segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

CICLO DA VIDA

Bom dia, queridos, amanheci com um texto sobre a vida e, mesmo preguiçosa na insistência de permanecer deitada, as palavras pululavam em minha mente ao ponto de não me restar outra alternativa se não levantar e transcrevê-las a fim de atender as suas solicitações que se mostram bem mais ativas que o meu corpo.
Abro os olhos e tudo ainda está escurinho e apenas sei que o dia está prestes a amanhecer devido aos pássaros, que já estão fazendo os seus despertares.
E aí, a mente bem disposta, lembra-me que a vida não dorme e que o descanso merecido vem através das alternâncias das luzes universais, abrindo espaço para que o ciclo de seu próprio desenvolvimento aprenda a reverenciar a própria existência com disciplina e vigor.
Vigor que se expressa nas suas próprias grandezas que não abrem espaço para a inércia e tão pouco à desconsideração de suas reais necessidades que lhes possibilitam a permanência neste ciclo ininterrupto chamado de vida.
Disciplina que alimenta o tesão de suas próprias existências e que se expressam na persistência de suas atitudes, que, elegantes, nos doam lições preciosas de sobrevivência saudável.
Nada temem e a tudo estão expostos com as devidas defesas que lhes garantem a leveza e a grandeza do simples fato de estarem existindo, sorvendo e deixando-se sorverem também num ciclo inestimável de interação que nos faz dormir e acordar, numa insistência absoluta de nos manter atrelados à vida e à morte de forma sutil, mas absolutamente convincente, se atentos estivermos.
 São cinco horas da manhã, e sem que eu me desse conta, o dia clareou e eu finalmente despertei para uma nova oportunidade onde tudo, até então, deixou de existir e o que contará é o que eu farei até o final deste dia, onde, então, novamente experimentarei o repouso que na realidade é a morte nos aliciando por horas a fio à valorizar os despertares que são a própria vida se renovando e nos dando a bendita oportunidade de fazermos, se necessário, tudo ou apenas algo diferente.
Sinto o aroma do café do vizinho e me lembro que ainda não passei o meu.
Bom dia, meus amores, obrigado pela companhia neste novo amanhecer, oportunidade única que terei para poder fazer acontecer diferente, se necessário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário