segunda-feira, 17 de setembro de 2012

UM LINK... e nada mais.


 
Ouvindo La Barca, na voz de Luiz Miguel, voei para o passado, para a minha juventude de ainda quase criança, em um link fantástico que a mente livre é capaz de realizar ao comando de apenas um som, uma imagem, um pensamento.

Eram os anos sessenta..

O fervilhar dos hormônios, turvava  qualquer pensamento que não tivesse relação com a paixão, com o amor que eu começava a sentir, sem sequer entender bem, nem como e nem o porque de estar  sendo invadida  e envolvida, sem sequer achar ruim.

A mocinha recatada de sonhos primaveris, certo dia, dormiu como uma criança e se viu acordando como uma mulher sem sequer se importar com a metamorfose, preferindo tão somente se deixar navegar nas aguas indescritíveis dos sentidos e das emoções, que beijavam como as marolas a beira mar, as areias ainda virgens, moldando cuidadosamente um cenário, um histórico de amor, para toda uma vida.

Ao eterno navegador deste barco, o meu muito obrigado, pelos caminhos marítimos que me levou a conhecer, onde não faltou emoção, onde não faltou o esmerado cuidado e muito menos o bendito, amor.

Como então, não ser feliz?

Como não viver sorrindo?

Como não ter inspiração para escrever?

Como não amar o meu próximo?

Afinal, foi um deles que como navegador perspicaz, roubou de mim a infância, mas doou-me o sempre prazer em viver.

Que neste final de tarde, um som, uma imagem ou um pensamento, faça um link e leve você ao melhor de sua vida.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário