quinta-feira, 5 de setembro de 2013

EU PRECISO...


Todos os dias, pelo menos nos últimos, tento escrever sobre os acontecimentos políticos locais e nacionais e, simplesmente, não estou conseguindo e ainda ficando com um sentimento de fastio enorme, como se nada mais existisse para se escrever.
Sabedora de que isto não é verdade, insisto, mas nada tem deslizado de minha mente e, então, passo a lamentar como uma velha rabugenta, querendo a todo custo encontrar novos argumentos de convencimento pessoal, frente ora a mesmice, ora o “interesseiro descaramento político” que me cerca.
Como voltar a escrever sobre a influência que o poder exerce sobre determinadas criaturas?
Tantos pensadores já o fizeram e na realidade sem uma conclusão à respeito desta capacidade humana em ser egoista, insensível, arrogante, prepotente, cruel na busca das glórias e benécias que os poderes oferecem e ao mesmo tempo serem capazes de despertar admiração, paixão e extrema devoção.
Ah!... Meu pai...
Hoje é quinta-feira e o dia amanheceu ensolarado. Gosto de sentir este calorzinho  que vem chegando de mansinho, secando as poças d’água, fazendo crescer o capim, aquecendo o meu coração, meu corpo e impulsionando-me a querer voltar a escrever qualquer coisa, que não seja sobre política e políticos, qualquer coisa, que não seja tão absurdamente repetitivo.
Olho lá fora, e novamente respiro fundo, pensando no 7 de Setembro que lá vem chegando.
O que será?
Que será!

Eu preciso escrever, mas o que, pelo amor de Deus?   

Nenhum comentário:

Postar um comentário