terça-feira, 13 de junho de 2017

ZERANDO TUDO


Hoje, após o almoço como de costume, liguei a TV na Globo News e lá estava um documentário sobre a trajetória política de Sergio Cabral, mas poderia ter sido da maioria dos políticos brasileiros, onde o idealismo jovem deu lugar a ganância sem limites, ao abuso da mentira expressada da forma mais cínica possível a uma banalidade da moral e da ética, jogando por terra, originais projetos e anseios, absolutamente reais e palpitantes na mente brilhante e vanguardista de um jovem bem-nascido.
Senti profunda tristeza com o desperdício de tanto talento, de tantas oportunidades e de tantos sucessos.
Fechei meus olhos e diante de minha mente, surgiram inúmeras outras imagens de ilustres personalidades, que mesmo ainda não punidas, merecedoras são de passarem pela mesma dramática situação de marginais de colete e gravata.
E mais uma vez, penso no desperdício do erário público e na miséria de inúmeras faces, que a mesma sempre produziu e alimentou em nosso país, fazendo com que a minha dor se converta em muita raiva, recoberta mais uma vez de tristeza, pelo quanto deixou-se de fazer para muitos em benefício de alguns poucos.
Penso então, que realmente precisaríamos zerar tudo e começar outra vez de forma incansável, com novos modelos, novas propostas, numa nova realidade, pois tentar é preciso, acreditar é necessário, manter o inadequado, imperdoável.


Nenhum comentário:

Postar um comentário