sábado, 27 de fevereiro de 2016

COERÊNCIA EXISTENCIAL


São cinco horas da manhã e depois de permanecer alguns instantes com a mente repleta de palavras pululando, cá estou tentando coloca-las em uma ordem que seja tão coerente quanto as posturas que muito me esforcei para imprimir ao longo de minha vida nos meus instantes de convívio comigo e com os demais.
Quando ainda garota, acreditei e agarrei o bendito ensinamento de meus pais, quanto à necessidade de me sentir livre para que se pudesse desenvolver inúmeros predicados de caráter que, certamente, poderiam até levar-me a um certo isolamento, mas que com certeza afastaria de mim a hipocrisia postural e, consequentemente, a inutilidade da convivência com a incoerência que fatalmente arrebanharia insatisfações contínuas, primos irmãos da infelicidade que se manifesta através da insistente ansiedade que aos poucos vai construindo sólidas depressões.
Acabei tão interessada neste aspecto comportamental que, depois de muitas observações e leituras, escrevi em 2005 tudo quanto pude amealhar de conhecimentos, principalmente in loco sobre este tema, levando para os demais a minha certeza de que vida sem liberdade, não faz sentido.
Coloquei em Coerência Existencial valores e posturas que verdadeiramente envolvem o ser humano, fazendo dele não um criatura imunizada de dores e agressões cotidianas, mas uma capaz de olhar de frente para seus instantes, com o tudo que geralmente vem atrelado, livre das amarras que a impeça de enxergar e de sentir as realidades para, então, poder livremente optar.
E a opção pode ser absolutamente contrária à lógica social do momento, levando alguns a estranhar e até classificar disto ou daquilo, mas que deixará a criatura serena e absolutamente coerente consigo mesma, assim como não ficará apagada aos olhos daqueles outros tantos com os quais  convive, formando-se, assim, o equilíbrio vivencial, necessidade maior para que o tudo mais seja conquistado, inclusive e principalmente a credibilidade, que abre infinitas portas e derruba muros de contenção absolutamente cruéis e desnecessários.
Penso, registro e busco corrigir meus impulsos em todos os momentos em que me sinto sufocada, dividida e incapaz de garantir minhas próprias escolhas.
Não é tão simples, mas garanto que vale a pena, afinal, como eu poderia de verdade dizer que a vida é bonita e é bonita, se minha inspiração tão somente viesse de um refrão musical?
Que neste sábado, a sua vida seja de muita iluminação pessoal, o que só depende de você.


Nenhum comentário:

Postar um comentário