sábado, 22 de setembro de 2012

MARAVILHA, A PRIMAVERA CHEGOU...




Ela chegou ensolarada, brilhante, sensual, repleta de barangandãs prateados salpicando o meu mar de Ponta de Areia, fazendo com que o amor aflore abusadamente, rompendo as fronteiras do lógico, penetrando sem pedir licença nos labirintos dos sentidos.

O farfalhar das folhagens fartas dos coqueiros, lembram-me os sussurros apaixonados, e o vento quente vindo do mar que ora me toca de mansinho, arranca-me arrepios, despertando emoções parceiras, velhas e fiéis companheiras desta comportada senhora.

Entre um e outro pensamento quase que lascivos , percebo que sorrio sozinha enquanto escrevo, devendo estar rubra, sem, no entanto, sentir-me envergonhada e muito menos culpada por ainda, nesta altura de minha vida, constatar que sinto certas emoções que colorem o meu ser de mulher apaixonada, fervilhantemente encantada pelos frenesis de uma primavera que o meu outono cronológico, não consegue frear.

Será, então, esta sensação uma amostra da bendita felicidade que vem de forma invasora, mas que não maltrata, não fere e tão pouco faz sentir dor, deixando-me nas nuvens, bem pertinho dos céus?

Seja lá o que for, veio junto com a primavera, com os cheiros, as cores, o imaginário de uma eterna paixão, um sempre constante envolvimento entre o óbvio e  o concreto, entre o sólido  e o etéreo.

Coisa louca é a primavera que me fervilha o corpo, a mente e as emoções.

Que neste sábado, 22 de setembro de 2012, a sua primavera desperte, fazendo você também sorrir.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário