quarta-feira, 31 de agosto de 2016

SEM LIMITES


São cinco horas da manhã e me deparo com a decisão sábia de minha amiga e candidata a vereadora Débora Reis.
Sua decisão veio de encontro às reflexões que fiz na tarde de ontem e que dividi com o meu Roberto, onde, havia de minha parte o desejo de me afastar do Comando do show da manhã na Rádio Tupinambá FM, até as eleições, num impulso absolutamente apaixonado em protege-la da incapacidade dos incautos em reconhecer a importância deste meio de comunicação nesta ou em qualquer cidade.
Argumentei em relação aos riscos constantes em que me exponho e que, infelizmente, volte e meia me vejo fisgada e agindo quase que exatamente igual aos ignorantes existenciais que fazem da política, meios rápidos de enquadrarem suas medíocres vidas num contexto de vantagens e estabilidade, além de sedimentarem suas vaidades desmedidas.
Enxerguei-me em dado momento vestindo as mangas da estupidez e da inconsequência e isto me apavorou enormemente, pois minhas realidades emocional, racional e educacional, não permitem tais posturas, indo de encontro a lógica de minha própria vida no convívio com os meus demais.
Exercitei por toda uma vida, com muitas derrapagens, confesso, a capacidade de tão somente, valorizar as qualidades alheias, sem, no entanto, desconsiderar ou fechar os olhos para as mazelas que, novamente afirmo, reside na alma de todo ser humano.
Encarar os próprios erros, fazendo minha culpa sem dramas ou humilhações, fez com que no decorrer do tempo, meu todo se fortificasse, assim como como minhas atitudes e meus escritos, ganhassem a credibilidade, não da verdade absoluta, mas da sinceridade de meus propósitos.
A Rádio Tupinambá FM nos últimos quase cinco anos, tem sido o meu trabalho profissional que procuro honrar a cada instante, como fiz com o tudo mais que já realizei em minha vida, portanto, protege-la da maldade, da inveja de quem jamais fez algo valoroso pela cidade, pode em alguns momentos, me fazer esquecer o limite de minhas ações.
Mais que um trabalho, a Rádio é uma paixão que merece ser protegida por mim e por todos os cidadãos conscientes desta cidade, pois é um meio livre de expressão do cidadão, meio interativo e incentivador da cidadania e do senso bendito de pertencimento, tão necessário para o equilíbrio das relações sociais.
Ao final de meu desabafo, já não desejava me afastar, mas ressurgia naquele momento, uma força estranha que reconheci ter sido sempre minha parceira, levando-me a pedir desculpas a quem de direito, quando invadi suas searas, mas impulsionando-me frente a todo e qualquer interesse menor eleitoreiro que ousar tentar calar a voz da cidade com ameaças pequenas e mesquinhas, vitimando-se às custas da realidade do sucesso desta Rádio.

Não estou sozinha, nem sou principiante em meu ofício e tenho um belo e respeitável serviço prestado à cidade em termos sociais e jornalístico, afinal, não caí de paraquedas nas três eleições que vivenciei nesta cidade, portanto, seguirei o meu trabalho, com o histórico que arduamente venho conquistando, tendo acima de tudo, um grande Deus, que tudo vê e ampara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário