domingo, 11 de dezembro de 2016

RECADINHO

Entre os espinhos que te abrigam, fazendo de teu caule, uma armadura, existem os botões que te adornam, prometendo um renascimento de ti, para o meu encantamento. Às vezes, surges solitária, esguia e imponente e diante de ti, todo o meu espanto por tamanha beleza, mas quando, morres, uma parte de mim se vai contigo, num colóquio apaixonado de um amor sem fim. Um domingo iluminado para você que me lê, neste instante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário