimento médico, ele recebeu toda a atenção e medicação necessários à estabilização de seu estado físico. Enquanto aguardava, fui constatando que o mesmo acolhimento era oferecido a todos. E isto é muito gratificante se pensarmos que é o hospital o único primeiro maior apoio que cada um de nós pode recorrer na hora da dor, tenhamos dinheiro ou não, sejamos chiques ou não. Portanto, precisamos ajudar não só na manutenção do mesmo, como na melhoria e ampliação de seus atendimentos e para isto, precisamos pressionar o governo do Estado para cumprir com suas obrigações com a empresa gestora, assim como pressionar a mesma para direcionar para o nosso HGI, melhores e maiores atenções, visto que nos últimos anos, o hospital vem atravessando crises intermináveis e esta cobrança precisa acontecer através da Prefeitur…

SUCESSO – SEMPRE MUITO RELATIVO

A tarde está dando passagem à noite desta sexta-feira pós carnaval e do finalzinho do verão que foi extremamente gratificante, repleto de comemorações religiosas e profanas que coloriram a nossa querida Ilha de Itaparica e, é claro, cá estou quietinha no meu canto, pensando e pensando em tudo que venho vivendo ao longo de minha vida e, no quanto esta tem sido surpreendente, dando a mim um profundo sentido interior de permanente sucesso, apesar de no percurso muito eu ter perdido em bens materiais e, em alguns momentos, sequer acreditar que seria possível atravessar as nuvens pesadas e escuras que insistiam em nublar os esforços empreendidos. Pensava comigo mesma: tudo há de passar, não posso esmorecer e nesta constante estimulação que, confesso, jamais soube exatamente de onde vinha, fui tocando a vida e recebendo inúmeras graças que chegavam através de portas e janelas que se abriam, levando-me a armazenar com muito carinho infinitas vitórias existenciais, numa sucessão de altos e b…

DESABAFO.

Lendo as mensagens de pêsames em várias postagens, encontrei uma em que a pessoa disse que mudaria seu título para outra cidade porque o Prefeito era mais inteligente e sabe cuidar das pessoas. Li e reli não acreditando que mesmo com tantas informações midiáticas, ainda existam pessoas que acreditam que segurança pública é responsabilidade de Prefeito, seja ele quem for. O comandante de polícia e sua corporação é responsável pela segurança de toda a Ilha de Itaparica e ainda existem duas delegacias de polícia civil, promotores públicos e Juízes. Por que a violência só aumenta? Provavelmente por inúmeras causas em que as falências institucionais associadas as políticas sociais estejam presentes, num banalismo atuante em todos os níveis de nossa sociedade, aleijando e corrompendo mentes. A inversão sistemática dos valores mais primários de convivência, são solapados por todo o tempo por todos aqueles de deveriam representar modelos a serem seguidos, mas lamentavelmente, o são da forma …

OCUPANDO ESPAÇO, GERANDO AMOR

São pouco mais de quatro horas da manhã e novamente, ainda deitada com os olhos fitando o céu que posso enxergar através de uma das bandas da janela que se encontra aberta, vejo retardatárias estrelas e penso, não sei bem porquê, nas inúmeras estrelas que existem resistentes entre nós no nosso cotidiano, algumas ainda muito pequenas, mas cujos brilhos são tão intensos que certamente, não passam desapercebidas por olhos atentos, quanto aos meus. Estrelas brilhantes que esperam silenciosamente que alguém abra espaços de amor nas suas duras realidades para que, ao invés de se apagarem no ostracismo ou serem arrastadas pelas intempéries de seus instantes doloridos, possam receber um bendito impulso para que no firmamento de suas existências, possam distribuir suas luzes, abastecidas de energias, numa integração que lhes permitam fazer parte de um firmamento, onde o brilho individual se expande, trazendo mais luminosidade ao seu redor. E neste bailar de pensamentos que até podem parecer …