terça-feira, 22 de novembro de 2016

SUCESSO

Hoje, vinte e quatro horas mais velha, como sempre exercitando minha escrita, o tema não poderia ser outro, afinal, poucas pessoas chegam na minha idade ainda alegre e podendo dizer: - Sou feliz e sou sucesso. Até porque, geralmente estes dois adjetivos na prática vivencial dificilmente caminham juntos, tantos são os atropelos, desvios, pressões, perdas ou excessivos ganhos de todas as naturezas. As pessoas, geralmente, justificam suas infelicidades ou porque receberam muito ou muito pouco ou quase nada. Ao contrário da grande regra, nasci e vivi com muito, assim como experimentei perder e as vezes perder muito, aprendendo na prática a saborear ambos os gostos, num exercício de prova para me acostumar com o sabor, descobrindo ao longo dos experimentos, que nem sempre são tão ruins que não pudessem ser saboreados e também nem tão saborosos que não pudessem me fazer enjoar. E nesta visão que coloquei na prática fui percebendo a minha capacidade de recolher de tudo o melhor que a vida podia me oferecer, transformando o amargo e o doce em refeições equilibradas que me fortaleceram. Cada dia é uma festa, uma glória, uma conquista, mas é no dia 21 de novembro de cada ano, que nitidamente constato o sucesso que obtive em minha longa caminhada de 67 anos, que são as pessoas com as quais convivo de uma forma ou de outra, e aí, fui percebendo o quanto sou um sucesso. Não por ser celebridade, não por ter bens materiais, não por deter qualquer tipo de poder, mas unicamente por ter tido a felicidade de agregar pessoas que íntimas ou não, estão sempre presentes, dando brilho a minha existência. Obrigada a todos que generosamente expressaram seus carinhos, suas atenções a mim no dia de ontem, reafirmando mais uma vez a minha convicção de que viver é muito bom, que a vida em qualquer circunstância pode ser enxergada e vivenciada com alegria e otimismo, afinal, independentemente de tudo o mais, ela é bonita, é bonita e é bonita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário