terça-feira, 1 de julho de 2014

Será de ti?


Socorro, que dor que destrói as forças, limita a respiração, apaga a mente, levando-me aos mais absurdos gemidos interiores.
Por quê? Por que não consegui encontrar a paz?
Será que não soube busca-la? Será que optei pelos trajetos errôneos?
Será que fui fraco e decidi sempre pela segurança da omissão pessoal?
Será, será? Por que foi? Por que até neste instante em que o universo já me abriga e abraça de forma real, porque nele já não posso afirmar não estar inserido, ainda sinto as dores do mundo que há muito deixe i para trás?
Será tão forte, parte de mim que por onde eu for, seja quando for, carregarei comigo as marcas de uma experiência ou de mil experiências que não consegui delas extrair aprendizado?
Será que através de ti, serei capaz de livrar-me desta dor, copiando-te nesta caminhada de absoluta doação de amor e compreensão pelas lacunas que muitas vezes te foi oferecida ao invés de amparo e carinho?
Será através de ti que encontrarei o alívio pelas minhas dores d’alma que já não enfraquecem o físico, pois não o tenho, mas que com certeza me mantém solitário em meio a tanta luz deste universo infinito.
Será de ti que colherei aromas e sabores, cores e luzes? Será de ti?
Gosny Rubbert Ramywer

Nenhum comentário:

Postar um comentário