sábado, 18 de fevereiro de 2017

SEMPRE PRESENTE

Ele faleceu em 1987, mas a cada dia 17 de fevereiro, por ocasião do dia comemorativo de seu nascimento, não consigo pensar nele como alguém que já se foi, justo, porque suas lembranças são tão fortes que suplantam a sua ausência e me conforta o coração.Sebastião do Couto, foi meu sogro, meu amigo, meu pai e meu parceiro por 29 anos de convivência, bem próxima. E aí, penso no quanto a vida tem sido generosa comigo e, portanto, só posso agradecer. Sinto saudades de sua presença física, mas delicio-me com a certeza da presença constante de sua energia vibrante que me estimula e me aconchega. Obrigado, por sempre estar presente em minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário