Pular para o conteúdo principal

Postagens

PENSANDO

É preciso que exercitemos a capacidade de compreender que é bem mais eficiente que o apenas, tolerar. A tolerância tem vida curta e ainda é capaz de desencadear distonias pessoais, que fatalmente, extrapolam e deixam rastros, possíveis de serem enxergados e sentidos em nosso sistema social.
Postagens recentes

Hábitos

O dia sequer amanheceu por completo e já me sinto desperta como uma criança que não pode esperar para dar início as suas estripulias e no meu caso em particular, centrou-se numa necessidade absurda em escrever tudo quanto pulula na mente como se dela quisesse escapulir. Quando eu era criança, contava minha mãe que eu falava enquanto dormia à noite, tudo quanto vivenciara no dia e que, portanto, dizia ela: - “Cuidado, pois se mentir para mim, à noite saberei a verdade”. Quem disse que mãe também não sabe ser cruel? O relutar em dormir, nada mais era que o medo de falar demais e ser apanhada numa mentirinha. Que coisa, viu... Mais tarde descobri que se escrevesse bastante, além de pintar o sete, meu sono seria tranquilo e, assim, o hábito se formou e o tenho até hoje, começando cedo a despertar a mente, fazendo dela minha fiel aliada, a fim de que nada, absolutamente nada, passe batido ou se transforme num apenas parece isso ou aquilo, que mais tarde possa se transformar numa falsa realidade,…

PALAVRAS QUE SE TORNAM ARMAS.

De quando em quando, o sistema traz à tona expressões até então desconhecidas da grande massa e as mídias as colocam em evidência nos diálogos de atores e jornalistas, transformando-as em corriqueiras, quando na realidade poucos são aqueles que verdadeiramente sabem seus reais significados. Atualmente, palavras como polarização, extremismo, resiliência e fascismo, tornaram-se banais, todavia, se por algum motivo a pessoa que a pronuncia precisar explica-la é possível constatar-se os equívocos que advirão e que a meu ver, hoje e sempre, foram grandes responsáveis quanto ao desenvolvimento cruel do preconceito social que é tão sério e danoso quanto o preconceito cultural que abraça hábitos, costumes, cor, gênero etc., alastrando-se como rastilho de pólvora, sem qualquer lógica maior que a indução midiática. O bom senso, a gentileza, os bons hábitos e a curiosa generosidade individual em querer entender seja lá o que for, tem sido substituído por midiáticas expressões, que imediatamente co…

COMUNICADO

Compartilhar uma postagem, não necessariamente reflete minhas crenças pessoais, todavia, tem como objetivo estimular o diálogo aberto a todos, pois sou do tempo em que o aprendizado ia além dos bancos escolares. Acredito que a participação nas redes sociais, além de divertimento e descontração, também é uma oportunidade valiosa de se ampliar visões pessoais, vislumbrando culturas e sabedorias diferenciadas, o que em todos os tempos dos relacionamentos humanos, garantiu o desenvolvimento dos mesmos. Portanto, deixo registrado neste instante, a desagradável surpresa ao constatar a posição do Senhor Carlos Bastos, ilustre integrante deste grupo que com palavras grosseiras, perdeu a oportunidade de mostrar aos demais integrantes deste, suas argumentações em relação ao assunto em questão. Estamos vivenciando tempos de intolerância difíceis de serem contornados. E a falta de respeito é o primeiro e fundamental quesito que mantém a chama do preconceito acessa, fazendo doer a alma de todos nós. …
MERGULHO EM SI MESMO ... Moldar um barro cru ou uma pedra virgem, será sempre mais fácil e criativo que restaurar um velha e danificada peça, seja ela de qual material for. A tarefa primeira de toda criatura é consigo mesma, pois a partir de si, o tudo mais irá se aperfeiçoando, já que suas vibrações e presença, seja física, vibracional ou escrita será sempre um motivador, um restaurador e no mínimo um estímulo. E com o mesmo carinho que deve ter com a certeza de sua colaboração evolutiva aos demais, vigie a soberba, que é sempre uma parceira inadequada, mas sorrateira o suficiente para adentrar nas almas dos mais humildes e bem-intencionados. Toda manifestação de raiva e decepção é um ato de vaidade, afinal, a criatura pensa: - Como pode isso estar ocorrendo comigo? Achar-se imune e soberana às intempéries da convivência é e será sempre a forma mais camuflada da vaidade dominar com a sua disfarçada presença. Um ser equilibrado, racional e emocionalmente compreende que está exposto ao tudo m…

DE INTELIGENTE A SABICHONA ...

Sinto que estou emburrando através dos anos, desde que me percebi sendo impedida de discutir ideias e ideais, tendo como limites, o devido respeito aos parceiros das discussões. Ainda me lembro, e não faz assim tanto tempo, o quanto aprendi com meus mestres, amigos, patrões, colegas de escola e faculdade, nos intermináveis círculos de bate-papos que podiam acontecer em qualquer local, até mesmo, nas areias da praia ou nos meios fios das calçadas. É... Ainda sou do tempo em que todos os locais públicos eram redutos de gente sadia, pensante e livre. Saudosismo? Melancolia? Sim, bastante, afinal qual a graça em se sentir por todo o tempo tolhido, preso e amordaçado, física, emocional e intelectualmente. Não estou fazendo utopias de um passado recente, pintando de cores belas um cotidiano que perfeito nunca foi, lembro apenas que o mesmo não pisoteava a mente, sufocando e criminalizando opiniões. Preconceitos existiam e eram bem definidos, mas por mais que me esforce, não consigo lembrar da exc…

ABRAÇANDO O MUNDO

São cinco horas da manhã e já abracei o mundo através da minha frondosa mangueira que acredito que sempre está à espera do meu carinho, como devotada guardiã de meus desejos e necessidades e é claro, da minha sempre gratidão. Enquanto abraço o mundo, sinto que meu corpo se energiza e minha mente se tonteia, abrindo espaço para uma espécie de alucinação generosa e amiga que me remete a um estado de certezas que recarrega meu físico e consequente, mente, num colóquio de minutos de perfeita integração entre eu, fagulha e o universo, infinito. Bom dia a quem me lê, desejando que o infinito seja sempre o limite do seu amor à vida.