segunda-feira, 26 de setembro de 2016

MELHOR IDADE?

Uma ova... Quando muito, uma idade onde podemos explorar as experiências já vivenciadas e, consequentemente, eliminar muita perda de tempo, até porque, perde-lo seria uma temeridade. Essa talvez, seja a maior falácia que a comunicação social criou, pongando nos estudos científicos para estimular os velhinhos através da constante injeção de autoestima a saírem da frente da televisão e buscar atrativos externos como, por exemplo, viajar, fazer esportes e, é claro, gastar muito as aposentadorias. Claro que estou fazendo graça com um assunto bastante sério, pois é inegável as melhorias que os velhos dos últimos 30 anos vêm tendo nos seus desempenhos pessoais, todavia, chama-la de melhor idade, parece-me um pouco irônico, pois quando nela chegamos é porque já perdemos a grandeza de nossa vitalidade, conservando uma mente, milhares de anos luz de brilho e armazenamento de conhecimentos, e aí, fazer o que? Rapaz, subir e descer do trio elétrico nesta campanha política, foi um supremo sacrifício, doeu tudo. Um verdadeiro horror! Melhor idade um “escambal”, em apenas 8 anos da última vez que subi em um trio elétrico, minhas juntas endureceram, meus pés incharam e, se não bastasse, ainda peguei um baita resfriado. Mas dei o meu recado, e neste momento, eu não tinha idade. Que coisa hein!!!! Bem, ainda tenho o consolo de ter um marido, parceiro constante nas minhas farras da terceira idade, assim como uma mente sadia, sem dor e sem travamento que descreve em textos o meu amor pela vida e a minha clareza em relação as minhas limitações que não me impedem de ser feliz. Agora, melhor idade, eu tive para poder hoje, recordar. E por tudo isso, dou “Graças a Deus”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário