quarta-feira, 25 de julho de 2012

QUE CHEIRINHO BOM...




Ah! Que prazer poder cheirar o aroma do limão e depois estreitá-lo em minhas mãos, alisando-o e novamente cheirando-o, enquanto volto do terreiro à cozinha, onde um belo pedaço de pernil repousa no aguardo do tempero.

Adoro cozinhar e adoro saborear o que cozinho, fazendo deste momento apaixonante, a minha magia pessoal que, egoisticamente, desempenho a cada dia, sem permitir dividir meu território, que tenho como sagrado, no templo de minha casa.

Hum!!!!!! Que cheirinho bom!...

E nesse trajeto entre o limoeiro e a cozinha, lembro-me da minha infância e das delícias que apreciei serem feitas pelas minhas avós e pela minha mãe, sempre dispostas com seus aventais branquinhos e seus cantarolares que me faziam crer que o que produziam era sempre muito especial, mesmo que fosse um suculento bife com batatas fritas, que igual ao delas, jamais voltei a degustar.

Estou neste instante aguando e sorrindo ao mesmo tempo e, é claro, olhando pro céu, como se assim pudesse de repente enxergá-las por entre os raios brilhantes deste sol encantado de Itaparica ou, quem sabe, tão somente plasmar como um quadro perfeito e inestimável, num instantâneo divino de minhas queridas recordações.

Feliz, penso então, que sou e, mais que isso, sempre fui, por ter como neste instante, um cheiro, um sentir mágico de infância para recordar, neste outono de minha vida, que mais parece primavera e que, amorosamente, dou-o a você que pacientemente me lê.


Nenhum comentário:

Postar um comentário