sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

NEM SEMPRE É POSSÍVEL

Estou desde 2013 no face e escrevo quase que diariamente, principalmente, porque é o que gosto e sei fazer em se tratando de computação, pois também gostaria de postar fotos e mensagens, mas por incrível que possa parecer, não sei ou não me dispus verdadeiramente a aprender. O que sei é que sou ativa e estou sempre que posso, curtindo, compartilhando, dando opiniões, mas sempre muito cuidadosa em não invadir o direito de quem quer que seja, não por ser politicamente correta ou camuflando este ou aquele sentimento, mas porque acredito sinceramente que rede social é para trocar ideias e ideais, momentos e sentimentos. Todavia, o que gosto verdadeiramente é de escrever sobre os movimentos das criaturas humanas com seus valores neste mundão e nem sempre me é possível escrever o bonito, o belo e o encantador, até porque, o mundo se movimenta também com o feio, o mau cheiroso, o imponderável. E eu, criatura humana e não virtual, também sinto os malefícios de toda esta rudeza existente no vivenciar deste mundo e me dou, vez por outra, ao direito de apenas ser, deixando escoar o que minha alma enxerga cada vez mais nítido, que é este vazio que invade assustadoramente as relações de qualquer natureza, o que inclui o cognitivo. Mas também entendo que neste período festivo, ninguém queira mergulhar nos recôncavos de suas almas para buscar entendimento disto ou daquilo, afinal, é Natal e final de ano e tudo que se pensa é em festas e alegrias na esperança de um ano novo que corresponda às nossas expectativas. Quem me conhece sabe que não sou uma pessoa religiosa, mas com certeza, busco aperfeiçoamento espiritual, portanto, me penitencio diante de vocês que carinhosamente me leem por todo o ano, pedindo desculpas por me mostrar também humana, sem pedir licença, afinal, dúvidas e vazios, o cotidiano já oferece sem aviso prévio. Um abraço fraterno em cada amigo virtual ou de vida que comigo, compartilhou emoções no face, desejando a cada um, muita paz e alegria no coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário