Pular para o conteúdo principal

INACREDITÁVEL!...

imagem: jornalsanitario.files.wordpress.com

Desde o dia primeiro de janeiro de 2009, quando então o ilustríssimo Sr.Vicente Gonçalves da Silva assumiu o cargo de Prefeito do município de Itaparica, através do voto popular, que o inusitado, o imponderável, um incrivelmente absurdo vem acontecendo e nada e tão pouco alguém mensura tamanho despropósito em se permitir que um estranho, lá colocado por ele, administre a cidade, negocie alianças e proceda tudo o mais que lhe vem à cabeça, inclusive, coagindo a todos com a vara invisível de uma perseguição constante, ancorado que se encontra através de uma impunidade que assola e envergonha qualquer cidadão que se respeite.

Nem nos mais criativos contos ou histórias em quadrinhos, filmes de ficção ou coisa que o valha, esta situação escabrosa foi retratada, mas no Brasil, da submissão nordestina ao cabresto ainda feudal, este descalabro, esta afronta, este despropósito, encontra apoio junto a deputados e senadores que se intitulam decentes, e respaldo em leis que são magistralmente manipuladas por advogados que fizeram seus nomes e carreiras atingirem o topo do sucesso, justo escamoteando-as, driblando juizes, que por força de um engessamento jurídico, não os permite entendimentos que abracem o direito de cada cidadão, que desiludido, vê por todo o tempo suas últimas esperanças escoarem para o ralo, pois por mais simples e medroso que ele seja, sabe muito bem que juizes e ministros, raramente se dão ao direito de entenderem dentro do direito, contrariando assim, ou melhor, utilizando-se também dos mesmos métodos pouco ortodoxos que os senhores advogados bem pagos, no caso com o dinheiro público roubado, o fazem.

E aí, me pergunto como cidadã comum, se essa postura se dá por falta de conhecimento ou por questões políticas?

Pois é sabido que as ameaças de transferências e atrasos promocionais, atingem infelizmente também aos interesses do judiciário.

E neste vai e vem de trâmites jurídicos, a imunidade parlamentar se sobrepõe aos interesses da cidade e de seu povo, deixando-nos com a certeza absoluta que mais do que nunca, algo precisa acontecer, a fim de que o povo, que afinal é o grande pagador de tudo e de todos, possa vir a conviver com a decência e os bons costumes e com leis que possam apenas servir para beneficiar os justos e oprimidos, assim como para punir o meliante.

A inversão de valores, sempre fez parte da conjuntura emocional e racional da criatura humana, assim como o bom senso e a de preservação de sua dignidade de pessoa humana, entretanto, de uns tempos para cá, perdeu-se o controle da ganância e do mau-caratismo, permanecendo apenas o medo, a inércia e os interesses puramente pessoais, como tônica de norteamento comportamental em todas as esferas, sejam públicas ou privadas, e então, esperar-se o que do menino da favela ou periferia, que ele tenha ética, decência ou mesmo complacência, sendo bonzinho e desistindo de correr atrás de seu proprio quinhão com as armas que possui?

Cada um usa a arma que tem e atira com o calibre que dispõe, não é assim na prática?

Pois é... nem as redes de tv e os grandes jornais de Salvador, nem os vereadores, nem quem quer que fosse, ousou, até agora, denunciar gritando aos quatro ventos tanto horror perante aos céus.

Fazer eu, então o quê, além de desabafar minha dor através de meus escritos e, é claro, sabendo não estar preparada para a reação que estes causarão, pois verdades não existem para serem mostradas e entendimentos só se pode ter neste pais varonil se tivermos as costas quentes e os bolsos bem recheados para, no mínimo, contratar guarda-costas e advogados, de preferência com o dinheirio público.

Portanto, só me resta rezar, se bem que em se tratando de política, nem Jesus conseguiu apoio do senhor seu pai DEUS, que preferiu deixá-lo morrer, para virar mito, salvando a todos nós, se bem... da política brasileira e em especial da itaparicana é que não foi.

Ah! , antes que eu me esqueça, é bom lembrar que na prestação de contas do referido prefeito, existem dois contratos de assessoria jurídica, pagos declaradamente com o dinheiro de impostos muitas vezes com o sacrificio de todos nós. Que tal verificar os sócios que compõem as mesmas.

Com certeza, aí não residirá qualquer surpresa quanto a incrível coincidência entre políticos famosos e poderosos de expressão nacional e nossa tão desgastada , sofrida e POBRE prefeitura de ITAPARICA.

--

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OPRESSÃO CULTURAL

Acreditei estar me especializando na área da observação do comportamento humano e, por toda a minha vida, pensei estar aprendendo tudo quanto poderia, e, no entanto, absorvida com a diversidade infinita que me cercava e totalmente fascinada com o que majestosamente me apresentava a cada instante, me perdi totalmente, e, de repente, assim sem qualquer aviso prévio, vejo-me diante de minha não menos infinita ingenuidade avaliativa e percebo, então, o quanto nada sei em relação a capacidade humana em se adaptar às circunstâncias, ou a buscar posições favoráveis à suas conveniências pessoais de adaptabilidade social.Há alguns anos, venho tentando entender o porque de minha paixão por Itaparica, visto que conheci inúmeros outros locais, não menos bucólicos e acolhedores. E agora, como um raio de luz esclarecedor, posso compreender que em minhas buscas pessoais de aperfeiçoamento, encontrei aqui, neste local encantador, todos os subsídios necessários a um aprendizado mais concreto e expli…

Os professores: Um “novo” objeto da investigação educacional?

Houve um tempo, afinal nem tão distante, em que a função da escola era prioritariamente ensinar disciplinas que contribuíam nos universos de cada criança, despertando-as em suas inclinações naturais, na construção de seu futuro perfil profissional e pessoal.
Também era no ambiente escolar que a criança exercitava a convivência, não só com o contrário, mas principalmente com o diferente, deixando aflorar os ensinamentos oriundos de seu núcleo familiar.
Era comum ouvir-se: “a educação vem do berço”.
E este berço, não necessariamente precisava ser abastado economicamente e muito menos letrado, pois havia os conceitos pré-estabelecidos, onde as posturas respeitavam os limites do alheio, criando-se assim normas socais de conduta, não só externa, mas antes de tudo em meio à própria família.
Nesta época a que me refiro, havia uma distinção entre as atribuições tanto da família como da escola, assim como sob nenhuma circunstância esperava-se do mestre qualquer atributo fosse materno ou paterno, a…

O FALSO BOM SAMARITANO...

Há algumas horas atrás, assistia à uma uma aula de Filsosofia da Educação, onde em determinado momento falávamos em interação com o Professor Wilson sobre justamente a humanização de nós humanos.

Cheguei a argumentar que somos incapazes de atingir esta humanização ideal exatamente por que não somos educados ao entendimento da dimensão de nossa própria existência, nem no conceito individual quanto mais em relação a um todo que sequer conseguimos enxergar e muito menos sentir.

Estamos divididos em três facções vivenciais, ou seja: aqueles que crêem em Deus e são religiosos, aqueles que crêem, mas nao são religiosos, e aqueles que não crêem.

Todos, sem exceção, vagueiam em seus cotidianos sem ter qualquer entendimento real do quanto estão desperdiçando seus minutos presentes e, sem sem se dar conta, permanecem repetindo posturas que em sua maioria no máximo os robotizam, tirando lenta, mas sistematicamente, toda e qualquer potencialidade interior que é capaz de impulsioná-los a se verem com…