quinta-feira, 21 de abril de 2016

O BRILHO DO ESSENCIAL


O dia ainda não clareou e cá estou como de costume, cercada pelos meus cachorrinhos, frente ao computador, escrevendo sobre os meus sentimentos que teimosos, insistem em não acompanharem a minha própria cronologia, mantendo assim em mim, um continuado senso de vanguardismo, que imprimo em minhas certezas e dúvidas cotidianas, mas que jamais cedeu lugar ao banal ou ao pouco caso, permitindo-me por todo o tempo, enxergar primeiro o bom e o bonito de tudo e todos que me cercam e que também me estimula a compreender as infinitas diferenças, transformando-as em desafios a serem apenas vividos e se necessário, superados.
Longe de meus pássaros, flores e frutos, mas bem mais próximo do mar e se não bastasse, ainda posso olhar por sobre a janela e enxergar o verde, respirar fundo e sentir o cheirinho do mar, além do privilégio em acordar tendo a lua como a mais poderosa luz a focar-me como um silencioso e bendito despertador.
E aí, tudo o mais que possa não ter tanto brilho e sedução, torna-se irrelevante, absolutamente possível de ser vivenciado.
Que nesta quinta-feira, feriado nacional, o brilho do essencialmente belo circule a sua vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário