quarta-feira, 12 de setembro de 2012


MEU BOM DIA DE TODOS OS DIAS

O sabiá barulhento, tudo faz para chamar a minha atenção, paro então de ler e volto-me para a janela, e lá está ele, pulando de um galho a outro da amoreira, sozinho e afoito se exibindo para mim em um ritual de bom dia que, agradecida, retribuo com um sorrido e toda a minha atenção.

De repente... o silêncio se apresenta e a razão é que o bendito sabiá foi cantar em outro terreiro, ficando comigo, somente assim, as costumeiras andorinhas e os espertos assanhaços que, invejosos do sabiá, puseram-se a cantar suavemente, permitindo-me  voltar aos meus escritos para, então, registrar toda esta maravilha que são os meus amanheceres.

Olho para o relógio e vejo que são seis horas da manhã e o sol que neste horário geralmente se chega, ainda não deu seu ar da graça, assim como as brisas do chamamento da primavera ainda não apareceram, permanecendo os galhos das árvores em movimento tão somente pela insistência dos pássaros em fazer deles trampolins nesta manhã nublada de setembro.

Para vocês um beijo no coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário