quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

CUIDEM DE MIM


 Neste ano de 2016, em que se vivencia um declínio das atividades produtivas e do mercado brasileiro, cuja consequência será um período de baixo ou nenhum crescimento, o povo depara-se com uma epidemia provocada por um mísero mosquito que vem provocando um verdadeiro terror social e se não bastassem tantos transtornos, vive-se a maior crise política e institucional da história da nação, onde a falta de decência e da ética estão na berlinda, surpreendo-me com a insensatez, travestida de boas intenções que pipocam em meio aos movimentos políticos partidários, envolvendo pessoas e pessoas, num balaio de gatos infernal.
Particularmente, afastei-me dos movimentos políticos justo por perceber a tão pouca boa intenção que a permeia, enlameando sem dó e sem piedade a moral e as lutas pessoais de pessoas que, até então, eram consideradas sérias e bem intencionadas, levando-me ao convencimento de que a gana pelo poder pode ser altamente devastadora.
Claro que como qualquer pessoa mortal e engajada em minha cidade, tenho minhas preferências, todavia, recuso-me a inserir-me em conluios e negociatas, certamente para me manter isenta de laços que me tirem o bom senso das avaliações.
Doravante, assistirei desolada as articulações que chamam de política, onde nada, absolutamente nada, se volta a verdadeiramente buscar meios de se cuidar carinhosamente da cidade e do seu povo.
 Cidade e povo que suplicam:
- CUIDEM DE MIM!!!!!!
Difama-se, fazem-se de cegos e surdos, abusam da inteligência de pessoas simples que a tudo vem observando, acreditando que em meio a todo este balaio, surja alguma intenção que, pelo menos, não venha a destruir as melhorias conseguidas.
- CUIDEM DE MIM!!!!!, mas de verdade e não tão somente nos discursos eleitoreiros.
Mostrem com números e subsídios reais como resgatarão a cidade que lhes parece tão falida e destruída.
Prove-nos com dados concretos, como pagarão os empréstimos de campanha que não seja através da espoliação de secretarias, cargos figurativos ou de licitações direcionadas.
Expliquem o que farão com a nossa Educação que seja melhor do que ora se apresenta, com os recursos disponíveis, mas acima de tudo, expliquem porque em épocas passadas não conseguiram sequer arranhar uma qualificação que ora é possível constatar.
Bem, eu poderia ficar laudas e laudas citando item por item da complexa máquina administrativa que os dedicados e bem intencionados candidatos talvez conheçam até melhor e mais profundamente, mas prefiro ater-me a um ditado antigo, mas sempre atual e verdadeiro:
- Diga-me com quem andas e eu te direi quem és.
Todavia, prefiro acreditar que o clamor do povo da cidade se expressará através do bendito voto que terá como companhia a lucidez de quem enxerga e ouve e não mais engolirá sapo por lebre.
Afinal, se Itaparica é chamada de “Terra do já teve”, certamente, doravante, o povo, depois deste curso intensivo de sofrimento, aliado às informações dramáticas da pouca vergonha no exercício da politicagem local e nacional, não abrirá espaço para “Salvadores Oportunistas” e muito menos para alguns amantes da terra que só o enxergam de cima para baixo, como se fosse um povo chinfrim e crédulo que continuará oferecendo o banquete do poder.
Paguem e verão, por que, afinal, o grito ecoa:

- CUIDEM DE MIM!!!!!, afinal, dos incautos, o povo já cuidou e muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário