domingo, 12 de agosto de 2012

CEGUEIRA INCONSCIENTE



Em meio a uma festa deslumbrante que foi a caminhada do PT em Porto dos Santos, nesta manhã resguardada da chuva por um São Pedro amigável e pelo visto parceiro, em dado momento, parei com os registros de meu trabalho profissional de repórter e me vi apenas observando como uma pessoa que a tudo que vê, questiona, traça paralelos, pois, precisa verdadeiramente entender o que se passa na cabeça de cada cidadão itaparicano que na sua maioria não enxerga a manipulação a que se vê envolvido por um grupo pequeno, mas unido e muito resistente de outros itaparicanos, que por ter se dado bem, neste ou naquele aspecto, sufoca, esmaga todas as chances reais de uma melhoria, neste ou naquele aspecto, usando bordões retrógrados, falácias primárias, formando coro nos últimos pelo menos trinta anos, tirando de cada criatura humana o seu direito à educação, meio único de se poder querer observar para melhor entender, isto ou aquilo em qualquer aspecto.

Disfarço e enxugo uma lágrima teimosa que desliza pelo meu rosto, sob o sol brilhante, confundindo-se com as naturais gotas de suor, frente a uma caminhada de vida e liberdade, e ai, penso que sou ainda muito mais resistente, pois escuto com altivez me chamarem de “DE FORA”, e ainda assim, como um soldado da esperança, faço tremular minha bandeira invisível, mas perseverante, em acreditar que algo maior há de acontecer e que mesmo sendo DE FORA, me sinto DE DENTRO, inserida e participante na busca de uma Itaparica livre.

Livre dos ratos, da lama e da ignorância que a torna cega, surda e absolutamente muda frente aos algozes de seus flagelos, frente à dor de não sentir mais dor, pois já incorporou a mentira e o engodo dos poucos “DE DENTRO” que se fizeram SENHORES.

SENHORES que com seus chicotes, também invisíveis, rasgam sonhos, impedem perspectivas, retendo o atraso.

E aí eu penso, neste momento mágico que, quando estamos nos sentindo e exercendo a nossa bendita liberdade de ser e de pensar, somos, então, capazes de acreditar que tudo podemos, inclusive enxergar, ouvir e sentir sonhos e novas perspectivas que desfilando diante de nós , fazem constantes chamamentos de luz e de sempre renovadas forças, sejamos nós DE DENTRO OU DE FORA.

E então, em meio a tantas emoções pessoais, deixei de perceber pessoas e só enxerguei pérolas, que verdadeiramente adornam o colo da mãe Itaparica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário